SELMA FLORÊNCIO CÂNDIDO – KADO SANGUETSU – ÁFRICA

Eu sou Membro da igreja há 32 anos e dedico actualmente como Ministra e Professora Coordenadora de Ikebana no Kado Sanguetsu África.

Os motivos que levaram a minha família a conhecer a Igreja foi a doença dos meus pais.

A minha mãe vivia muito doente devido á uma operação mal feita pelo médico, tendo esquecido uma luva cirúrgica dentro da barriga dela, o que infectou alguns órgãos até a saída da luva. O meu pai tinha a doença de Chagas e os médicos disseram que ele teria no máximo 5 anos de vida. Após conhecerem a Igreja, eles foram orientados a receber o máximo de Johrei possível todos os dias e cumprir com as práticas básicas da fé. Com apenas dois meses de frequência, eles foram melhorando gradativamente da purificação e tornaram-se Membros, tendo de seguida encaminhado os filhos.

Ao contrário do diagnóstico dos médicos, graças ao Messias Meishu-Sama, o meu pai viveu por mais 25 anos, criou os filhos e ainda teve a permissão de conhecer os netos.

A minha mãe hoje está com 78 anos, dedica até hoje na obra divina e já esteve em Moçambique a nos visitar.

Eu cresci dedicando na Igreja e aos 19 anos me tornei integrante da Igreja Messiânica Mundial do Brasil. Dois anos depois, entrei para o seminário, sendo integrante da quarta turma do seminário de formação sacerdotal.

Em 1996 me tornei Professora de Ikebana, estando a dedicar intensamente até hoje. Em 2004, acompanhando o meu esposo, tivemos a grande permissão de vir dedicar em Moçambique, onde vivenciei muitas experiências de fé e pude assim consolidar ainda mais a minha fé no Messias e Salvador Meishu-Sama, como este mês é o culto alusivo ao Belo, vou relatar para vocês a experiência que foi para mim um divisor de águas na minha fé com a flor do Messias Meishu Sama.

Dois meses após chegar à Moçambique, purifiquei severamente. Eu tive Cistite durante 2 meses, cujas dores eram intensas, principalmente durante a noite. Recebia Johrei intensamente e como à noite as dores intensificavam, o meu marido passou várias noites em claro ministrando Johrei para mim.

Foi em meio a esta purificação que, certa noite, sonhei pela primeira vez com Meishu-Sama. Ele chegou ao lado da minha cama e disse: “Chega de sofrimento. Vou deixar aqui para você um exército para te salvar.” Depois foi embora. Quando olhei, era um balde cheio de flores, especificamente os crisântemos amarelos.

As flores saíram do balde em fileira e envolveram o meu corpo todo. Nessa noite, dormi tranquilamente. Ao amanhecer, estava totalmente curada. Em reflexão, percebi que esse exército que Meishu-Sama me deixou não era só meu, mas de toda a humanidade. Por isso, me entreguei de corpo e alma na Obra Divina de salvação da Humanidade.

Diante de tal acontecimento, posso afirmar com toda a convicção que a flor de Meishu-Sama é a flor da salvação.

Eu gostaria de partilhar com os senhores algumas das várias experiências de fé vividas pelos nossos alunos de Ikebana sobre o impacto do belo nas suas vidas e nas das pessoas com quem tiveram a oportunidade de servir como pioneiros de transformação das suas vidas através da flor.

Sandra Lourenço Nhavoto

Ela é Membro há 14 anos, Missionária da igreja, dedicante do Sanguetsu e aluna de ikebana do nível *Aprofundamento VI*.

Certo dia, ela estava a confeccionar flores de luz com o seu filho, no quintal de casa e naquele momento, passou na rua em frente à casa, um senhor vizinho, todo chateado e ia brigar com um inquilino seu que não lhe estava a pagar a renda da casa. Ao caminhar, ele viu-lhes a fazer as flores, uma vez que já haviam algumas prontas na bandeja.

Curioso, ele parou, perguntou se poderia entrar e foi autorizado. Ao se aproximar, ele perguntou se os embrulhos eram biscoitos, mas a senhora Sandra explicou-lhe que se tratavam de flores de luz. Ele observou durante uns cinco minutinhos todo o processo de confecção e depois agradeceu e se despediu. Só que antes de ele ir, foi-lhe oferecida uma flor de luz, a qual após apreciar, resolveu se abrir e contar o que lhe estava a atormentar, dizendo: “*Oha, muito obrigado! Lá para onde eu ía, não ia fazer boas coisas. O meu inquilino está a dever-me 3 meses de renda. A minha intenção era ir agora, tirar os pertences dele da casa e mandar-lhe embora, mas agora que recebi esta flor, a paz instalou-se no meu coração. A mágoa e raiva que sentia dentro de mim, desapareceu. Eu vou voltar para casa, não tenho mais vontade de brigar*.”

De facto, ele voltou para casa, levando consigo a flor de luz. Três dias depois, ele foi novamente à casa da senhora Sandra para relatar a graça que havia recebido. O seu inquilino contactou-lhe e foi pagar a renda, saldando a dívida de três meses na totalidade e ainda adiantou o pagamento de mais um mês.

Julieta Xadreque Machavana

Ela é Membro há cerca de 13 anos e é aluna de ikebana do nível *Aprofundamento VI*.

Durante a quarentena, em algum momento ela se acomodou e esqueceu-se de dedicar na distribuição de flores. Entretanto, algumas crianças iam à sua casa pedir-lhe flores de luz e foi assim que ela despertou para o facto de que tinha uma missão para com a flor e que precisava de cumpri-la e assim o fez, tendo conseguido distribuir cerca de 30 flores colhidas no seu próprio quintal.

Com esta dedicação, ela conseguiu encaminhar 4 pessoas, duas das quais a sua inquilina e seu neto tornaram-se frequentadores da igreja. A senhora tinha a boca virada para o lado e a língua fora, situação que já se alastrava há dois meses. Na tentativa de obter a cura, foi-lhe dito que precisava aplicar fezes de porco na cara, ficar o dia todo assim e só retirar no dia seguinte quando fosse tomar banho. Obviamente, isto não surtiu nenhum efeito. Quando soube desta purificação, a senhora Julieta passou a ir à sua casa para dar assistência religiosa. Durante a visita, além de ministrar Johrei, fez a horta caseira e oferecia a flor de luz.

Além da sua condição de saúde, tinha muito conflito com os filhos, os quais não a respeitavam, não ajudavam financeiramente e dificilmente lhe dirigiam a palavra. Foi devido à este estres todo que ela ficou com a boca virada e desde então, a situação com os filhos piorou. Um dos filhos, não conseguia arranjar emprego. Ao tomar conhecimento do seu sofrimento, convidou-lhe a vir à igreja para receber bastante Johrei. De início, ela não queria porque dizia estar cansada de andar de igreja em igreja e não ver mudanças na sua vida, mas persistente, a senhora Julieta disse-lhe que não precisava de permanecer na igreja, que apenas iria lá para receber Johrei.

Além do mais, fez a vivência da flor na casa deles, ministrou Johrei e uma semana depois, o filho ganhou a permissão de arranjar um emprego. A convivência com os filhos melhorou bastante, pois os conflitos cessaram, os filhos já respeitam a mãe e ajudam-na financeiramente. A sua face voltou ao normal, já consegue dormir tranquilamente e assim despertou para vir conhecer a igreja e assim o fez. Hoje, ela vai com mais frequência à igreja e está a se esforçar em cumprir com as orientações recebidas. Como gratidão, conseguiu encaminhar o seu neto, que também está a frequentar assiduamente.

Graças ao seu esforço na dedicação com a distribuição de flores de luz, a frequência no curso de ikebana e confecção das ikebanas da Sede Central, a senhora Julieta ganhou a permissão de se reencontrar com o seu filho que não via há cerca de 8 anos. Ela havia perdido o contacto com ele e por isso não sabia do seu paradeiro e nem como ele estava. Conseguiu reencaminhá-lo à igreja, uma vez que ele era membro afastado e hoje, ele dedica com bastante afinco, junto com a mãe e está a se preparar para a re-outorga do sagrado Ohikari.

Para mim é gratificante poder ouvir estas experiências de fé e muitas outras que estão sendo vivenciadas pelos alunos de ikebana, pois permitem consolidar ainda mais a nossa crença na actuação de Meishu-Sama através da coluna do belo.

Aprendi com estes anos de carreira Missionária que quando você deseja verdadeiramente servir o Messias Meishu-Sama, naturalmente ele nos utiliza.

O meu compromisso é de me empenhar cada vez mais em semear a felicidade na vida das outras pessoas, buscando despertar o maior número possível de pessoas para participarem da construção do mundo ideal e salvação da humanidade.

Agradeço profundamente ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela bênção de trilhar o Caminho da Salvação.

Agradeço á todos os meus Superiores em especial ao Reverendo Cláudio e ao meu esposo pelo suporte, orientação e paciência com que me têm orientado.

94 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário