Manuel Domingos Sessenta

IMG_6627Chamo-me Manuel Domingos Sessenta, tenho 31 anos de idade, resido no Cazenga. Sou frequentador e dedico como auxiliar do grupo terra no Johrei Center do Maculusso.Conheci a I.M.M.A em de Fevereiro de 2017 por intermédio do senhor Manuel frequentador da nossa Igreja.
Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja foram: doenças; conflitos familiares e pobreza.
Com relação ao conflito, tudo começou quando meu pai separou-se da nossa mãe, tinha 5 anos de idade e no total éramos 10 irmãos.
No ano de 2001, meu irmão ao sair de Luanda, a nossa mãe orientou-lhe que queimasse o capim da sua lavra, pelo que abrangiu a casa de um vizinho. Ao se aperceber, minha mãe pediu perdão e pagou os haveres que tinham queimado. Decorrida uma semana, minha irmã cassula de 9 meses, faleceu. Um mês depois, minha mãe ficou doente tendo internado no Hospital Geral do Dondo, durante 7 meses, transferiu-se para Luanda onde veio a falecer.
Em 2012, a seguir faleceu a minha quarta irmã de 32 anos. Passados alguns meses, a minha avó faleceu, meu terceiro irmão também veio a falecer. Com todo esse sofrimento, duplicou ainda mais o meu desespero, pois, era o único irmão mais velho. Ainda no mesmo ano, num dado momento a minha sexta irmã ficou com as pernas inflamadas, deixou de realizar suas actividades. Naquela fase para o nosso sustento, ficava na paragem de táxi para organizar as viaturas até carrega-las, chamado vulgarmente como “lotador”, através do qual, consegui um valor para a minha irmã voltar a fazer o seu negócio. Mas ela como andava muito a pé, sua perna voltou a inflamar. No hospital, os médicos sugeriram que deveria ser amputada. Mas ela teve um sonho que não adiantava amputá-la pois de qualquer jeito viria a falecer. Ao despertar contou-nos o sonho e no dia seguinte ao tentar levantar da cama para aumentar ainda a nossa tristeza, ela caiu e faleceu. Assim sendo, nós que éramos 10 irmãos, acabámos por sobrar apenas 2.
Perdi a razão de viver e tudo que estava a minha volta já não tinha sentido. Como sentia que seria a próxima vítima, pensei em suicidar-me, arranjei uma corda para me enforcar. Ao executar este acto, senti tudo escuro e, apareceu um espírito que ordenou que voltasse, pois, não era o meu dia de partir para o mundo Espiritual.
Nossa tia acolheu-nos em sua casa. Depois comecei a realizar o trabalho de longo curso como cobrador de uma viatura. Foi assim que conheci a minha actual esposa e passamos a viver na casa da tia, onde ela era acometida com maus sonhos quase todas noites. Alugámos uma casa, onde no segundo dia pelo sonho, senti que alguém deu-me duas chapadas e deixei de ouvir em condições e a minha cabeça inflamou. Minha vizinha vendo o meu estado, levou-me a uma Igreja. No dia seguinte às 4 horas de madrugada a referida vizinha, bateu a minha porta preocupada, pois, sonhara com a minha tia que estava revoltada por ela me ter levado a Igreja.
A partir dessa altura deixei de gozar de boa saúde, aliada com turbulências durante a noite. Tínhamos muitas dificuldades para nos alimentarmos, pois, não trabalhávamos. Como tinha sucessivos maus sonhos envolvendo a minha tia, um dia fui a casa contar-lhe o caso. Mas ela ficou revoltada, levantou e mordeu-me o lábio. Com esta situação, ficamos 5 anos sem nos vermos.
Vivia extremamente angustiado através desta situação, a par disso, todas empresas em que trabalhei sempre fui expulso sem acontecer nada de grave.
A última vez que me expulsaram da empresa, fui desabafar com o segurança ao lado. Por sua vez, recomendou que procurasse urgentemente a Igreja Messiânica Mundial, e indicou-me o Johrei Center do Maculusso. No mesmo dia, tive a permissão de localizar  a referida unidade religiosa. Fui recebido pelo plantonista que orientou-me as seguintes práticas:

  •  Receber dez Johrei por dia;
  •  Manter flor de luz em casa;
  •  Dedicar no banheiro e na Nave;
  •  Encaminhar muitas pessoas a Igreja;
  •  Assistir aos Cultos;

Como minha insatisfação era tanta, insisti falando que sinto ódio profundo da minha tia porque ela era a causadora do meu sofrimento, o plantonista reforçou que se quisesse ultrapassar os meus problemas tinha que eliminar os pontos destacados na prática do sonen, ou seja, desde o egoísmo e apego até mentiras e medos.

Fiquei espantado com a orientação pois, ao invés de me atribuir razão, exigiu mudança por minha parte.
Ao chegar a casa passei a refletir sobre as orientações recebidas e tomei decisão de me esforçar para eliminar os sentimentos negativos, como mágoa e ódio dentro de mim. Com isso involuntariamente comecei a chorar.
Dias depois deixei de falar mal da tia, comecei a me esforçar a receber bastante Johrei na nave e encaminhar muitas pessoas na porta da Igreja. Passados 2 dias fui ganhando confiança como se uma nova porta se abria para os meus sonhos.
Fruto do cumprimento das orientações, tive a permissão de notar as seguintes mudanças:

  1. Tive a permissão de mudar a minha maneira de pensar e de encarar as coisas. As turbulências durante as noites e as doenças que nos assolavam frequentemente em casa ficaram ultrapassados;
  2. Certa vez encontrei-me com o meu ex-patrão com quem trabalhei durante um ano, e ele falou-me que precisava de alguém para trabalhar em sua casa. Foi assim que apresentei-lhe a minha esposa que actualmente trabalha em sua casa;
  3. Tive a permissão de fazer uma obra na casa de um empreiteiro, ao se aperceber que não trabalhava, convidou-me a titulo de teste na sua empesa, como gostou do trabalho que realizei. Na 2ª quinzena de Maio assinei o contrato como efetivo;
  4. No dia 20 de Maio do corrente ano, após de fazer a reflexão profunda, consequentemente realizou-se limpeza espiritual em minha casa no fim a minha esposa recebeu assistência religiosa pela primeira vez. Facto que a deixou muito alegre. Dias depois, minha tia que há 5 anos não nos comunicava, voltou a ligar para mim e conversámos já sem ressentimentos.

Para agradecer essas graças materializei um donativo de gratidão. Por permissão do Messias Meishu-Sama, encaminhei 72 pessoas. Faço o dízimo e participo nas dedicações.

Com essa experiência, aprendi que quando nos esforçamos em cumprir com orientações superiores mesmo não entendendo, o Messias Meishu-Sama manifesta a sua actuação eliminando os sentimentos que criam sofrimentos.
Comprometo-me mais na obra Divina de Meishu-Sama, participando na formação de 100 mil famílias convictas.
Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos Antepassados pela permissão de conhecer este caminho da salvação.
Aos Ministros, Responsáveis, Membros e Frequentadores que me têm dado o apoio espiritual, os meus sinceros agradecimentos.

Luanda, aos 24 de Maio 2017

131 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário