Religião Progressista
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Observando a sociedade actual, constato que não há nada que não esteja acompanhando o progresso. Entretanto, por incrível que pareça, a religião, que tem a mais profunda relação com a humanidade, continua da mesma forma, não apresentando nenhum progresso e tomando, até mesmo, a direção oposta. Como prova disso, as religiões tradicionais pregam para que voltemos às origens, ou seja, ao ponto de partida de seus precursores. Ora, se devemos voltar ao caminho original é porque nos desviamos e, caso tenhamos que proceder assim repetidas vezes, significa que não fizemos nenhum progresso. É realmente um contraste em relação ao avanço da cultura. Tais religiões nos mostram isso claramente à medida que perdem o poder de atrair pessoas e têm dificuldades até para manter a situação em que se encontram.

De fato, todas as religiões que existem atualmente, mesmo sofrendo perseguições e pressões na época de sua fundação – o que parece ser a predestinação de uma religião nova –, de alguma forma conseguiram revigorar-se e expandiram-se intensamente, passando por períodos de esplendor. Todavia, com o passar do tempo, diferentemente do cristianismo, a maioria delas está caminhando para a estagnação. Vamos analisar por que tal fato se sucede.

Sem dúvida alguma, por não acompanharem a marcha do tempo e manterem irredutivelmente os ensinamentos do seu fundador como regras de ouro, acabaram por se afastar da realidade. Em consequência disso, esse distanciamento tornou-se cada vez maior, até que as religiões chegaram à situação atual: são criticadas pela falta de força. Se existe causa e efeito em tudo, é importante que as religiões tradicionais reflitam muito sobre o assunto, pois não há como ficarem indiferentes para sempre. Assim, um dos princípios básicos de nossa religião é que tudo deve progredir e acompanhar o tempo. Esta é a razão pela qual não nos prendemos às formalidades como as religiões tradicionais, economizando tempo e recursos, pois, na prática, o ônus para se manter as formalidades não gera benefício algum. E, além do mais, não há qualquer motivo para as divindades ficarem contentes com elas.

Em face do que dissemos, a missão da verdadeira religião é desempenhar sua função de orientadora, para tornar a vida do ser humano cada vez melhor. Resumindo, podemos afirmar que só uma religião progressista tem capacidade de salvar o homem contemporâneo.

30 de janeiro de 1950

Alicerce do Paraíso vol. 2

Leia também: