Maria Huambo – JC Canata – Benguela – Angola

Chamo-me Maria Huambo, tenho 19 anos de idade, natural do Lobito, Província de Benguela e resido no bairro da Canata. Dedico como encarregada no grupo do servir na unidade acima referida. Conheci a Igreja Messiânica em 2009 por intermédio de meus pais, membros desta igreja. O motivo que me levou a conhecer a Igreja foi a mudança de meus pais em pouco tempo depois do ingresso à igreja.

Sendo criança, meu pensamento era que não tinha pecados, nem problemas a resolver. Mas, meus pais sim e por este motivo tinham obrigação de estar na igreja frequentemente.

Anos depois de me tornar membro, passei a manifestar dores de cabeça constantes e mau aproveitamento escolar. Como consequência, meus resultados no final do ano letivo eram sempre negativos o que algumas vezes me levou a não transitar de ano.

Com recebimento diário de Johrei e participação em certas dedicações, aos poucos as dores de cabeça constantes foram ultrapassadas, mas o mau aproveitamento escolar ainda persistia. Para piorar, eu era uma menina rebelde. Em casa não tinha bom relacionamento com meus irmãos nem com minha mãe e me irritava com as pessoas com muita facilidade.

Na fase inicial de construção do atual Johrei Center da Canata, o responsável numa de suas reuniões orientou para todos nos empenharmos fisicamente, para o aceleramento da construção. Movida pela vaidade, sempre que chegasse na igreja, encontrando outros a dedicar achava que não tinha obrigação de o fazer.  Quando me orientassem a ajudar, de imediato saía da igreja e só regressava no dia seguinte. Mas, não era para dedicar e sim para apreciar e rir dos outros que estavam a se empenhar incansavelmente na construção.

Com esta atitude, os desentendimentos em casa eram constantes. Na escola, não conseguia perceber nada do que os professores explicavam. Até que certo dia, o responsável me orientou a liderar e expandir o grupo do servir, uma vez que já tinha alguma experiência neste sector porque já havia dedicado algum tempo no mesmo, cuidando de meninas com idades entre 13 e 22 anos. Confesso não ter recebido de bom agrado tal orientação e prova disto é que, antes de apostar neste sector, várias vezes na tentativa de escapar da orientação, preferia não vir à igreja e se viesse não permanecia mais de 30 minutos. Diariamente me questionava o porquê que tinha de ser eu a cuidar do servir, quando na unidade tinha muitas jovens adolescentes que podiam fazê-lo. Não encontrando respostas para minhas interrogações, me afastava ainda mais. Nesta fase, comecei a receber muitas advertências dos antepassados que se refletiam no meu estado de saúde e muitas vezes tudo só se normalizava após a materialização de um donativo especial de agradecimento feito pelo meu pai. Na sequência de aprimoramentos constantes, passei a encarar a orientação de cuidar deste sector como um desafio e que para concretização e crescimento do mesmo, dependia sobretudo do meu empenho e Sonen. Assim, comprometida com a tarefa, o primeiro passo foi ter feito a reflexão profunda. De seguida, como no início éramos apenas 2 pessoas, de manhã tínhamos de estar muito cedo para organizar o Culto. Houve vezes que querendo dormir mais um pouquinho, acordava tarde, contando que a outra estivesse aqui para cobrir mas, quando chegasse e descobrisse que ela não apareceu, ficava muito nervosa com a mesma, ao ponto de brigarmos. Daí, a abandonava e passava a cuidar de outra jovem. Pouco tempo depois se esta mesma jovem e eu não nos entendêssemos, deixava de  lhe cuidar sem nenhuma explicação e arranjava outra. Com este comportamento, o responsável incansavelmente foi-me advertindo sobre a necessidade de cuidar das pessoas com amor e que isto requeria  de mim mais tolerância, respeito, companheirismo, amizade para que pudesse conquistar o amor e o carinho das meninas. Mesmo não sendo fácil, muitas vezes, mesmo coberta de razão, tive que dar a mão à palmatória e fui me empenhando aos poucos.

Passo a relatar alguns casos acompanhados:

Uma jovem que estava a vivenciar conflitos em seu lar com seus parentes, não foi fácil trazê-la ao grupo do servir. Para relatar qualquer dificuldade que estava a atravessar em sua vida, era difícil, pois esta achava que sendo menor eu não podia compreender. Sempre que viesse à igreja não demorava, pois achava perda de tempo permanecer muito tempo no mesmo lugar, porque para ela a vida tinha de ser urgente. Na tentativa de trazê-la ao grupo, várias vezes fracassei. Mas, fiz disso um suporte para continuar a tentar, procurava ouvir mais de si relativamente às dedicações e mudanças que podíamos fazer no grupo de modo a atrair mais meninas para dedicarem conosco. Quando deu por si, já estava envolvida e comprometida com o sector. Aos poucos fui conquistando sua amizade, passamos a interagir mais, onde fiquei a saber que a mesma estava a vivenciar conflitos com sua tia. Então, lhe orientei a ser mais paciente e tolerante com os mais velhos em casa. Aos poucos foi mudando e moldando seu comportamento. Hoje, sua tia que já estava cansada dos maus comportamentos da mesma, reconheceu sua mudança, desejando e incentivando que a mesma continue assim. Graças a Deus, ela já conseguiu concluir o ensino médio sem dificuldades e tem-se empenhado no cumprimento das dedicações e consegue materializar seus donativos diários, fruto de seus negócios.

Outra adolescente que é membro, estava a viver problemas de depressão, motivados pelas constantes repreensões por parte de seus tios e por conta disso fazia dela uma pessoa muito solitária, fechada e tímida. Ao procurar saber sobre as reais causas de seu sofrimento, foi quando a mesma abriu seu coração e relatou o que estava a vivenciar fazendo assim sua reflexão profunda. No final, agradecemos e orientei que ao invés de ficar muito tempo em casa, que passasse a vir à igreja com mais frequência e colaborar na preparação dos cultos de quarta e domingo. Também lhe pedi para copiar os ensinamentos de Meishu-Sama.

Na mesma noite, de regresso à casa, por consequência de ter partido uma louça na qual seu tio gostava tanto, este a repreendeu severamente. Por causa disso, ela decidiu sair de casa durante a noite, dirigindo-se até minha casa. Após ouvi-la atentamente, procurei acalmá-la ministrando Johrei. Fui incentivando que, mesmo que seu tio estivesse errado, como menor, cabia a ela pedir desculpas e esquecer a ideia de abandonar a casa. Além disso, ministrar Johrei no seu tio, sempre que tivesse oportunidade.

Momentos depois, já mais tranquila, desistiu da ideia de sair de casa. No dia  seguinte, notei que seu semblante estava diferente e prometeu ficar calma sempre que estiver diante de situação semelhante. Como resultado da mesma ter iniciado a materialização de seu donativo diário, um de seus tios tem enviado sua mesada todos os meses pontualmente, coisa que antes, ou chegava atrasada ou não chegava mesmo tendo sido enviada. Como gratidão, ela está a se empenhar na formação de outras meninas no servir na rede de salvação onde dedica e a rede já conta com um total de quatro meninas no sector .

Outra Jovem frequentadora de 16 anos de idade, certo dia a encontrei na unidade aflita, com falta de ar e minutos depois desmaiou. Fizemos assistência com johrei durante 30 minutos. Ao despertar, procurei saber o motivo do desmaio. Foi quando a mesma relatou que tem tido crises constantes de desmaio por falta de ar, ocasionado pela asma. Orientei a receber Johrei diariamente e a beber muita água. No dia seguinte, regressou à unidade feliz, me surpreendendo com um abraço e agradecendo pelo gesto. A partir daí, passou a fazer parte de nosso grupo. Aprofundando na relação com seus pais, foi quando me apercebi que a mesma residia com sua mãe e  por conta dos conflitos, brigas constantes entre elas, saiu de casa e foi residir junto com o avô. Lhe orientei a pedir desculpas sinceras a mãe e voltar para casa. Cumprindo com a orientação, hoje vive em harmonia com sua mãe, e a senhora tem sido muito grata pelo facto de sua filha ter mudado seu comportamento em tão pouco tempo de frequência na igreja, uma vez que tinha dificuldades de encaminhar a filha por conta dos conflitos. Ao aprofundar no recebimento diário do Johrei, como resultado, a mesma nunca mais teve uma crise já há cerca de 2 meses, o que tem admirado muitos de seus parentes, que lhe dão força para continuar.

Acompanhei um jovem que estava a vivenciar problemas de tuberculose e diariamente tossia quantidades assustadoras de bolas de sangue, o que lhe causava muitas dores e não lhe permitia dormir sossegadamente. Compadecida com a situação, passei a frequentar sua casa diariamente, onde prestava assistência com Johrei acompanhado com a leitura do auto-exame da fé e orientei que se dedicasse a beber água com regularidade. De início achou estranho, mas com o passar dos dias foi exercitando com um copo, depois 2 copos e actualmente já consegue beber 2 ou mais litros de água por dia. Com isto, os resultados foram satisfatórios em menos de 1 mês. Hoje, a tosse que tem não se compara com o estado anterior e já não é acompanhada de bolas de sangue e dores. Com isto, passou a dormir tranquilamente e como gratidão conheceu a igreja.

Actualmente o grupo conta com 20 jovens adolescentes, sendo 6 membros e 14 frequentadoras, distribuídas nas mais diversas unidades ligadas ao Johrei Center. Comprometidas com a expansão do sector, temos agendado tarefas de cuidar da preparação dos cultos de quarta-feira e domingos isto nas terças e sábados. Cinco de nós já praticamos o donativo diário. E todos os dias ou quando podemos, temos estado a auxiliar no sector da locução nos cultos matinais e vesperais. Com a cópia dos ensinamentos de Meishu-Sama, onde cada uma de nós para além de copiar, tem o dever de apresentar seu aprendizado por cada ensinamento, temos estado a ultrapassar muitas dúvidas e sobretudo dificuldades de aprendizagem na escola. Graças a Deus, o grupo ganhou a permissão de ter  2 novos membros outorgadas no passado mês de agosto, na sede central em Luanda.

Mudanças Pessoais:

Com empenho e entrega no sector do servir, copiando os ensinamentos tal como me referi acima, como resultado, passei a ter maior concentração nas aulas e assimilar as matérias dadas com mais facilidade e como resultado tenho tido bom aproveitamento escolar. Com a oração diária em nome de todas as integrantes do sector, consegui ultrapassar a raiva e a frustração que manifestava pelas jovens quando as orientava algo e não cumprissem e aprimorar a capacidade de ouvir um a um. Em casa, já há mais entendimento entre meus irmãos e também com a mãe. Hoje sou mais tolerante e calma em  relação a antes. Depois de passar a materializar meus donativos corretamente, como resultado já consigo gerir melhor a minha mesada, coisa que anteriormente era muito difícil.

Aprendi que o amor ao próximo é a base vindoura para o progresso no campo espiritual e material e que hoje só foi possível chegarmos ao número apresentado acima e manter a união do grupo, graças a proximidade que temos tido umas às outras.

Como gratidão, faço o dízimo, donativos de construção e tenho a horta caseira. Meu compromisso é de continuar a dedicar com afinco no sector do servir com vista à expandirmos mais o grupo.

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, pela permissão de poder conhecer este caminho maravilhoso. Aos ministros, responsáveis, membros e frequentadores e a todos que me ouviram atentamente o meu relato de fé o meu muito obrigado.

131 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário