Foto para o Mês de Novembro 2020
Sofrimento: Uma Forma de Purificação

A purificação é regida pela Lei da Concordância, como também o são todos os outros fenómenos. Onde quer que se acumulem máculas ou vibrações de natureza prejudicial, produzir-se-á, por lei natural, uma atividade para expeli-las. E isso não somente no que se refere aos problemas de saúde, mas também aos decorrentes da penúria, dos infortúnios, dos acidentes e catástrofes naturais, os quais não ocorrem por acaso: eles são provocados pelos pensamentos e atos humanos. Quando chegamos à compreensão desse fato, começamos a perceber a razão da nossa infelicidade.

A grande inundação da região de Kyushu, no Japão, em 1953, foi a consequência de um acúmulo de impurezas, as quais provocaram essa grande purificação.

As catástrofes naturais, como tufões e inundações, são calamidades provocadas pelo homem; são produzidas pelos maus pensamentos e más ações do povo. Em lugar de nos queixarmos de nossas desgraças e sofrimentos, deveríamos nos convencer de que fomos nós que os motivamos e que a ninguém mais podemos culpar.

Inconscientes desse fato, as pessoas, em sua maioria, julgam que a causa da infelicidade esteja fora delas. Esquecem as suas próprias faltas e atribuem a culpa à Grande Natureza, às outras pessoas, à sociedade, à educação ou ao governo. Homens que muitas vezes ocupam posições de destaque, argumentam e defendem o mesmo erróneo ponto de vista. Contudo, esse fato é um terrível equívoco. Ele permite que muitos se deixem tomar pelo ressentimento, o que, por sua vez, contribui para aumentar as máculas ou toxinas.

Muitas pessoas ficam bloqueadas nesse ponto. Em alguns casos, chegam ao extremo de cometer assassinato ou suicídio, incorrendo assim em sérias consequências espirituais. É a ignorância das verdadeiras causas do nosso sofrimento e das nossas infelicidades que cria o círculo vicioso.

Por Meishu-Sama

Os NovosTempos pág.19

Partilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Leia também: