O Pragmatismo Religioso

O pragmatismo, apresentado inicialmente pelo conhecido filósofo norte-americano Charles Sanders Peirce[1], tornou-se uma filosofia de âmbito mundial propagada por William James que, hoje, chega a ser considerado seu criador. No Japão, o termo pragmatismo é comumente traduzido como utilitarismo ou practicismo; no entanto, parece-me mais adequado chamá-lo de “teoria em acção”.

Penso ser desnecessário falar minuciosamente a esse respeito, porque se trata de uma teoria que todos que se interessam por filosofia já conhecem. No momento, desejo discorrer sobre o pragmatismo religioso. Já me referi anteriormente a seu respeito, mas torno a abordá-lo, para uma compreensão mais aprofundada.

Quando se menciona pragmatismo religioso, temos a impressão de que todas as religiões tradicionais o estejam adotando. Sabemos que elas realizam, por exemplo, a divulgação por meio de textos, sermões, orações, rituais, abstinências e práticas ascéticas. Lamentavelmente, não chegam a influenciar o cotidiano, que é o mais importante. Falando francamente, elas não passam de uma espécie de aprimoramento espiritual, distante da vida real.

Já o pragmatismo filosófico busca introduzir a filosofia na vida prática, objetivando torná-la útil, o que demonstra claramente o estilo americano. Pretendo fazer algo semelhante; porém, mais do que introduzir a religião na vida prática, desejo estabelecer entre ambas uma relação indissociável.

Ao contrário dos religiosos tradicionais, deixemos de ser intolerantes, isolados ou idealistas. Abandonemos a visão de distanciamento do mundo e sejamos iguais às pessoas comuns, buscando eliminar qualquer indício de fé que cheire a mofo. Ajamos sempre de acordo com o senso comum em todos os aspectos, tornando nossa fé imperceptível aos outros. Creio que a fé deva ser incorporada a esse ponto. Ou seja, trata-se de agir com flexibilidade e adequação.

Com essa explicação, creio que puderam entender, em linhas gerais, o que vem a ser o pragmatismo religioso.

Jornal Eiko nº 106, 30 de Maio de 1951

Alicerce do Paraíso vol. 4

[1] Charles Sanders Peirce (1839–1914) licenciou-se em Ciências e doutorou-se em Química na Universidade Harvard. Ensinou filosofia nesta universidade e na Universidade Johns Hopkins. Foi o fundador do Pragmatismo e da ciência dos signos, a Semiótica.

154 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário