Home | Experiência de Fé do dia | Carlota Manuel Sono – JC Matola 700 – Moçambique
Carlota Manuel Sono – JC Matola 700 – Moçambique

O meu nome é Carlota Manuel Sono, tenho 62 anos de idade e sou membro.

Conheci a Igreja Messiânica em 2013, por intermédio do meu saudoso marido, Raúl Obede, membro da Igreja.  

O motivo que me levou a conhecer a Igreja foi de curiosidade e vontade de professar uma fé.

Durante muitos anos, eu e a minha família ficamos sem frequentar nenhuma igreja e como consequência, a falta de paz espiritual invadiu o nosso lar.

Deste modo, decidimos procurar uma igreja e graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama, pouco tempo depois, o meu marido conheceu a Igreja Messiânica, tendo posteriormente me encaminhado.

A experiência de Fé que passo a relatar está relacionada com a importância do acompanhamento de pessoas.

Quando recebi a orientação de cuidar de alguém, enfrentei muitas dificuldades, pois sempre colocava a desculpa que não tinha ninguém que eu pudesse cuidar. O vice- responsável do Johrei Center, não desistia de fazer lembrar da orientação e sempre que me encontrasse, questionava se já estava a cumprir dizendo: “Precisas de cuidar de alguém, pois é nisso que está a salvação!”.

Assim, enquadrei-me na Rede de Salvação, onde com outros membros tenho participado da difusão do Johrei e das outras práticas básicas da fé para o maior número de pessoas. No que concerne à assistência religiosa, também tenho a relatar que certo dia, a minha vizinha chamou-me pedindo socorro. O seu filho, de 40 anos de idade, acabava de voltar da África do Sul e estava a purificar.

Ele encontrava-se a residir naquele país há 20 anos e nunca tinha vindo visitar a família. Lá, ele contraiu uma infecção muito grave numa das pernas, que lhe impossibilitava de se locomover. No hospital, já sem solução para aquele problema, disseram-lhe que devia voltar para o seu país de origem, uma vez que ele não era sul-africano, mesmo que já tivesse a identificação Sul-africana por ter residido naquele país por muitos anos. Para se livrarem dele, recorreram às autoridades Sul-africanas, que criaram condições para que ele voltasse à Moçambique e assim, ele regressou.

Quando cheguei à casa da minha vizinha, pude constatar que a situação era realmente grave. A perna dele estava totalmente tomada de bolhas e feridas e exalava um cheiro nauseabundo, difícil de suportar. Dada a gravidade da situação, ele ficava apenas deitado, tendo que depender da família para as necessidades.

 

Antes

Comecei a ministrar Johrei nele e a fazer oração. No dia seguinte, levaram-lhe ao hospital, onde os médicos disseram-lhe que a solução seria amputar a perna e que devia apenas aguardar pelo dia da cirurgia. A mãe dele veio à minha casa para agradecer pela oração, tendo relatado que no hospital tiveram um tratamento VIP, foram recebidos com muito amor e carinho, parecendo até que estavam a atender um bebé. Acrescentou ainda, dizendo: «A sua oração é muito poderosa!»

Depois

Mas, a situação do senhor persistia e as vizinhas até já comentavam: “Ela pensa que vai conseguir curar aquele senhor?”  Mesmo ouvindo tais comentários desencorajadores, fiz a minha gratidão através da oração e não parei de prestar assistência religiosa. Algumas vezes, eu questionava-me sobre a minha capacidade de ajudar aquele enfermo, dizendo: «Meishu-Sama, como é que o Senhor confiou-me uma missão tão delicada como esta?». Contudo, no final, ficou provado que quem realiza os milagres é o Supremo Deus e não o homem, pois Deus realiza o seu plano através do homem.

Milagrosamente, graças ao constante recebimento do Johrei e bastante oração, o pé dele começou a sarar. Tempos depois, depois de algumas análises, os médicos confirmaram que já não precisava amputar a perna, o que foi para toda a família e vizinhos uma grande surpresa, inclusive para mim. Com a melhoria gradativa da perna, ele já consegue se locomover sem precisar de auxílio e até consegue participar dos trabalhos de casa. Graças a Deus, hoje está completamente curado!

Para agradecer por este milagre, fiz um donativo especial de gratidão e orientei o senhor a preparar-se para fazer o seu donativo de gratidão pelo milagre.

Eu reconfirmei que Meishu-Sama é realmente o Messias há bastante tempo esperado pela humanidade!

O meu compromisso é continuar a me empenhar pela continuidade do legado do Messias Meishu-Sama.

Já me cadastrei, cuido de mais de 7 pessoas e tenho a horta caseira feita. 

Aos ministros, missionários, membros e frequentadores, o meu muito obrigado a todos.