Judith Inácio Domingos – JC Futungo/Luanda-Angola

Chamo-me Judith Inácio Domingos, tenho 55 anos de idade, sou missionária e dedico como encarregada da Saúde Pública da Região Sul.

Tive a permissão de conhecer a Igreja Messiânica em Agosto de 1996, por intermédio da irmã Natália Coca.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram conflitos conjugais, familiares, doenças e pobreza.

Quanto aos conflitos conjugais, tudo começou quando me casei em 1990. Após o casamento, o meu ex-marido passou a consumir bebidas alcoólicas em excesso, chegando ao ponto de não conseguir ir trabalhar, quando por fim perdeu o emprego. O seu comportamento causava-me muito sofrimento, porque o pouco dinheiro que eu guardava para o sustento de casa ele tirava para gastar em bebedeiras com os amigos.

Em 1992 comecei a adoecer com paludismo crónico e mioma que me causava muita hemorragia. Em busca de solução não só para os meus problemas como também para os do meu ex-marido, frequentamos casas de quimbandas, hospitais e igrejas espíritas, mas não tivemos resultados satisfatórios. Um dos quimbandas disse que o causador dos meus sofrimentos era o meu pai. Com isso, fiquei com mágoa passando a vê-lo de uma forma negativa.

Como na altura era estudante de medicina do quarto ano e por causa dos problemas que vivia não conseguia assimilar em condições as matérias e estando em exames, reprovei. Na época, a senhora Natália minha colega, como sabia dos meus problemas, compadecida com o meu sofrimento, falou-me da igreja Messiânica e dos milagres que nela ocorrem. Sempre que me convidasse rejeitava, até que num determinado dia aceitei o convite.

Na unidade fui recebida pelo plantonista que, ouvindo atentamente o relato dos meus sofrimentos, orientou-me o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Fazer limpeza na nave e no banheiro;
  • Assistir aos cultos;
  • Encaminhar pessoas à igreja;

Cumpri com as orientações sem dificuldades e, em um mês de frequência, os problemas que enfrentei durante 6 anos foram ultrapassados. Por essas graças recebidas, fiz um donativo de gratidão e de outorga e, em Maio de 1997 tornei-me membro para melhor servir na obra divina.

A experiência de fé que a seguir passo a relatar para os senhores, está relacionada com as peregrinações e o cumprimento das orientações superiores, em aprofundar nas práticas básicas da Fé Messiânica.

Em 2018, tomei a decisão de peregrinar ao Solo Sagrado do Brasil, mas sentia que tinha de levar alguém. Assim sendo, convidei a encarregada da saúde pública do Johrei Center do Futungo. No decorrer da preparação para peregrinar, isto em Agosto do mesmo ano, quando saía de casa para o serviço tive um acidente defronte à Unidade Militar da UGP, onde embati em dois carros, mas graças á Deus e ao Messias Meishu-Sama saí ilesa. Como o meu carro tinha seguro para terceiros, custeei só a minha despesa. A encarregada que eu convidei para peregrinar, quando ouviu o sucedido, ficou desmoralizada uma vez que estava a contar com o meu apoio para a viagem; mesmo assim tranquilizei-a no sentido de juntas agradecermos e reconhecermos que era purificação. Continuamos a tratar assuntos relacionados com a peregrinação, mas a minha convidada continuava com dúvidas. Certo dia, ao peregrinarmos ao Solo Sagrado de Cacuaco, enquanto dedicávamos, a mesma disse que ouviu uma voz que dizia:” se dinheiro do casamento do teu filho conseguiste, é da peregrinação que você acha que não vai conseguir? “. Foi assim que ganhou mais convicção em peregrinar ao Solo Sagrado do Brasil e dessa forma lá fomos nós para Guarapiranga.

Desde 2017, devido à carga horária de trabalho que não conseguia alinhar o meu Sonen com o do Messias Meishu-Sama, por mais vontade que tivesse, sempre aparecia uma desculpa para não dedicar, alegando falta de tempo. Dessa forma, dei entrada de uma carta de pedido de transferência para um outro hospital na periferia, materializando também três donativos especiais para merecer a permissão. Como esperava ansiosa pela resposta e esta não vinha, fiquei triste, aborrecida e assim decidi esquecer o assunto. Quando menos esperava, em Outubro do ano passado, surpreenderam-me com a carta de transferência; fiquei preocupada uma vez que me alertaram que o salário do mês de Outubro cairia no Hospital para onde fui transferida. Aguardando pela colocação, decide esquecer novamente o assunto.

No mês de Novembro, recebi o convite para peregrinar pela primeira vez à província de Malanje, aceitei logo e no dia 20 de novembro do ano passado partimos. Lá, visitamos o Johrei Center do Campo, as Pedras de Pungo Andongo e as Quedas de Calandula, onde levamos flores. Fizemos também a dinâmica de juntar pedras.

Durante a dinâmica senti a presença dos meus antepassados e uma força intensa. Com isso, assumi o compromisso de voltar ao ponto inicial da fé e quando regressei a Luanda obtive os seguintes milagres:

  • Ganhei força nas dedicações levando a flor, o Johrei, cuidando das outras pessoas, ganhando permissão para reativar a equipa da Saúde Publica do Johrei Center e as actividades no Hospital Municipal da Samba;
  • A família em casa despertou para a marcha de Johrei, oração das 21 horas, leitura do ensinamento, participação nos cultos, inclusive um dos meninos manifestou o desejo de se tornar membro coisa que não acontecia;
  • Mesmo não estando colocada em nenhum dos hospitais ainda recebo o meu salário normalmente;
  • O processo familiar da herança do meu pai que foi deixada há 6 anos e que aguardávamos, hoje já deram a resposta.

Como gratidão por todos estes milagres materializei um donativo especial.

Com essa experiência de fé, aprendi que quando colocamos em prática as orientações superiores com sentimento de gratidão, nos ligamos automaticamente ao Messias Meishu-sama e aos nossos Antepassados.

O meu compromisso é de me empenhar nas dedicações, encaminhar pessoas, acompanhar casas e participar na construção do paraíso terrestre.

Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, encaminhei cerca de 500 pessoas à Fé, das quais 24 se tornaram membros e cuido de 5 casas de frequentadores com 13 pessoas. Faço donativos correctamente, tenho altar do lar, horta caseira e peregrino aos locais de maior luz da nossa Igreja.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação em especial a Senhora Natália Coca a quem tenho muita gratidão.

Aos ministros, responsáveis, membros, frequentadores o meu muito obrigada.

118 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário