Culto Mensal de Março de 2020

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Sede Central de África – Futungo de Belas

2 de Março de 2020

Bom dia a todos! (Bom dia!)

Os senhores estão a passar bem? (Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!)

Feliz mês de março para todas as mulheres de Angola, de África e do Mundo! Muito obrigado pela presença de todos os senhores!

Quero agradecer do fundo do coração pelo esforço que os senhores têm feito em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por toda a África. Também quero pedir que a nossa gratidão às mulheres, como costumo falar para os senhores, principalmente a partir de nós, homens messiânicos, não se restrinja ao mês de março. Fala-se que março é o mês da mulher, tem homenagem; não é assim!? Vários eventos; mas a mesma coisa quando se diz: dia das mães, dia dos pais. Do mesmo jeito que precisamos honrar pai e mãe a vida toda, nós precisamos também respeitar as mulheres. Apesar de ter tido muitos avanços significativos, mas ainda deixa muito a desejar a maneira como as mulheres são tratadas no mundo inteiro. Em alguns lugares melhor, outros pior, mas respeito, a gratidão, o reconhecimento pelo esforço que as senhoras fazem no dia-a-dia, precisa aumentar cada vez mais, principalmente a partir de nós os homens. O próprio Messias Meishu-Sama foi um exemplo vivo desse respeito e reconhecimento do papel das mulheres na sociedade. Naquela época, na sociedade japonesa, ainda muito conservadora, a forma como Meishu-Sama tratava a sua esposa, como Ele lhe respeitava, ouvia, o facto de ela acompanhá-lo , chocava os japoneses naquela época. 

Meishu-Sama acreditou tanto no potencial das senhoras, que como eu já disse para os senhores em outras ocasiões, a primeira pessoa que ele mandou para levar a Religião Messiânica para fora do Japão, foi uma mulher, a falecida Reverenda Higuti que foi para os Estados Unidos. Então quando leio as notícias, não só aqui em Angola, na África, mas no mundo todo, a violência em relação às mulheres ainda é muito grande! O preconceito, muitas vezes até de pessoas que podem colocar a filha para estudar, mas: “Não! A minha filha não precisa estudar, o meu filho é que precisa!”.  Ainda não acontece muito isso!?(acontece!)  Esse é o tipo de crença que precisamos vencer se queremos realmente construir uma sociedade melhor, construir um mundo melhor. Por isso que é muito importante  aprofundarmos na leitura dos ensinamentos, no estudo das experiências de fé, no pensamento que o Messias Meishu-Sama deixou para servir de Alicerce da Construção do Paraíso Terrestre.

Vamos construir uma fé que se liga ao Messias Meishu-Sama

Os senhores gostaram das experiências de fé? (Gostamos!). Mais uma salva de palmas para os nossos irmãos que relataram suas experiências hoje! O irmão Gabriel e a irmã Denise (Palmas). São duas experiências muito bonitas para estudarmos com profundidade. Ambas experiências estão de acordo com a nossa diretriz de 2020 – “Vamos construir uma fé que nos liga ao Messias Meishu-Sama”. O ensinamento que ouvimos hoje, também faz parte do nosso estudo na construção dessa fé. Porque  fala sobre “A Missão do Ser Humano”. Meishu-Sama diz: “Toda pessoa veio à terra, com a missão de auxiliar na concretização das condições ideais do planeta de acordo com um Plano Divino”. Nesse início, Meishu-Sama fala bem claro qual objectivo da nossa vinda ao Mundo Material. Porque nós precisamos saber qual é o objectivo da nossa vida. Há um livro que eu li na minha infância e adolescência, que é um clássico da literatura mundial. Muita gente pensa que é um livro de criança, mas na verdade é um livro de filosofia. O livro “Alice no País das maravilhas! ” Há um trecho nesse livro em que Alice está perdida, encontra outro personagem e pergunta: “Essa estrada vai para onde? E o personagem fala: “Você quer ir para onde?” E ela disse: “Eu não sei!”. Ele respondeu: “Então para quem não sabe onde quer ir qualquer caminho tá bom!”.

Então nós precisamos saber: “Para onde eu quero ir”, qual é o objectivo da minha vida”, “por que é que eu nasci aqui no mundo material”.

 O Messias Meishu-Sama explica muito claro. Porque muitas vezes nós passamos pela terra, mas nós não sabemos porque nascemos, por que vivemos, não temos um objectivo, ou temos objectivos pequenos, apenas de bens materiais, de posição, de reconhecimento, de fama. Mas o objectivo com que o ser humano foi enviado para a face da Terra é muito maior! Cada um de nós tem uma missão específica, única, mas todos temos uma missão em comum, que é: “Auxiliar na concretização das condições ideais do planeta de acordo com o Plano divino”. “Participar da Construção do Paraíso Terrestre  e na Salvação da Humanidade”. Isso que é construir uma fé que se liga ao Messias Meishu-Sama. Até então mesmo conhecendo Meishu-Sama e os seus ensinamentos, muitas vezes nos dedicamos para resolver um problema, alcançar um objetivo e quando alcançamos nos desviamos, porque o nosso objectivo principal não está claro. “Meishu-Sama, o Senhor me concedeu saúde, me concedeu condição material, paz de espírito mas não é só para eu viver bem com a minha família, eu preciso ser utilizado para levar essa felicidade para as outras pessoas também, a partir da prática da fé na minha casa, a maneira como eu trato da minha família, como eu cuido da minha família, a partir dessa prática da fé no meu local de trabalho, sendo um bom profissional tendo respeito pelo próximo, pela sociedade, não fazendo coisas que prejudicam a minha instituição ou a sociedade onde eu vivo; praticando a fé no dia-a-dia, onde quer que eu vá! “

Tendo como princípio que o caminho para felicidade é fazer o próximo feliz, é ser honesto, é dar o nosso máximo para melhorar a vida das outras pessoas, para melhorar o nosso planeta.

Tivemos a permissão de ouvir essas duas experiências de fé, que mostraram bem claro, que no meio das dificuldades que o nosso irmão estava a viver, ele reflectiu e reconheceu : “Espera aí, eu recebi graças, mas  não estou  a usar a minha vida pra servir!”. Assim que ele reconheceu e retomou o seu compromisso, a sua vida voltou a progredir. Dificuldades vão surgir, mas se tiver bem claro, para onde ele precisa ir, ele não vai se desviar mais e isso precisa ficar claro para todos nós.

A experiência da irmã Denise também, a sua dedicação mudou o seu destino e também da sua família.

 Meishu-Sama fazia sessões de perguntas e respostas. Os fiéis ou faziam pessoalmente ou mandavam as perguntas através dos ministros, e daí nasceram muitos ensinamentos que nos guiam até hoje.

A pergunta: “Entrei para Igreja em 12 de agosto de 1949, sou a segunda esposa do meu marido, que teve dois filhos com a primeira mulher. A mais velha actualmente com 23 anos tem um caso muito sério de histeria, isto torna a atmosfera da nossa família pesada e negativa. Desejo de alguma forma melhorar essa situação, mas ela não tem vontade de professar uma fé e detesta terminantemente o Johrei. Com problemas no estômago, tem tomado sempre remédios. Tem uma filha de dois anos, a quem repreende o tempo todo; de sorte que esta se tornou também uma criança nervosa , irritadiça. O que devo fazer a respeito?”

Meishu-Sama respondeu:”Você deve acumular virtudes. Como consequência disso, os membros da sua família serão purificados através dos elos espirituais. Quando a sua enteada for purificada por intermédio do elo espiritual, desejará entrar para igreja. Enquanto ela não for purificada até certo grau, o seu espírito de fé não será despertado. Para conseguir isto você tem que purificar. Então ela ser purificada por intermédio do elo espiritual. Este é o meio eficiente. As máculas serão eliminadas através do elo espiritual. É excelente que se consiga que ao menos uma pessoa da família seja despertada.”

Então, Meishu-Sama deixou bem claro que pelo elo espiritual é que a família, também é purificada, se eleva, muda o seu destino e se tiver afinidade, vai até despertar para praticar a fé. Mas muitas vezes, nós, mesmo como ministros, como missionários, quando estamos a enfrentar algum problema na família, no trabalho, nós dedicamos com objectivo de que a pessoa mude: “estou a ter esse problema com a minha mulher, estou a dedicar para ver se ela muda!”; e cada vez a pessoa piora. Porque quem precisa mudar somos nós. Nós precisamos nos elevar; e pelo elo espiritual, quem está ligado a nós principalmente a família direta se eleva também.

Eu recebi uma experiência que achei muito marcante, da República da Serra Leoa que eu gostaria de compartilhar com os senhores. É a experiência de uma jovem de 26 anos de idade, que foi encaminhada por uma missionária que falou da igreja e ela gostou. Começou a frequentar a nossa igreja. Essa jovem sofria com conflitos com a família. Tinha um namorado há quatro anos. O namorado queria fazer um pedido para poder se casar com ela, mas ela vivia com os tios e a tia não aceitava; não queria de jeito nenhum que o rapaz se apresentasse, fizesse o pedido, muito menos se casasse com a sobrinha.Ela falou: “Eu tenho esse conflito com a minha tia e o meu tio; já pensei em fugir de casa e ir morar na aldeia com meu namorado, mas só que a família diz que vai me abandonar e eu sofro há mais de 4 anos com essa situação!”.

O missionário que atendeu ela orientou: “Começa a dedicar, e receber Johrei. ” Ele escreveu num papel as práticas que ela deveria fazer: receber 10 Johrei por dia, manter a flor em casa, ler os ensinamentos, encaminhar pessoas. E ela começou a praticar, a frequentar a Igreja.

Depois de algumas semanas, a tia descobriu que ela estava a frequentar uma igreja japonesa. Então a tia reuniu a família e falou: “eu não quero que você vá aquela igreja! Essa igreja deve ser de magia!” Ela pensou: Puxa! Eu estou a me sentir bem!”. Então ela continuou a frequentar a igreja às escondidas, sem a tia saber. A medida que ela começou a frequentar, principalmente a receber Johrei, a oferecer a flor, começou a ler os ensinamentos diariamente, a estudá-los, isso começou a mudar o interior dela. Depois de um mês de prática ela começou a sentir-se muito feliz; mudou a postura dela com a família; e a família comentou: “Mas você está muito feliz, está diferente!”. Os amigos também notaram!  Certo dia, ela esqueceu o livro de ensinamentos que mantinha escondido.  A tia viu o livro e pegou. O livro desapareceu de dentro de casa e ela não podia perguntar onde estava, pois estava a frequentar a igreja escondida. Então a tia quando foi pegar o livro para investigar, começou a ler e viu lá as orientações que ela recebeu. A tia gostou dos ensinamentos e começou também a ler escondida. À medida que a tia  lia os ensinamentos, começou também a refletir sobre a maneira dela de pensar, o que ela precisava também mudar. Gostou muito do conteúdo do livro mas, tinha vergonha de falar com a sobrinha.

Depois de alguns dias que a tia estava a ler o livros e a sobrinha procurar pelo mesmo, este sumiu de novo. Então a tia pensou : “Eu também não posso perguntar onde está o livro!”.  O marido da tia encontrou o livro e também começou a ler escondido. A tia sofria vários conflitos com o marido. Ele também começou a ler e pensou: “Mas esse negócio é bom, isso aqui é profundo!”. Depois de duas semanas com a tia a  procurar, ela  descobriu que o livro estava com o marido e perguntou: “Mas você está com livro é!? Mas esse livro é seu?”. “Não! não é meu, mas…!”.

A tia procurou a frequentadora e falou assim: “Eu sei que você está a frequentar a igreja!”.  Ela pensou que a tia ia ralhar com ela, mas a ela disse: “Eu encontrei o livro e encontrei o papel onde estão as tarefas que você recebeu, mas ali fala para você manter a flor de luz em casa; porque é que você não traz a flor aqui para casa?”. Ela respondeu: “Mas tia, a senhora me proibiu de ir então eu não podia. A flor fica escondida!”. “Não! Mas você sabe que eu tenho muitos conflitos com o seu tio! Como é que você não traz a flor aqui para casa? Traz a flor!”. Ela levou a flor, levou um outro livro para estudar junto com os tios. Os tios começaram a praticar o dízimo, a receber Johrei e distribuir a flor também.

A tia começou a notar uma mudança dentro dela e do marido. Depois de alguns meses a frequentar, a tia sentou com ela e pediu perdão dizendo: “Desculpa! Eu tinha uma rejeição ao seu namorado! Ele pode vir, pode se apresentar!”. O rapaz se apresentou, fizeram os pedidos; fez os pedidos de casamento, casaram no tradicional, casaram na igreja. Hoje ela está a viver bem com o marido dela; a tia e o tio também se harmonizaram e superaram as dificuldades. Ela encaminhou várias pessoas para Igreja. Essa é experiência é que eu queria compartilhar com os senhores.

Leia Avidamente com o Coração

(Reminiscências Sobre Meishu-Sama)

Quando eu li essa experiência eu lembrei de uma reminiscência do Messias Meishu-Sama.Vou ler na íntegra para os senhores:

“Certo dia procurei Meishu-Sama para tratar de alguns assuntos, Após me dar várias orientações Meishu-Sama me perguntou: “Você está a ler os meus ensinamentos?” Eu respondi: “Estou!”. “Estranho! Acho que você não está a ler!” Como eu lia com afinco, retruquei: “Aliás, eu leio várias vezes!”. Então Ele me perguntou: “Com que parte do corpo você lê?”. Ante uma pergunta tão estranha, pois só podia ser com os olhos, por um momento eu não entendi o seu significado e sem jeito respondi: “Leio com os olhos!”. Então, lê com isso né!?”, Meishu-Sama perguntou apontando para os olhos. “Sim Senhor!”. “Assim não adianta! Você diz que está a ler, mas se o ensinamento não está a ser posto em prática, é como se você não estivesse a ler. Portanto leia avidamente com o coração e não somente com a cabeça!”.

Então, nós precisamos além da prática diária e profunda do Johrei, ler os ensinamentos com o coração, com o objectivo de colocar em prática. Essa nossa irmã da Serra Leoa, ao invés de reclamar da oposição da família, ela buscou mudar o interior dela. Essa é a prática de fé que nos liga ao Messias Meishu-Sama; isso é prática de uma fé messiânica que está em consonância com a era do dia. Eu mudando a minha família muda, o meu trabalho muda, a sociedade muda! Precisamos cada vez mais aprofundar nessa fé que nos liga ao Messias Meishu-Sama!

Gostaria de convidar todos os senhores para no próximo dia 22 de março, realizarmos aqui na Sede Central de África, o culto anual da Sociedade da Mulher Messiânica. Todas as senhoras estão convidadas, e todos os senhores também, para podermos juntos agradecer pelas senhoras, que cuidam de nós, que têm paciência connosco. Damos muito trabalho para as senhoras não é!? (Sim). Reconhecemos que damos muito trabalho! Então, no dia 22 vamos juntos participar desse culto aqui na Sede central de África!

Muito obrigado, feliz mês de março e vamos aprofundar junto com o Messias Meishu-Sama na Construção do Paraíso e Salvação da Humanidade!

Muito obrigado a todos! Feliz domingo!

82 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário