Jaime Pinto Froi – JC Maxaquene – Moçambique
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on linkedin
Share on whatsapp

Chamo-me Jaime Pinto Froi, sou missionário da igreja e dedico actualmente no Johrei Center Maxaquene.

A experiência de fé que passo a relatar aos queridos irmãos está relacionada com a orientação que viemos recebendo dos nossos superiores durante o período da pandemia do covid-19.

Certo dia, o ministro responsável pela área em que dedico, informou-me que por causa do covid-19, eu passaria a dedicar num Johrei Center mais próximo de casa, afim de evitar o máximo o uso de transporte público. A unidade seria o Johrei Center Maxaquene.

Fui então orientado a acompanhar os frequentadores que chegavam à unidade religiosa e aprofundar na dor e sofrimento deles.

Comecei a acompanhar uma frequentadora, que trazia consigo muitos sofrimentos, desde conflitos familiares, doença e dificuldades financeiras. Ela disse que depois da separação do seu esposo, sua vida começou a desmoronar: os seus filhos que lhe ajudavam nas despesas de casa cortaram a mesada que lhe davam para o rancho de casa sem motivos plausíveis  e um deles acusava-lhe de ser a culpada por ele não ter sorte na vida e  não conseguir  um emprego.

Certa vez, ele retirou as marcas das pegadas da sua mãe que se encontrava na areia à mando de um curandeiro. A partir desse momento, ela perdeu o sono tranquilo, pois sempre sentia algo a picar-lhe desde os pés até a cabeça sempre que fosse dormir.  Isso causava-lhe desconforto e passava, por vezes, noites em claro. Essas situações faziam com que ela guardasse mágoa para com ele. Após a reflexão, convidei-lhe a experimentar as práticas básicas da fé, nomeadamente: receber 10 Johrei por dia, manter a flor de luz em casa e distribuí-las, limpar o banheiro, fazer os donativos diários, o dízimo e donativo de construção, fazer a horta caseira e alimentar-se dos seus produtos. Além disso, participar das dedicações de limpeza no Johrei Center e no seu lar, ao que se prontificou a cumprir.

Uma vez que nos encontramos nesta pandemia, orientei-a a fazer a dedicação de limpeza em seu lar e de seguida, fomos ao altar. Depois, fizemos juntos uma Ikebana que ela pôde levar para sua casa. No dia seguinte, ela veio ao Johrei Center relatar que ao chegar em casa, como não tinha nenhum afazer, decidiu fazer a limpeza e colocou a flor.

Assim, ela teve uma noite tranquila, o que não acontecia há muito tempo. Enquanto fazia a limpeza, um dos seus filhos ligou-lhe a informar que lhe havia enviado um valor para que ela fizesse as despesas da casa e assim que ela retirou o valor referido, separou uma parte para materializar o seu donativo de gratidão e o dízimo.  Esses milagres vieram fortalecer nela a esperança e a fé na existência do Messias Meishu-Sama e do Mundo Espiritual. Além desses milagres, ela relatou que há muito tempo que não conseguia visitar o seu filho por causa da mágoa que sentia por ele ter lhe tirado as pegadas e levado a um curandeiro.

Expliquei então sobre a importância de eliminarmos as mágoas dos nossos corações e aprendermos a perdoar em todas as circunstâncias. Por fim, convidei-lhe novamente a entregarmos aquele sentimento nas mãos do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama. No dia seguinte, a senhora veio informar-me que o seu filho que há 5 anos não lhe procurava, ligou-lhe a informar que ela havia ganhado um neto e que ele suplicava a sua presença em sua casa. Graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama!

Ela conseguiu reconciliar-se com o seu filho e como gratidão, vem se empenhando na sua dedicação e hoje está a formar a sua rede da salvação. Já tem cerca de 5 frequentadores que vão regularmente à igreja, com o compromisso de futuramente tornarem-se membros.

A outra experiência de fé, também é de uma frequentadora, que tive a permissão de receber e acompanhá-la. Ela foi encaminhada também com muita preocupação, desde doença, conflitos conjugais e falta de paz espiritual. Disse que estava já em vias de separação. Este era o seu segundo relacionamento e já estava cansada daquele sofrimento.

No primeiro relacionamento, ela carregava uma grande mágoa do ex-marido por que não dava assistência aos seus filhos, o que lhe trazia uma certa intranquilidade. Perguntei-lhe em que posição a sua família se encontrava em termos de relacionamentos. Ela disse que sua família, uma vez que ela e os irmãos tinham mães diferentes, no seu lado materno, todas as mulheres quando casassem, depois de algum tempo separavam-se e ela temia que lhe acontecesse o mesmo. Falei-lhe a respeito do mundo espiritual e da relação que temos com os nossos antepassados. Disse que ela precisava se empenhar em elevar os seus antepassados através das práticas básicas da fé. Entregando esse sofrimento dos seus antepassados ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, o seu destino iria mudar. De seguida, fomos fazer oração no altar.

Após a oração, fizemos uma Ikebana para que ela pudesse colocar em seu lar. Ofereci-lhe também um ensinamento de Meishu-Sama para que pudesse ler todos os dias. Orientei-lhe que sempre que o marido quisesse brigar, ela agradecesse e lesse o ensinamento para que não caísse na ingratidão.

Ela relatou que, uma semana depois de começar a frequentar a igreja, purificou. O seu marido, repentinamente, disse que já não queria ficar mais com ela e que iriam se separar de vez. Ele até já estava para sair de casa. Naquele momento, ele saiu para a rua com o objectivo de atender o seu amigo que lhe havia ligado. Enquanto isso, ela lembrou-se da orientação que recebera, de agradecer mesmo sem saber o porquê. Assim, ela começou a agradecer e a ler o ensinamento de Meishu-Sama. Minutos depois, ela recebeu a chamada do esposo a chamar-lhe para uma mercearia. Espantada, ela saiu ao seu encontro e chegando lá, o seu esposo havia feito compras para sua casa. Ele pediu-lhe desculpas pelo seu comportamento e disse que não sabia ao certo por que tinha agido daquele jeito. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama! No dia seguinte, ela veio relatar o sucedido e disse que realmente só o Messias é que mudou aquela situação, uma vez que ela já não tinha esperança de continuar com a relação. O Messias Meishu-Sama manifestou o seu milagre e movida pela profunda gratidão, ela está a preparar o seu donativo de ingresso na fé e de gratidão pelos milagres constantes que vem vivenciando no seu dia-a-dia. Já tem a sua horta caseira e cuida de duas frequentadoras na sua rede da salvação.

Com estas experiências de fé, aprendi que o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama estão no comando das nossas vidas e que eles enviam realmente as pessoas com as quais nós temos afinidade para que possamos conduzi-las ao paraíso, junto com os seus antepassados!

O meu compromisso é de continuar a servir na Obra Divina, participando assim da salvação e formação das 100 mil famílias convictas em África!

Leia também: