Eugénia Alegria Milonga – JC Malange Campo – Angola

Chamo-me Eugénia Alegria Milonga, tenho 40 anos de idade. Sou missionária e dedico como Responsável do Johrei center de cafunfo. Atualmente, encontro-me na província de Malanje.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial no dia 11 de novembro de 2005, por intermédio de uma missionária da nossa igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: Doenças, conflitos conjugais e dificuldades financeiras. Quanto à doença sofri com hepatite durante 6 anos, o que levou-me a internar mensalmente em vários hospitais gastando avultadas somas em dinheiro, mas sem obter nenhum resultado satisfatório. Quanto ao conflito, durou um ano.

A irmã Esperança da Caridade, vendo o meu sofrimento, falou-me da Igreja Messiânica e formulou-me um convite. Como já estava desesperada por causa de tanto sofrimento, não vacilei e aceitei o convite.

Na unidade religiosa fui ouvida pelo plantonista, que após escutar meus problemas, orientou-me o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  • Manter a flor luz de em casa;
  • Participar nos cultos matinais e vesperais;
  • Fazer a prática do Sonen todos os dias;
  • Dedicar na limpeza da nave e do banheiro;
  • Encaminhar pessoas à Igreja.

Não tive dificuldade em cumprir as orientações que recebi. Em pouco tempo de frequência, notei melhorias pelas doenças que me assolavam e apostei somente no Johrei. A doença e os conflitos foram ultrapassados.

Este milagre levou-me a ter um forte sentimento de gratidão. Materializei um donativo especial de ingresso na fé e de Outorga para melhor servir na Obra Divina e divulgar o poder do Messias Meishu Sama.

No dia em que recebi o sagrado Ohikari, tive um grande teste no compromisso que formulei com o Messias Meishu-Sama: um dos filhos de uma vizinha que teve um desmaio às 7h da manhã. Assim que tomei conhecimento, decidi ir dar assistência com Johrei imediatamente. Às 12h:45 o menino recuperou-se. A vizinhança, acompanhando este milagre começou a chamar-me de bruxa. Confesso que isto não afetou o meu sentimento, pelo contrário, deu-me mais força e confiança no poder do Johrei.

A experiência de fé que passo a relatar aos senhores está relacionada com a dedicação durante o período da pandemia.

Nesse período de quarentena, fomos orientados a participar dos cultos via Facebook e aprofundar nas práticas básicas dentro do lar, além de dar mais amor à nossa família. Eu e minha mãe decidimos colocar as orientações em prática. Participamos da Oração Matinal online em sintonia com a Sede Central. No princípio, encontrávamos dificuldade de continuar a participar dessa atividade, porém demos continuidade. Com esta postura, vivenciei milagres que passo a relatar:

Meu pai começou a sentir muitas dores no pé e de repente, não conseguia posar no chão. Decidimos fazer assistência com Johrei, pois as pessoas diziam que ele havia pisando uma mina tradicional, ou tala. Fomos ao altar agradecer pela purificação, e pedi a Meishu-Sama que me orientasse naquela hora. A família toda temia que poderia acontecer o pior e para o efeito, materializamos um donativo especial de construção. A purificação acelerou e o mesmo não conseguia se conter com as dores, então intensificamos a prática de Johrei com a leitura dos Ensinamentos de Meishu-Sama. Após quatro dias de assistência religiosa, recuperou completamente e hoje também está a desenvolver a prática de amor altruísta no lar, não deixando de fazer os seus dízimos e outros donativos para agradecer a Deus e Meishu Sama.

No dia 16 de maio, a minha irmã entrou em trabalho de parto e lhe levamos ao hospital. Passamos a noite lá. No terceiro dia, ela ainda não conseguia dar à luz pois estava passar por uma situação difícil.  Em meio ao desespero, ela pedia que eu fosse ter com os médicos para fazerem uma cirurgia. Desorientada, liguei para o responsável da Região e ele por sua vez, orientou-me a fazer um donativo especial de construção do Solo Sagrado de África e limpeza profunda na casa da minha irmã. Comuniquei à família, e assim materializamos o donativo e foi feita a limpeza.

De regresso ao hospital, os médicos não diziam nada, apenas falavam que era um parto muito difícil. Como não podíamos entrar no hospital, decidi aprofundar na ministração de Johrei em todas as pessoas que vinham ver os seus familiares e com a leitura dos Ensinamentos de Meishu-Sama, entre eles um com o Título “Entregue-se a Deus”, cuja leitura repeti inúmeras vezes. Depois de 6 horas, saiu uma parteira e perguntou-me: “A senhora, tem uma pessoa internada na maternidade?” Respondi que sim. Esta por sua vez disse “É consigo que eu quero falar! A sua irmã está quase a ter o parto e precisamos de luvas.” Quando eram 22h:20 minha irmã teve o parto normal e nasceu uma linda bebé.

Minha quarta filha começou a ter um comportamento muito estranho. Ela era muita fria comigo. Como ela vive com minha outra irmã em Luanda, esta comunicou-me o comportamento dela, pediu-me que eu falasse seriamente com minha filha, telefonei e falei com a mesma. Está em resposta disse-me “A mãe sabe o porquê de me comportar assim?” Respondi que não sabia. Ela estão respondeu: “A mãe não se importa connosco e não pergunta como estamos.” Ouvindo essas palavras, fiquei surpresa, pedi perdão ao Messias Meishu-Sama, aproveitei para conversar com os outros filhos e também pedi perdão pela minha postura que tem criado desarmonia na família. Lembrei de uma orientação no sentido de orar em prol da felicidade das outras pessoas. Com esta reflexão, passei a orar pela felicidade de outras pessoas e vencer o meu egocentrismo.

O comportamento dos meus filhos mudou completamente. Hoje, tenho mais amor e gratidão por eles, minha filha está mais amável comigo e a harmonia instalou-se dentro da família.

Com estas experiências, aprendi que a prática do donativo e estudo dos Ensinamentos de Meishu-Sama libertam os nossos Antepassados do sofrimento.

Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, já encaminhei mais de 300 pessoas à Igreja, das quais 153 se tornaram Membros. Sou missionária cadastrada, tenho altar do lar, cuido de 3 casas com um total de 10 pessoas, tenho a horta caseira, pratico o dízimo, donativo de construção, diário e outros.

Meu compromisso é de aprofundar nas práticas da igreja, na formação do elemento humano, peregrinar aos Solos Sagrados do Japão e do Brasil e aprofundar mais ainda na leitura dos ensinamentos de Meishu-Sama.

Ao Reverendo, Ministros, Responsáveis, Membros e Frequentadores e todos aqueles que ouviram o meu relato de fé, os meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigada!

153 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário