Adelina Tchocalie – JC Huambo/Angola
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Chamo-me Adelina Tchocalie, tenho 42 anos de idade, resido no bairro São José, sou membro e dedico na unidade acima referida.

Conheci a Igreja Messiânica, no mês de Outubro do ano de 2017, por intermédio da irmã Antonieta por quem tenho profunda gratidão.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram doenças e conflitos e maus sonhos durante mais de 10 anos.

Vivi por muitos anos com o meu falecido marido que consumia bebidas alcoólicas por excesso. Consequentemente, ele me batia muito e chegou ao ponto de me expulsar de casa. Entretanto, depois de algum tempo separados ele partiu para o Mundo Espiritual. Após o seu falecimento, eu comecei a ter maus sonhos onde ele aparecia. Em sonho, todas as noites ele dizia: “Vamos nos reconciliar e viver felizes para sempre”. Eram sonhos, mas para mim parecia tão real que ficava com medo. Por essa razão, deixei o meu quarto e passei a dormir no quarto dos meus filhos e depois na sala.

Mas com o decorrer do tempo, a situação só piorou.  Passei a não só ver o meu marido nos sonhos, como também a ouvir vozes de pessoas a querer me fazer mal. Também via vultos e tremia constantemente.

Para solucionar esse problema, procurei quimbandas. Em uma dessas casas onde fiz mais tempo em tratamento eu notei que enquanto em tratamento eu me sentia bem, mas depois, os problemas aumentavam. Decidi ir ao hospital onde fiz análises, mas só acusava tensão alta. Fazia o tratamento, mas mesmo assim o quadro não alterava. Assim era minha vida, entre quimbandas e Hospitais durante 10 anos.

Graças a Deus, quando já estava no auge do sofrimento, conheci a Igreja Messiânica.

Na igreja fui recebida pelo plantonista que após ouvir-me atentamente orientou-me as práticas básicas da fé:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de luz em casa;
  • Ter a horta caseira;
  • Ler ensinamentos de Meishu-Sama;
  • Participar da limpeza da igreja;
  • Participar das marchas de distribuição de flor;
  • Peregrinar aos locais de maior luz; e
  • Encaminhar pessoas a porta da igreja.

Cumpri as orientações sem dificuldades e paulatinamente os meus problemas foram sendo solucionados.

A experiência de fé que passo a relatar para os senhores, está relacionada com o cumprimento das orientações.

Um ano depois de ingressar na Igreja, isto no final do mês de Setembro de 2018, tive uma conversa com a responsável da unidade religiosa. Nessa conversa, me reclamei que o meu estado não havia mudado mesmo depois de muito tempo de dedicação; padecia de muitas dificuldades. A Responsável perguntou-me se havia cumprido as práticas básicas correctamente. Respondi afirmativamente. Ela perguntou-me ainda como fazia os meus donativos. E então caiu a ficha! Eu tinha dificuldades nessa prática.

Assim a responsável levou-me ao altar onde agradecemos e entregamos a purificação nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama. Na mesma semana, ganhei a permissão de receber missionários em minha casa com o quais, juntos fizemos a limpeza espiritual, a vivência da flor e ministraram-me bastante Johrei. Deles recebi várias explicações sobre a importância da dedicação monetária. Isso fez com eu ganhasse melhor compreensão sobre a igreja e as suas práticas.

Decidi a partir daquele dia aprofundar na dedicação de fazer regular e correctamente também os donativos. Confesso que não foi fácil, mas graças a Deus tive a permissão de o fazer e notar as seguintes mudanças na minha vida:

  • Os sonhos que tinha com o meu falecido marido deixaram de existir e voltei a dormir no meu quarto tranquilamente.
  • Graças a Deus ao Messias Meishu-Sama, parei de ver vultos, ouvir vozes e todos outros problemas de mais de 10 anos também passaram. Graças ao Messias, um enorme sentimento de felicidade tomou conta de mim.

Recuperei o meu estado de saúde, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama; posso dizer que ganhei uma nova vida. Materializei um donativo especial gratidão por todas essas graças assumindo o compromisso de também fazer feliz outras pessoas.

Com a permissão do supremo Deus, ganhei a permissão de cuidar de três casas também de frequentadores. Numa dessas vasas mora um jovem que tinha problemas espirituais. Este falava sozinho, vagueava pelas ruas perdido durante o dia e via vultos. Ao tomar conhecimento do caso, comecei a fazer assistência a sua casa. Passei a levar flores e a fazer oração diariamente, entregando os problemas daquela família nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama.

Comecei também a levar para lá outros missionários para ministrar Johrei. Depois de uma semana de assistência, o Jovem ganhou a permissão de conhecer a igreja e passou a frequentar. Meses depois ele recuperou o seu estado de saúde tornando-se uma pessoa normal. Como gratidão ele e sua mãe frequentam a igreja e materializaram um donativo para agradecer o milagre.

Outra experiência:

Certo dia, o irmão da minha vizinha começou a ver vultos. Passou a   assustar-se com tudo a sua volta e a correr aparentemente sem motivo. Dizia que haviam pessoas a querer lhe fazer mal. Como o problema se agravava, os familiares levaram-lhe para o Hospital. Os médicos disseram que não podiam fazer nada porque eram problemas espirituais dando-lhe alta no mesmo instante. A noite, a vizinha veio a minha casa pedir ajuda. Fui para lá, coloquei a flores e fiz a oração entregando tudo nas mãos de Deus. No dia seguinte o jovem acordou bem e a purificação passou até a data presente, deixando felizes os seus familiares e vizinhos. Como gratidão materializou um donativo especial.

Aprendi com essas experiências que devemos cumprir com as orientações e que Meishu-Sama é realmente o Messias esperado pela humanidade.

Tenho a horta caseira e hoje já faço os donativos correctamente. Encaminhei 90 pessoas das quais 5 frequentam a igreja. O meu compromisso é para melhor servir na obra Divina e encaminhar um maior número de pessoas na fé. Peregrino aos locais de maior luz com a finalidade de receber força para cumprir minha tarefa.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão que me concederam de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Ao Reverendo, Ministros, Responsáveis, Membros e Frequentadores em especial a irmã Antonieta que serviu como instrumento para o meu encaminhamento, a minha eterna gratidão.

Muito obrigada!

 

Leia também: