Abel Francisco – JC Cunene/Angola

Chamo-me Abel Francisco tenho 39 anos de idade, resido no bairro de Onahumba, cidade de Ondjiva, sou membro e dedico como auxiliar do grupo terra.

Conheci a Igreja Messiânica em 2008, por intermédio do irmão Daniel Kamati, membro da Igreja. Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram: Conflitos, alcoolismo e pobreza durante 12 anos.

No que concerne aos conflitos eu não tinha harmonia com a minha esposa nem com a minha família materna e para o aliviar o sofrimento, passei a frequentar locais de venda de bebidas alcoólicas. Foi nessa altura que o meu amigo Daniel Kamati, compadecido, convidou-me a acompanhá-lo a Igreja, mas por achar estranha a forma de orar recusava o Johrei e as vezes permanecia do lado de fora da nave a esperar que ele terminasse. Duas semanas depois a situação piorou. Perdi a consideração da família, entrei em conflito com patrão e fui expulso do serviço. Não hesitei mais e procurei o meu amigo Kamati para me levar à Igreja.

Na Igreja fui recebido pelo plantonista que após ouvir-me atentamente orientou-me as práticas básicas de fé.

  • Receber 10 Johrei por dia,
  • Manter a flor de luz em casa,
  • Participar dos Cultos,
  • E ler ensinamentos de Meishu-Sama. e

Cumpri as orientações sem vacilar e depois de um mês, deixei de fazer o uso de bebidas alcoólicas, os conflitos forma ultrapassados e o meu patrão que havia me expulsado do serviço me chamou de volta.

A experiência de fé que passo a relatar com os senhores está relacionada com a ingratidão.

Depois de todas as graças acima citadas, fui orientado a dedicar para agradecer através do encaminhamento de outras pessoas à Igreja, distribuição de flores e fazer o dízimo. Porém, fiquei revoltado com as orientações, cai na ingratidão e voltei a frequentar a minha antiga Igreja porque pensava: “O dinheiro é meu e o dízimo é para beneficiar os pastores da Igreja”.

No início tudo corria bem; havia harmonia no lar e no serviço. Também montei um pequeno negócio e com os lucros das vendas comprei duas motorizadas.

Cinco anos depois os mesmos problemas voltaram acrescidos. Perdi o emprego, a minha cantina foi assaltada duas vezes e os gatunos levaram todos os produtos, por último também roubaram as motorizadas. O desespero tomou conta de mim; voltei a usar bebidas alcoólicas. Inconformado contactei 3 quimbandas na Província do Cunene onde gastei avultada soma em dinheiro, mas sem resultado. Desta feita, fui à Província de Benguela mais propriamente ao Mdombe Grande onde visitei mais um quimbanda. O mesmo disse que o tratamento seria na Província da Huíla no Município do Quipungo e para isso cobrou-me 120.000.00kz, sendo 70.000.00kz custo de deslocação e 50.000.00kz de tratamento, depois de tudo orientou-me a voltar para casa e garantiu-me que os bandidos iriam se apresentar em minha casa com as coisas roubadas. Esperei durante um mês, mas ninguém apareceu.

Foi a meio desse sofrimento que decidi voltar a frequentar a Igreja Messiânica. Comecei a praticar as orientações recebidas e com o dinheiro que ainda me restavam fiz o donativo de ingresso na Fé.

Para sustentar a família, comecei a capinar nas ruas da Cidade e nos quintais, mas por falta de firmeza na fé e apego, nem sempre conseguia fazer o dízimo dos valores que recebia. Por causa disso, passei por um aperto financeiro e conflitos conjugais. Para piorar, a minha sogra faleceu na província da Huíla e não consegui participar do óbito por falta de dinheiro para a passagem. Seis meses depois, ganhei permissão de começar a trabalhar numa hospedaria como segurança e tomei decisão de passar a fazer o donativo correctamente.  Com esta prática e outras, os problemas foram sendo solucionados. A vida financeira melhorou e a paz começou a reinar no lar.

Para retribuir as graças recebidas materializei donativos especiais de ingresso na fé e de ingresso na Igreja para melhor servir a Obra Divina e em Fevereiro de 2019 recebi o sagrado Ohikari.

Sou cadastrado, tenho a horta caseira e acompanho 3 casas com um total de 10 pessoas.

Aprendi que a nossa felicidade esta na obediência em praticar os Ensinamentos de Meishu-Sama.

O meu compromisso é continuar a servir a servir a obra de Meishu-Sama.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de conhecer este caminho da salvação.

A todos que contribuíram para o meu crescimento espiritual e aqueles que comigo partilharam este relato de fé os meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigado!

73 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário