Home | Palestra do mês | Palestra – Culto Mensal de Gratidão – Junho de 2020
Palestra – Culto Mensal de Gratidão – Junho de 2020

Culto Mensal de Gratidão de Junho de 2020

Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África,

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?

Parabéns pelo culto mensal de gratidão do mês de junho de 2020!

Muito obrigado! Do fundo do coração, quero agradecer pelo esforço que os senhores tem feito em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por todo nosso querido continente africano. Principalmente durante esses últimos meses de pandemia, dentro dessa nova realidade que o nosso planeta está a viver.  Estamos a ter a permissão de ser protegidos, de receber muitas graças do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama.

Muito obrigado por estar aqui com os senhores hoje. Peço desculpas pelas dificuldades técnicas que tivemos no início do culto. Nós quisemos hoje fazer duma forma diferente, começar com a oração já ao vivo, a partir da nossa Sede Central de África. Agradeço muito à Ministra Tininha e toda equipa que permitiu isso acontecer! Como estamos a orar em sintonia com a Sede, foi muito bom ver a nossa Sede Central. Depois de tanto tempo, ver o nosso altar, lembrar de tudo que nós passamos ali, de todas as experiências que já relatamos, que já ouvimos naquele espaço. Realmente, é o Takamahara da África, é um local que tem uma missão muito grande com o destino da África, da humanidade. Está a ser o alicerce para nós podermos construir o nosso Solo Sagrado. Foi muito emocionante poder hoje fazer oração vendo o altar da Sede e acredito que os senhores compartilharam esse sentimento também!

Gostaria de comunicar, como já fizemos chegar ao conhecimento dos senhores pelas redes sociais, que no último dia 30 de abril, de acordo com as leis da nossa instituição no Japão, foi nomeado como novo presidente mundial da nossa igreja messiânica Mundial – Izunome o Reverendo Kiyoaki Sugihara. Ele assumiu a nossa igreja depois da passagem do nosso querido Presidente Reverendo Kobayashi. Nós estamos juntos com ele. Parabéns ao Reverendo Sugihara pela presente missão junto com toda a direcção da nossa igreja!

 

O Culto da Paraíso Terrestre

 

Vamos juntos todos avançar nessa fé centralizada em Meishu-Sama, centralizada no Supremo Deus tendo Meishu-Sama como o Messias esperado pela humanidade, tendo o Johrei e os Ensinamentos do Messias como alicerce da concretização da nossa missão que é a construção do Paraíso Terrestre e a Salvação da Humanidade! A missão do ser humano é essa: nós nascemos na face da terra para participar desse processo de Construção do Paraíso Terrestre e de Salvação da Humanidade. E para isso, Meishu-Sama recebeu a revelação do Supremo Deus sobre essa transição que nós vamos comemorar agora no próximo dia 15 de junho. Será o dia do Culto do Paraíso Terrestre na África também. Nesse mesmo horário em que estamos a realizar o Culto Mensal, vamos realizar no dia 15 de Junho. Será em uma segunda-feira, mas é o dia que nós vamos estar a realizar a nível de toda a África em sintonia com a Sede Central. Esse culto do Paraíso é para agradecermos pela revelação que Meishu-Sama recebeu, para renovarmos o nosso compromisso e juntos entrarmos nesse novo ciclo que se inicia todos os anos a partir do dia 15 de junho.

Meishu-Sama deixou bem claro em seus ensinamentos, que o Mundo Espiritual a partir do dia 4 de fevereiro vibra no sentido de eliminar as máculas que nós criamos na era da noite. Por isso é que acontecem tantas infelicidades no mês de fevereiro. E isso acelera, acelera e a partir do dia 15 de junho de cada ano, é liberada a luz para poder construir e avançar a construção do paraíso. Ou seja, primeiro vem o ciclo de limpeza e a partir de cada 15 de junho começa um ciclo, liberando a luz para construção do paraíso aqui na face da terra. Tem a força para avançar com a construção. Limpa, constrói, limpa, constrói.

Para que nós possamos ultrapassar da forma mais branda possível o período de transição da noite para o dia, Meishu-Sama trouxe o Johrei e os Ensinamentos. No dia 15, vamos aprofundar mais sobre isso. Meishu-Sama diz que a cada 15 de junho, essa força para construir o paraíso aumenta e a cada segundo é liberada de forma mais intensa nessa fase em que estamos já da transição. Por isso é que a cada dia a força do Johrei se torna mais intensa, os resultados são mais rápidos, mais profundos.

Antes de falar sobre a força do Johrei, gostaria de agradecer mais uma vez aos senhores pelo empenho nas actividades durante esse período de Pandemia em particular. Estamos a ter alguns limites para desenvolver as nossas actividades, mas dentro do que a lei de cada país permite, estamos a avançar com a assistência, e com a dedicação de limpeza. Ontem mesmo em Angola, na Província de Benguela, o Johrei Center da Canata realizou uma megacampanha de limpeza na escola Agostinho Neto, no bairro do liro. Uma escola tradicional que estava abandonada. Essa campanha de limpeza teve apoio da administração local do nosso governo. Foram 90 fiéis nossos que juntaram-se a 30 moradores e fizeram essa grande limpeza no local.

 

Servir à Sociedade

Vamos dar continuidade a essas actividades dentro do que a lei de cada país permite e vamos manter a limpeza dos nossos lares, das nossas ruas. Vamos procurar servir à nossa sociedade de forma cada vez mais activa, servindo também através da expansão da agricultura e alimentação natural. Tenho recebido os relatórios tanto da dedicação nos pólos como a dedicação das hortas nas instituições. Nós estamos a fazer hortas, ensinando aos vizinhos. Nossos fiéis que estão a aprofundar nessa coluna, estão a conseguir ter bons resultados e despertar os vizinhos para a importância dessa prática. Hoje, dia 7 de junho é o dia mundial da segurança alimentar e é muito importante nós, cada vez mais abraçarmos a coluna da alimentação natural da Agricultura procurando desenvolver localmente a nossa produção.

Também há outro ponto que gostaria de esclarecer aos senhores. Nesse período, com todas as dificuldades que o mundo está a enfrentar, nós também temos feito doações a instituições de caridade. Porém, no caso particular de Angola, o nosso governo orientou para não divulgar essas doações que fazemos às instituições. Mas nós estamos a fazer e gostaria de deixar bem claro para os senhores. Também quem quiser doar produtos industrializados, não perecíveis, pode fazer chegar à nossa sede e os ministros vão direccionar para esses locais que nós já estamos a apoiar. É muito importante isso, cada um também a nível individual, o que puder fazer pelo próximo nessa fase, tudo é bem-vindo. Eu achei muito boa essa postura do governo de Angola de pedir para não divulgar porque geralmente tem situações que nós não precisamos estar a divulgar pois há pessoas que podem sentir-se constrangidas. Mas o importante é que Deus e Meishu-Sama sabem o que nós estamos a fazer em prol da felicidade do próximo e do mundo.

Junto com isso, vamos procurar cada vez mais nas instituições que tenham terreno ou mesmo onde não tem mas que possam fazer em vasos, ensinar a produzir o seu próprio alimento. Ou até mesmo em terrenos próximos às instituições. Nós também estamos a fazer esse trabalho e estamos abertos a parcerias. Contamos com o apoio dos senhores e da sociedade em geral para podermos divulgar o nosso método agrícola, a fim de que as pessoas possam cada vez mais sair da fome e terem acesso a uma alimentação que gera saúde. Pois o que é mais importante nessa fase é desenvolvermos um sistema imunológico mais forte, mais activo, para poder enfrentar qualquer situação que aparecer no nosso dia-a-dia.

 

Os Milagres na República Democrática do Congo

Mesmo no meio de todas essas dificuldades, estamos a ter muitas experiências de fé que estamos a divulgar no dia-a-dia. Eu recebi um relatório que me deixou muito emocionado, de uma membro nossa da República Democrática do Congo, a senhora Kibango Adelfine. Ela foi desenvolver actividades na província do Kuango, bem no interior da República Democrática do Congo. Quando ela chegou lá, como messiânica começou a fazer limpeza, a oferecer Johrei e flores. Limpou o cemitério da aldeia, apresentou o Johrei, os Ensinamentos de Meishu-Sama a filosofia e as pessoas começaram a receber milagres. É bem interessante o que ela fez! Havia uma jovem de 17 anos de idade que nunca tinha tido o seu período menstrual e enfrentava várias situações devido a isso.  Essa jovem começou a receber Johrei e depois de dois meses, o período veio pela primeira vez e normalizou. Ela ganhou mais disposição, ganhou saúde.

Uma criança de 4 anos de idade sofria crises diárias que duravam de três a cinco minutos. A criança ficava imóvel. Em pé, mas imóvel. Isso acontecia até 7 vezes por dia. Já tinha ido a hospitais, a quimbandeiros, já tinha feito muita coisa, mas nunca recuperou. Porém, depois de duas semanas de recebimento de Johrei, ela ficou totalmente curada. Junto com os pais começaram a frequentar a igreja. Vários outros milagres começaram acontecer e um dos quimbandeiros mais famosos da região, vendo aqueles milagres todos, foi falar com a nossa membro e disse: “Eu estou a ver tantos milagres acontecerem aqui na aldeia. Notei que você realmente é uma pessoa de Deus. Deus actua através de você! Mas eu também estou a sofrer muito! Eu preciso que você venha também para a minha casa fazer essa oração pois eu também tenho muitos problemas. Venha por favor fazer essa oração na minha casa, tirar o que está lá porque não consigo dormir, eu passo muito mal!”. A nossa membro aceitou e foi para casa do quimbandeiro fazer a limpeza profunda, fez Ikebana, ministrou Johrei nele e na família. No dia seguinte, ele veio procurar a nossa membro e disse: “Eu dormi como nunca antes. Me sinto muito bem! isso é muito bom!”.

Ele começou a ler os ensinamentos e aí levou a nossa membro para três casas de pessoas com problemas que ele não conseguia resolver de jeito nenhum. Todos os problemas se resolveram com o Johrei, a limpeza e com a flor. Essas pessoas e seus familiares, também se tornaram frequentadores da nossa igreja. O quimbandeiro perguntou para ela: “Porquê você escondeu essas coisas boas durante tanto tempo!? Precisamos disso aqui! Todo mundo precisa disso!”. Interessante o desabafo dele de reconhecimento da força do Johrei. O director e os enfermeiros do posto médico da aldeia viram esses milagres também. Eles receberam de uma outra aldeia menor, uma senhora que estava com um problema muito difícil. Estava com dificuldades para ter o parto. E ela teve o parto no centro médico, mas a placenta não descia. Mesmo depois de 24 horas, com eles a tentar tudo. Chamaram a nossa irmã e ela ministrou Johrei. Depois de 30 minutos, a senhora eliminou a placenta e se recuperou. A família dela também recebeu Johrei antes de retornarem para a sua aldeia.

Eles levaram uma criança de cinco anos que estava em coma há vários dias e tentavam fazer a criança recuperar. Então, pediram ajuda para nossa membro. Ela começou a ministrar Johrei e depois de 20 minutos, a criança começou a vomitar uma massa preta, como se fosse um pão mastigado. Ela continuou a ministrar Johrei, foi para casa e no dia seguinte de manhã cedo voltou para lá. A criança tinha passado A noite toda ainda em coma e quando ela entrou para ministrar a Johrei, a criança se levantou e correu na direcção dela, abraçou-a como se já lhe conhecesse. Daquele jeito, parecia que o espírito da criança sabia o que nossa irmã havia feito. É como se fosse: “Puxa! Você me trouxe de volta!”. As Enfermeiras ficaram impressionadas com aquilo! O director do Centro Médico falou assim: “Dona Adelfine, acho que a senhora devia fazer um contrato connosco para poder ficar aqui a ministrar Johrei!”. O outro enfermeiro falou: “Mas isso não é só fazer contrato. isso aí tem alguma coisa mais forte do que igreja!”. Então, ela começou a explicar para eles sobre Meishu-Sama, sobre o Johrei, sobre os Ensinamentos.  Hoje ela já está com 35 frequentadores activos que estão a se preparar para poder receber o Ohikari. É para nos mostrar o valor do Johrei e como precisamos fazer chegar à energia do Johrei para toda a humanidade. O que vai despertar as pessoas é a luz de Deus. Por isso, não podemos ter vergonha nem preguiça de levantar a mão para ministrar Johrei.

Os senhores gostaram da experiência da irmã Benvinda? Parabéns para ela!  Muito obrigado por compartilhar connosco. Quem conhece ela, sabe o amor que ela coloca na sua dedicação, a sinceridade dela em relação às pessoas e do seu carácter. Com todo esse amor, toda essa dedicação que nós conhecemos dela, vemos também que estava a passar por tantos problemas. Por isso que é muito importante nós ouvirmos as experiências de fé e lhes estudarmos com profundidade. A irmã Benvinda teve a sua vida salva, transformada, mas, ainda vivia situações bem difíceis na família.

Ser Amado Por Deus

Aí é que entra o ensinamento que estamos a estudar esse mês: “Ser Amado Por Deus”. Nele, Meishu-Sama fala:

 “A essência da fé, em poucas palavras é “ser amado por Deus” isto é, “ser do agrado de Deus”. Então, surge a seguinte questão: que tipo de pessoa Deus ama? Antes de esclarecer isso, porém, existe algo que é preciso saber em relação à missão da nossa religião.”. Então, Meishu-Sama começa a falar sobre ser amado por Deus e qual a pessoa que Deus ama. Mas antes dele continuar o assunto principal, ele diz que é preciso falar sobre a missão da nossa religião.

O Fim do Mundo ou Juízo Final, mencionado por Jesus Cristo, e a Destruição da Lei Búdica, anunciada por Buda Sakyamuni, são fatos que estão prestes a ocorrer. Em relação a isso, divindades e budas, com seu grande amor misericordioso, desejam que o maior número de pessoas consiga ultrapassar o momento critico que o mundo vivenciará. E como Deus fará isso? Naturalmente, Ele actuará por meio do ser humano, e acredito que fui escolhido para ser o responsável por esta grande missão.”.

Qual é essa grande missão? Como fazer para que o maior número de pessoas consiga ultrapassar o momento crítico que estamos a viver hoje? Meishu-Sama foi escolhido para cumprir essa missão.

“Uma vez que se trata de uma missão extraordinariamente grande, jamais vista ou ouvida, não consigo deixar de me perguntar se não seria pesada demais para uma pessoa comum como eu. No entanto, como essa missão me foi confiada pelo grandioso Deus, fiquei sem alternativa. No início, duvidei e até resisti, mas não tive como recusá-la. Deus me maneja livremente. Não foram poucas as vezes em que Ele me fez sentir alegrias extremas e também enfrentar situações de intenso sofrimento. Cada vez que isso ocorria, percebia que Sua forma de actuar é profunda e misteriosa, causando-me uma indescritível sensação, um misto de alegria e gratidão, que pode ser chamado de sabor da vida. É difícil expressar isso em palavras. Fico a pensar se mais alguém na face da terra já teve tal sensação.”.

“Voltando ao assunto principal: o que se deve fazer para ser do agrado de Deus? Saber isso é essencial. Para ser do Seu agrado é preciso, antes de mais nada, procurar não fazer aquilo de que Deus não gosta. Ao contrário, deve-se empenhar ao máximo naquilo que Lhe agrada. Qualquer pessoa sensata sabe que Deus não gosta de acções que estejam em desacordo com o caminho[1], ou seja, mentir, fazer os outros sofrer, causar transtornos à sociedade etc. Actualmente, é grande o número de pessoas que não se importam com o próximo e pensam apenas em si, manifestando isso em atos. E não há nada pior do que isso! Agindo assim, é impossível ser do agrado de Deus. Por tal motivo, cada um precisa saber se está sendo do agrado de Deus ou não. E como discernir isso? É algo extremamente simples, rápido e não dá trabalho. É possível sabê-lo de imediato. Explicarei a seguir.”.

“Quem não está no agrado de Deus, geralmente comenta: “Para mim, nada dá certo. Sofro com problemas financeiros. Meu trabalho não vai bem. Ninguém confia em mim. As pessoas se afastam, e minha saúde também não é boa. Realmente, não entendo por que as coisas não correm satisfatoriamente comigo, apesar de eu me empenhar tanto.” Essa situação é porque a pessoa não está no agrado de Deus. Todavia, se ela estiver, o trabalho fluirá muito bem, inúmeras pessoas se aproximarão, a ponto de ela não ter sossego e obterá recursos materiais em abundância. O mundo, então, se tornará um lugar muito agradável de se viver.”.

“Assim, creio que o leitor deve ter compreendido que a fé só passa a ter valor quando as pessoas se tornam felizes.”.

“Portanto, saibam que, se apesar de professar a fé, a pessoa não alcançar a felicidade, é porque, infalivelmente, a causa reside em seu íntimo.”.

 

A Causa Está Dentro de Mim

Foi isso que irmã Benvinda viveu. Mesmo ela estando a dedicar, ministrando Johrei, fazendo donativo, estudando ensinamento, aqueles problemas ainda estavam pesados. Ela precisou fazer uma reflexão e buscar: “Onde é que eu plantei isso?”

Ela conseguiu encontrar, nessa vida a partir das atitudes dela com a família, toda mágoa que gerou, a bola de neve que isso gerou. Claro que nós sabemos pelos ensinamentos de Meishu-Sama que existe uma afinidade para ela ter herdado os sobrinhos todos, para cuidar de tudo isso. Mas, o interessante é a postura dela. Mesmo dedicando, se empenhando, enfrentando todos aqueles problemas que relatou na experiência, ela não julgou, nem criticou.  Mas começou a procurar a causa dentro de si. Ela viu:  ” O que é preciso fazer a mais!? O que precisa mudar dentro de mim, na minha maneira de pensar?” Ela refletiu: “Eu faltei respeito aos meus pais, gerei uma mágoa grande!”. Fez essa reflexão, reconheceu dentro si as causas e se arrependeu.

Quando nós nos arrependemos de verdade, o mundo espiritual muda e aí nós ganhamos a permissão de limpar as máculas, como aconteceu com ela. Observem quanta coisa mudou na vida dela, dentro dela, na sua família, tanto na família mais próxima como na família mais alargada. Quanta coisa mudou a partir dessa mudança do seu Sonen, das suas crenças.  Por isso, nessa fase que estamos a viver do juízo Final, com tantas purificações em todos os campos da nossa vida, quando estivermos a viver uma situação como a irmã Benvinda relatou, de problemas sérios como ouvimos, não vamos julgar, criticar e nem buscar fora, vamos buscar dentro de nós como Meishu-Sama falou bem claro: “Tem algo dentro do seu íntimo que não está de acordo com a vontade de Deus”. Buscar, o que eu preciso transformar, o que eu preciso limpar. Nisso reside o valor da dedicação, de somar méritos através da ministração do Johrei, do encaminhamento, da prática do donativo, de fazer as pessoas felizes, encaminhando-as para a verdadeira felicidade

Eu penso que nesse momento de grande purificação, essas experiências estão a servir para todos buscarmos alimento para nossa reflexão e para nós podermos fazer uma análise da nossa vida, da nossa dedicação, e seguir esse caminho de buscar a causa dentro de nós. Buscarmos cada vez estar mais no agrado de Deus.

Deus não quer o impossível, pois quem faz o impossível é Ele, Deus. Deus quer o nosso esforço no que é possível para cada um de nós. O nosso esforço sincero é que nos aproxima cada vez mais de Deus. O esforço é: “Se eu posso ministrar 10 Johrei, mas eu só ministro três, eu não estou a fazer o meu esforço. Se posso visitar uma casa por semana, mas não visito nenhuma, eu não estou a fazer o meu esforço. Se posso visitar três casas e estou a visitar as três então estou a fazer o meu esforço!”.  Cada um precisa buscar: “Qual é o meu esforço em casa, com a família, em relação à gratidão, servir à família, a partir do lar. Qual o nosso esforço no campo profissional? Mas, para ficar claro isso para nós é importante o estudo diário dos Ensinamentos de Meishu-Sama. Vamos buscar esclarecimentos na nossa conversa com o Messias Meishu-Sama lendo os seus ensinamentos, aprofundando no seu pensamento. Assim, as coisas vão ficar cada vez mais claras para nós.

Lembrar da Gratidão

Para encerrar, dias atrás eu recebi uma estória que achei bem interessante. É sobre um reino onde o rei era uma pessoa muito rigorosa, muito rígida e quem cometesse algum erro ele mandava jogar no canil com cães ferozes que  devorava  as pessoas. Era bem malvado. Certa vez, um senhor, um servo que trabalhou com ele durante 10 anos, cometeu um erro e o rei falou: “Se ele errou, então não tem jeito, joga para os cães!”. Mas o servo perguntou: “Eu posso fazer um último pedido?”. “Pode!” respondeu o rei. “Me dê pelo menos 10 dias para eu poder servir durante os meus últimos momentos. Dez dias de vida limpando o canil, servindo o senhor, antes de eu poder ser executado!”. “Entendo, está bom, pode ser!” Respondeu o rei. Pegaram aquele senhor, e colocaram ele para limpar o canil. Ele começou a limpar, a dar comida para os cachorros a cuidar deles com carinho e atenção. Passou o primeiro dia, segundo dia e depois de 10 dias era o dia da sua execução.

O rei foi lá para assistir, como sempre fazia. Quando abriram o canil para os cães saírem e matarem o servo, os cães foram e começaram a fazer festa, beijaram e deitaram no pé do servo. O rei admirado: “Mas o que se passa!? Nunca aconteceu isso! Porque fizeram isso!?”.  O rei mandou chamar   o servo: “Traz ele aqui! O que aconteceu!? O que é que você fez com os meus cães para eles não terem matado você?!”  Então o servo respondeu: “Pois é majestade! Eu lhes servi durante 10 dias. Procurei servir os seus cães, dando amor e atenção. Mas em 10 dias, eles não esqueceram o que eu fiz para eles! E hoje que o senhor os soltou eles não me mataram! Mas eu fui fiel ao Senhor durante 10 anos. Porém, pelo que fiz em um dia, o senhor esqueceu os dez anos que lhe servi e mandou me matar! O que eu fiz durante 10 anos, o senhor não levou em consideração!”. Então, o rei baixou a cabeça, pediu perdão e viu que a postura dele estava errada!

Muitas vezes, nós agimos como o rei fez, em relação à Deus. O que Deus dá para nós a vida inteira nós nunca agradecemos. Mas, quando acontece alguma coisa que parece ser ruim, nós esquecemos de tudo o que Deus fez na nossa vida. Então praguejamos: “Mas, eu dedico, não vejo nada! O que é que Deus fez? Deus não existe!”. Esquecemos uma vida de bênçãos e proteções e nos perdemos a lamuriar.

Era isso que eu tinha para compartilhar com os senhores! Muito obrigado! Um feliz mês de junho para todas os senhores! Estaremos juntos no dia-a-dia nos nossos cultos matinais e vesperais. No dia 15 de junho nesse mesmo horário, às 9h00 em Angola e República Democrática do Congo, 10 horas em Moçambique e África do Sul, 8 horas em São Tomé em príncipe e Serra Leoa, nós vamos estar juntos em sintonia com a nossa Sede Central de África a realizar o nosso Culto do Paraíso Terrestre. Muito obrigado! Boa missão para os senhores!

Muito obrigado!

 

[1] Caminho: conduta esperada de um ser humano em termos de ética e moral.