Belarmina Lourdes Teodoro Chilumbo – JC Huambo/Angola
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Chamo-me Belarmina Lourdes Teodoro Chilumbo, tenho 54 anos de idade, resido na Cidade Alta, sou membro e dedico na Sociedade de Senhoras no Johrei Center do Huambo.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola em 2016, por intermédio de uma missionária da nossa igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: conflitos familiares e dívidas financeiras.

Quanto aos conflitos familiares, na altura já trabalhava e ganhava bem, mas gastava o dinheiro com cigarros, bebidas, festas e ajudar outras pessoas. Tudo chegava aos ouvidos dos meus pais e irmãos, eram reuniões atrás de reuniões, sempre que ia e voltasse para Luanda.

Para mim era um inferno, meus filhos que na altura eram pequenos, sofriam muito e passavam a vida criticar-me. Mesmo sendo Técnica Superior, pessoa com alta consideração numa das Faculdades no Huambo, eu não percebia esta atitude que eu levava e sempre me questionava: O que se passa comigo, que não consigo viver uma vida feliz mesmo ganhando bem? Assim eu era considerada a ovelha negra da família.

No ano de 2015, pedia dinheiro com juros e que com o meu salário já não era possível pagar. Isto levou-me o caso ao tribunal, onde seria julgada. Em 2016, no mês de fevereiro fui notificada para o julgamento em março. Pensando no que iria perder, emprego e salário, fiquei exausta e comecei a perder sono, passando muitas noites em claro.

Foi neste auge de sofrimento que pedi ajuda a minha prima e esta chamou a irmã que me encaminhou a igreja. A mesma falou-me dos milagres que nela ocorrem.

Chegando na igreja, fui recebida pelo plantonista que me orientou o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor de luz em casa;
  • Ter a horta caseira;
  • Ler os ensinamentos de Meishu-Sama;
  • Participar da limpeza da igreja;
  • Participar nas marchas de flor;
  • Peregrinar aos locais de maior luz;
  • Encaminhar pessoas a porta da igreja.

Cumpri com as orientações e a medida que frequentava a igreja o julgamento era adiado, por mais de três vezes. Em abril, fui julgada e pelo meu espanto, a sentença que era de três a quatro anos de prisão passou para apenas fazer um pagamento e arranjar meio termo para terminar com o caso no tribunal.

Com as minhas dedicações, lendo os ensinamentos, peregrinar aos Locais de maior Luz, na Sede Central e no Polo do Bom Jesus, distribuição de flores, o problema ficou resolvidos e os conflitos familiares passaram.

Hoje meus pais conversam muito bem comigo, meus irmãos pedem opiniões e sou a mãe que resolve todos os problemas familiares.

Como gratidão materializei o meu donativo de outorga para melhor servir na Obra Divina de salvação da Humanidade. E ganhei mais força no cumprimento da minha missão.

Com essa experiência aprendi que Meishu-Sama é realmente o Messias a muito esperado pela humanidade e ganhei permissão de me tornar membro no dia 19 de agosto de 2019.

O meu compromisso é de ser uma pessoa que vive para servir outras pessoas.

Tenho a horta caseira, sou cadastrada, faço o dízimo e donativo de construção, já encaminhei 04 pessoas na igreja e cuido de 03 casas com 11 pessoas.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama junto com os meus Antepassados pela permissão que me concederam de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Ao Reverendo, Ministros, Responsáveis, Membros, Frequentadores e a todos que ouviram o meu relato de fé o meu muito obrigado.

Leia também: