Marie Nsamba – JC Mbujimayi – RDC

Chamo-me Marie Nsamba, sou frequentadora, sou casada e mãe de 5 filhos.  Moro na cidade de Mbujimayi, na comuna de Kanshi.

Fui encaminhada na Igreja Messiânica pela minha vizinha, por causa dos problemas de saúde que me atormentavam!

A minha perna esquerda estava inchada. Esse inchaço era acompanhado por fortes dores nas articulações.  Esta doença me atacou quando estava grávida da minha terceira filha.  Hoje, a minha filha é casada e mãe de 3 filhos.  Digo isso para que possam entender o longo período durante o qual experimentei essa tremenda dor e sofrimento!  Eu andava com dificuldades. Nem conseguia carregar nada na cabeça.

Para encontrar a solução desse problema, frequentei igrejas intersecionais e até padres vieram rezar com água benta. Os profetas também não foram deixados de fora! Em resumo, visitei quase todas as igrejas, sem o menor alívio.  Como se tudo isso não fosse suficiente, a minha mãe faleceu durante esse longo período de sofrimento e o meu marido me abandonou.

No início eu andava, mas o inchaço era tal que não conseguia fazer isso facilmente.  A família me levou a marabus, curandeiros, feiticeiros e até bruxos e mágicos para buscar a salvação. Mas, sem sucesso.  Buscava encontrar, pelo menos, algum alívio. Pois, a cura definitiva estava longe de ser encontrada! Foi nessas condições, que encontrei a fé messiânica!

Na Igreja Messiânica, fui recebida pelo responsável. Ele me orientou a receber 10 Johrei por dia, para fazer a reflexão profunda, praticar o donativo de gratidão pela purificação e colocar a flor da luz em casa.

Ao receber Johrei, a dor piorou e o conflito se intensificou em minha família, pois meus irmãos não queriam as práticas messiânicas. Chegou ao ponto em que fui chamada de bruxa!

Isso foi algo curioso. As minhas irmãs mais velhas e meus irmãos mais novos me abandonaram por causa da Igreja Messiânica, mas, me acompanhavam quando se tratava de consultar curandeiros, marabus, feiticeiros, ou outros pastores!  Essa atitude me incomodou muito, porém, doente, continuei com as práticas orientadas.  Fiz a reflexão profunda, abrindo o meu coração. Assim, percebi o mal que estava na raiz do meu sofrimento!

Desse modo, o ministro acrescentou a orientação de encaminhar as pessoas na porta da igreja, mostrando-me que, para ser feliz, é preciso buscar fazer a felicidade de outras pessoas!

Ele me mostrou como encaminhar uma pessoa. No primeiro dia, encaminhei uma pessoa. No dia seguinte, encaminhei três pessoas. Como minha perna ainda estava doente, pensei que o ministro não sentisse pena de mim por me dar essa orientação! Mas, com o tempo me acostumei, até que um dia encaminhei dez pessoas!

Naquele dia, à noite, sonhei com a minha falecida mãe me mostrando um vasto campo vazio, mas, com um único pé de milho. Ela me disse: ” Aqui está o seu campo. Está vazio e não há nada para comer. De onde viria sua felicidade, sem que você tivesse trabalhado por ela? ”

Fui explicar o sonho ao ministro, que me colocou no grupo de apoio de assistência nas casas de outras pessoas.

Depois de participar da limpeza na casa de um frequentador, tive outro sonho com minha falecida mãe me agradecendo por todos os esforços feitos nessa limpeza!  Ela começou a fazer uma incisão na minha perna esquerda, que estava inchada e o sangue impuro começou a sair.  A mãe me disse: “Esse sangue foi poluído!”.

No dia seguinte, a perna começou a esvaziar consideravelmente! Os membros da minha família, que não queriam que eu frequentasse a Igreja, começaram a ir à Igreja para receber Johrei. Eles já aceitam a prática da horta caseira.

Mais de uma semana depois, a perna estava completamente desinchada e recuperei completamente minha saúde!  Foi o fim da provação que experimentei por mais de 15 anos!  Fiz um donativo especial para materializar a minha gratidão.

Eu aprendi que o Johrei é uma força extraordinária de salvação!

Fiz o compromisso de me tornar membro e sou candidata para a próxima outorga. Dedico no grupo terra, onde participo do encaminhamento, da distribuição de flores e da limpeza e acompanho 5 casas no bairro.

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, bem como a meus ancestrais. Minha gratidão também para o ministro que me ajudou a entender a missão de nossa igreja, aos missionários, membros e frequentadores. Também a todos vocês que leram meu testemunho no mundo inteiro!

Muito obrigada!