Maria de Fátima Alberto – NJ Cepa – Luanda – Angola

Chamo-me Maria de Fátima Alberto. Tenho 45 anos de idade, resido no município de Cacuaco, bairro da Cepa. Sou missionária e dedico como encarregada do Sanguetsu da unidade acima referida. Conheci a Igreja Messiânica em 2009, por intermédio de uma missionária por quem tenho profunda gratidão. Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram:

Doenças; conflitos no lar e no seio familiar; dificuldades financeiras, uso excessivo de bebidas alcoólicas e maus sonhos.

Com relação à doença, sofri de dores constantes no corpo, infeção pulmonar e inflamações nas pernas durante 4 anos. Por essa razão, realizei tratamentos em hospitais e casas de quimbandas, tendo gastado avultadas somas em dinheiro sem obter resultados. Por outro lado, os conflitos familiares começaram quando inclinei-me no uso excessivo de cigarros e bebidas alcoólicas. Por razão do intenso tormento no lar, comecei a consumir uma garrafa de bebida espirituosa e fumava um maço de cigarros sozinha diariamente!

Em consequência disso, a minha vida foi tomada pelos vícios e como se não bastasse, comecei a ter problemas nos pulmões. Fruto da minha má conduta, fui abandonada em casa com três crianças pelo marido e os meus familiares também me desprezaram. A renda de casa havia terminado e a proprietária estava a precisar da mesma. Como não tinha para onde ir viver, decidi construir uma cabana ao lado de uma lixeira próxima do bairro. Assim, passamos a viver nela, com muita aflição, porque não tínhamos lugar para nos acomodarmos.

Como a situação estava apertada e tínhamos dificuldades de nos alimentarmos, começamos a ter recaídas. Certo dia, tive uma crise e as minhas vizinhas levaram-me à casa de uma curandeira, a fim de realizarmos tratamentos. Posta lá, a mesma disse que tinha maculo e precisava ser tratada com urgência senão, poderia morrer. Fizemos o tratamento, mas, a situação foi de mal a pior. Diante desta situação, fui levada em estado de coma para o hospital, onde os médicos diagnosticaram-me infecção pulmonar e problema no fígado.

Mesmo tendo efetuado toda orientação recebida na consulta, a situação não passava. Assim sendo, tive um sonho com os meus antepassados a me mostrarem uma igreja com muitas flores e diziam: “Ao saíres do hospital, procura este local!”. Tendo saído do hospital, ignorei o sonho e fiquei em casa à espera da morte. Num belo dia, dirigi-me a uma cantina a fim de fazer compras. Quando o senhor que estava a atender viu o meu estado, indagou-me: ” Vizinha, estás muito magra! Qual é o problema?” Respondi-lhe que andava doente e a situação não passava. Este, por sua vez, falou-me da Igreja Messiânica mundial e dos milagres ocorridos, mas, não dei importância. O senhor, comovido com o meu problema, relatou o facto para a sua esposa, que foi ao meu encontro e acolheu-me em casa. Como se não bastasse, encaminhou-me à Igreja. Na unidade religiosa, fui recebida pela responsável que me orientou as práticas básicas da fé Messiânica.

Cumpri com as orientações sem dificuldades e em menos de dois meses, tudo que estava a sentir ficou ultrapassado e passei a ter mudanças que passo a relatar aos senhores:

Eu, que não tinha emprego, consegui uma vaga numa empresa. Os meus filhos que não estudavam, começaram a estudar e as dificuldades de fome em casa passaram. Eu que não tinha marido durante um ano, consegui arranjar um companheiro que passou a me ajudar bastante, e a minha vida mudou de mal para o bem. A harmonia no seio da família voltou e eu que fumava e consumia bastante álcool, reduzi os meus vícios.

Como gratidão, materializei um donativo especial de ingresso na fé, donativo de outorga e posteriormente tornei-me membro no ano de 2009, para melhor servir na Obra Divina.

A experiência de fé que passo a relatar para os senhores está relacionada com a aula da vivência da flor, donativo de gratidão e assistência religiosa nos lares, durante este período do confinamento Social.

Depois de ter me tornado membro e começado a trabalhar, passei a dedicar frequentemente na Obra Divina, cuidando de outras pessoas. Como já tinha conseguido o que precisava, fiquei vaidosa! Dedicava quando quisesse e aparecia à igreja uma vez ou outra. Assim sendo, tempos depois, comecei a ter advertências, mas, não dava importância. Em 2016, perdi o emprego. Os conflitos no lar agravaram-se de mal para pior. Voltei nas práticas dos vícios, onde passei a fumar e consumir bebidas alcoólicas com mais assiduidade. Parei de ministrar Johrei e de dedicar. O meu sagrado Ohikari caiu. Comecei a lamuriar e criticar a igreja e os responsáveis, alegando que eram os causadores dos nossos sofrimentos.

Os vizinhos, comovidos com a situação, atacavam a responsável da unidade religiosa, chamando-lhe de nomes insultuosos. Desta feita, ao invés da situação melhorar, piorava a cada dia que passava. Como estava há dois anos ausente da igreja e não trabalhava, certo dia, tive a permissão de ser visitada pela minha orientadora. Ela ministrou Johrei na família, realizou a aula de vivência da flor e limpeza no meu lar e convidou-me para participar das actividades da igreja, isto foi no final de 2017.

Em novembro de 2018, ganhei a permissão de peregrinar ao Solo Sagrado de África, onde tive a oportunidade de me reencontrar com a professora responsável da região norte. Ela aproveitou fazer entrevista comigo, convidou-me para participar do culto do Natalício do Messias Meishu-sama e orientou-me a agradecer por tudo o que estava a passar, pedir perdão no esposo e aos filhos por todo o sofrimento que os fiz passar, além de materializar o donativo de pedido de perdão para que todos os Antepassados que se manifestaram através desta purificação fossem salvos. Orientou-me também, para re-consagrar o sagrado Ohikari, ministrar bastante Johrei, fazer aula da vivência da flor nos lares, realizar campanha de distribuição de flores, fazer limpezas e aberturas de hortas nos lares de membros e frequentadores e re-confirmar o meu compromisso com o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama. Disse para eu dedicar e esquecer o que estava a passar, além de aprofundar na dor e sofrimento de outras pessoas todos os dias.

Depois que comecei a praticar as orientações, graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama obtive os seguintes resultados:

  1. Assim que comecei a realizar essas práticas básicas, os conflitos no lar com o esposo e os filhos passaram por completo. Hoje no meu lar, reina paz amor e harmonia.
  2. Depois de ter realizado a limpeza profunda em três casas de frequentadores, os meus familiares da parte materna que há 5 anos não me visitavam, apareceram em minha casa, pediram-me perdão pelo tempo perdido e a harmonia no seio da família voltou.
  3. Com as práticas da realização de quatro hortas caseiras e distribuição de flores na vizinhança, eu, que fazia constantemente o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro, deixei de fazê-los e agora tornei-me uma boa dona de casa, bem respeitada pelas pessoas.
  4. Assim que realizei a aula da vivência da flor nos lares dos fiéis, ganhei a permissão de ter um novo emprego, com um salário melhor.
  5. Nós, que vivíamos em casa de aluguel, conseguimos construir nossa casa própria.

Vendo as mudanças ocorridas no seio familiar, materializei um donativo de gratidão para agradecer ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-sama pela nova missão que me foi concedida.

Com esta experiência de fé, aprendi que não podemos ser do agrado de Deus sem cumprirmos com a directriz. Também aprendi que se cumprirmos com a orientação sem apego e com sentimento de gratidão, é possível sair da miséria, da doença e do conflito, pois certas purificações surgem na vida, devido ao nosso comportamento negativo, que impede os antepassados de se elevarem.

O meu compromisso é de fazer tudo para cumprir a diretriz e ganhar a permissão de participar na Obra Divina juntamente com meus antepassados e com muitas pessoas, participando na construção do Solo Sagrado de África.

Por Permissão do supremo Deus e do Messias Meishu-sama, encaminhei 31 pessoas na igreja, das quais uma tornou-se membro. Faço o dízimo, donativos diários, tenho a horta caseira e participo das actividades da Igreja. Acompanho duas casas de membros e três de frequentadores.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu- Sama e aos meus Antepassados pela permissão de conhecer este grandioso caminho da Salvação.

Ao reverendo, ministros, responsáveis, membros e frequentadores, que directa ou indirectamente tem contribuído para o meu crescimento espiritual, o meu muito obrigado. A todos os meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigada!

77 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário