Angélica José Ndimande – JC Maxaquene – Moçambique

Chamo-me Angélica José Ndimande, tenho 63 anos de idade, sou frequentadora desde Maio de 2020 e dedico no Johrei Center de Maxaquene.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique por intermédio do meu cunhado, João Chirindza, membro da igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram: conflitos familiares, doença, marido da noite e dificuldades financeiras.

No que concerne à doença, desde 2017 que eu sentia algo que me picava desde os pés até ao topo da cabeça, o que me causava mau estar. Além disso, eu tinha um conflito com o meu filho mais novo, pois acusava-me de ser a culpada por ele não ter sorte de conseguir arranjar um emprego.

Ele guardava dentro de si esse rancor, mas nunca se abria comigo. Eu não gostava de ir aos curandeiros, preferindo, por várias vezes, procurar igrejas. Como não conseguia a solução para os meus problemas, acabei por me conformar. Depois de um tempo sem me encontrar com o meu filho, a minha nora veio à minha casa informar-me que estava a ter desavenças com ele e que o relacionamento deles ia de mal à pior. Disse ainda que ele estava doente e que várias vezes o aconselhou a vir ter comigo para conversar, mas tinha muita vergonha, pois o problema era muito grave. Preocupada, perguntei-lhe qual era o motivo da vergonha e ela abriu-se dizendo que o meu filho foi ao curandeiro à procura de sorte e o curandeiro disse-lhe que o motivo da sua falta de sorte nos empregos era eu, a sua mãe, e que para o curandeiro resolver o problema, ele tinha de tirar areia das minhas pegadas e que só assim é que ele começaria a ter sorte nos empregos. Deste modo, fiquei a saber do motivo pelo qual eu estava adoecer. Confesso que fiquei com muita raiva e rancor do meu filho. Anos passaram-se sem nos vermos e muito menos sem falarmos ao telefone, já que o sofrimento ia aumentando e ia ficando mais angustiada.

Foi em meio a este sofrimento que o meu cunhado, João Chirindza, na sua rotina de visita a minha casa, vendo o meu sofrimento, falou-me da igreja. Então, abri meu coração e após ouvir-me atentamente, convidou-me a conhecer o Johrei Center de Maxaquene. Questionei-lhe se seria possível frequentar a igreja mesmo em estado emergência. Em resposta, ele disse que a igreja encontrava-se aberta para oração pessoal e Johrei. Só não haviam cultos, podendo assim falar com a Responsável ou com a Ministra. Posteriormente, comecei a frequentar a igreja.

Após ser convidada a conhecer a igreja, participei da marcha de Johrei, mesmo não tendo sido explicada profundamente sobre a sua importância e das práticas básicas. Quando cheguei à casa, sentia-me bem disposta. Um dos meus filhos que há muito tempo não vinha à minha casa e já não ajudava mais nas despesas, ligou-me, informando que havia enviado um valor para ajudar nas despesas de casa e pediu desculpas por ter parado de o fazer. Imediatamente, liguei para o meu cunhado a informar o sucedido, ao que ele orientou-me a ir falar com o missionário e agradecer pela graça recebida. Assim o fiz. No terceiro dia, tive a permissão de fazer a minha reflexão profunda com o missionário, falando de todo o meu sofrimento, inclusive do rancor que sentia para com o meu filho.

Após ouvir-me atentamente, o Missionário orientou-me a

  • Receber 10 Johrei diariamente durante 30 dias;
  • Manter a flor de luz em ccaa;
  • Fazer o meu donativo diário de gratidão e o dízimo;
  • Encaminhar pessoas;
  • Fazer horta caseira e
  • Participar nas dedicações de limpeza na igreja e em casa.

Após a reflexão profunda, fiz oração no altar junto com o missionário, comprometendo-me em cumprir com as orientações e a perdoar o meu filho pela sua más acções. Decidi começar a fazer limpeza em minha casa, e no dia seguinte aprendi a confeccionar flores de luz, as quais, conforme orientada pelo Missionário, coloquei nos compartimentos da casa. Desde então, os sonhos com o marido da noite cessaram. No dia seguinte, recebi uma chamada e para o meu espanto, era o meu filho, com o qual tinha conflito e não falava há muitos anos. Atendi-o de coração aberto e conversamos normalmente, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama. Desde aquele dia, a nossa relação melhorou bastante. Por estas graças recebidas, fiz o meu donativo especial de gratidão.

Em apenas 15 dias de frequência na igreja já passei a notar mudanças notáveis na minha vida. Decidi então, encaminhar as minhas amigas para a igreja.

Graças ao recebimento de Johrei e cumprimento das práticas básicas, também começaram a notar mudanças nas suas vidas. Uma delas, a Sra. Rabeca, que há muitos anos sofria de dores no ouvido direito. Além desta situação, ela relatou que o seu irmão faleceu, deixando consigo o seu filho. Há muito tempo que ela lutava pela sua indeminização, sem sucesso e já estava a ficar sem forças para continuar a lutar pela causa. Convidei-a a conhecer Meishu-Sama e após 5 dias de frequência à igreja, a dor no ouvido diminuiu consideravelmente e o tribunal ligou-lhe pedindo desculpas pelo atraso no processo e convidaram um dos seus irmãos a aproximar-se ao banco para confirmar a documentação para a sua legalização, graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama.

A Sr. Aventina, que há  2 anos sentia dores de cabeça horríveis. Ela ia ao hospital, mas só receitavam-lhe comprimidos que não surtiam efeito algum. Além disso, ela tinha uma irmã que havia desaparecido e não tinham como contactá-la. Convidei-lhe a participar da marcha de Johrei e ela aceitou. Logo no primeiro dia de Johrei, ela recebeu o telefonema da sua irmã que há muito tempo não via, situação esta que a deixou espantada e ao mesmo tempo feliz e motivada a continuar a frequentar a igreja. Hoje, ela relata que a dor de cabeça que a perturbava tem vindo a melhorar, graças a Deus e ao Messias MeIshu-Sama.

Com estas experiências de fé, aprendi que o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama têm o poder de salvar os antepassados e os descendentes, encaminhando-os ao Paraíso.

Para agradecer pelas graças recebidas e a permissão de servir como instrumento de Meishu-Sama, fiz um donativo especial de gratidão e assumi o compromisso de me esforçar em  receber o sagrado Ohikari e encaminhar mais pessoas ao caminho da salvação.

Já me cadastrei, encaminhei 02 pessoas que estão a frequentar o Johrei Center comigo todos os dias, mantenho a flor de Luz no meu lar e estou a preparar a minha Horta Caseira.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados por me utilizarem como instrumento na Obra Divina.

Aos Ministros, Missionários, Membros e Frequentadores, os meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigado!

79 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário