MADALENA JOÃO DALA – JC MALANGE CAMPO – ANGOLA

Chamo-me MADALENA JOÃO DALA, sou missionária, dedico como encarregada do Sorei-Saishi, e cuido da Rede de Salvação da Catepa.

Como preparação do culto anual às Almas dos nossos Antepassados, durante o mês de outubro, tivemos a permissão de aprofundar nos seguintes pontos: Ministração de Johrei na família, leitura de ensinamentos, encaminhamento, limpeza, distribuição de flores, implementação de hortas caseiras, assistência religiosa, participação nos cultos e aprimoramentos on-line e aprimoramento sobre Sorei – Saishi com os jovens.

Como resultado, vivenciamos algumas experiências.

Uma missionária vivia em constante conflito com os seus filhos, pois eles estavam perdidos no vício do álcool. Devido a isso, chegou ao ponto de não querer ver os amigos dos filhos em casa. Uma semana depois de ter se enquadrado na equipa de acompanhamento da Rede de Salvação, nasceu nela o desejo de procurar o seu filho mais velho e lá convidou a família com o objectivo de realizar a marcha de Johrei no lar. Enquanto ministrava Johrei com leitura de ensinamento, surgiu uma forte tempestade, que acabou levando a cobertura de casa deixando a família ao relento. Preocupados, os vizinhos foram comunicar às autoridades locais e a comunicação social, pois presumia-se haver mortes em função do embate.

Quando as autoridades chegaram com o corpo de bombeiros e a comunicação social, encontraram todos são e salvos. E admirados questionaram-se como como foi possível. “Nós confiamos em Deus e no Messias Meishu-Sama e estávamos em oração (Johrei) por isso é que quando a ventania levou a cobertura, nada sofremos!”, respondeu a missionária.

“Como isto foi possível se mais casas foram destruídas!?”, retrucou o responsável das entidades. “Eu pratico o Johrei!” continuou a missionária. “O Johrei é a Luz Divina; foi ele que nos salvou!”. Depois disso, prestou-se entrevista à televisão pública. Ela materializou um donativo especial, agradecendo pela protecção.

Uma frequentadora, depois de passar a ler diariamente os ensinamentos, despertou para participar das marchas de assistência religiosa. Ela estava preocupada em como seria participar das actividades religiosas depois do regresso ao trabalho. Surpreendentemente recebeu uma ligação do seu chefe, informando-lhe, que na qualidade de Chefe de Secção, ela poderia escolher dois dias na semana para folgar. Feliz, ela tem aproveitado as quartas e sextas-feiras para dedicar. Graças a isso, ela começou a praticar a orientação, colocar Deus e Meishu-Sama em primeiro lugar, e ganhou a permissão de encaminhar os colegas de serviço.

A minha filha, que professa outra religião, participou de uma aula sobre o Sorei -Saishi, onde também falou-se sobre o aborto. Após a aula, ela despertou para começar a receber o Johrei, participar dos cultos e na assistência religiosa. Agora, faz parte da equipa de acompanhamento da Rede de Salvação.

Tenho uma sobrinha que sofre de infecção da pele há mais de três anos. Os seus pais não permitiam que frequentasse a nossa Igreja. Porém, certa vez ao visitar-me ela encontrou-me na Marcha de Johrei com a família. Assim, convidei-a a receber Johrei e a conhecer a igreja e ela aceitou. Na igreja, ela conseguiu falar sobre o sofrimento que passava. Depois, participou do culto mensal de gratidão. Certa vez, a mãe perguntou-lhe se estava a frequentar a igreja Messiânica temporariamente, mas ela respondeu que gostou muito de receber o Johrei, dos cultos e dos ensinamentos e por isso pretende continuar.

Um membro, dedicante do grupo terra, estava afastado da Igreja devido ao trabalho mas, praticava o dízimo com regularidade. A dada altura, ficou desempregado e assim, começou a ter dificuldades financeiras. Recebeu a orientação de participar nas marchas de assistência religiosa com a equipa da rede da salvação. Algum tempo depois, recebeu a graça de ser convidado a trabalhar no estabelecimento do seu tio com folga aos fins de semana que aproveita para dedicar.

No dia 19 de Setembro, enquanto fazia o dever de casa, apareceu uma frequentadora em companhia de uma amiga, que vinha ter comigo para falar de negócios. No final da conversa relatou-me o seu sofrimento, relacionado ao conflito conjugal e dificuldades financeiras. Convidei-lhe a receber Johrei e sem hesitar, aceitou. Enquanto ministrava, ela falou-me que há nove meses o marido não pagava a renda de casa, não dava dinheiro para assistência e tinha pedido a dona de casa que lhe tirasse de casa, alegando não lhe querer mais como companheira.

Tendo recebido Johrei durante mais de 30 minutos, de regresso à casa, para a sua surpresa, o marido apareceu, pediu-lhe desculpas e pediu a dona de casa para não a tirar de casa, porque pagaria a renda assim que os salários saíssem. No dia seguinte, veio receber o Johrei e relatou-me o sucedido. De volta à casa, notou que o marido havia feito compras, arrumou a casa e estava a fazer o jantar. O marido perguntou-lhe de onde vinha, e ela disse que vinha da igreja. Feliz, ele agradeceu dizendo: “Graças a Deus, estás a fazer bem!”. A senhora está a frequentar a Igreja.

Com essas experiências, aprendi que quando aprofundamos na ministração e recebimento do Johrei, nos debruçamos com sinceridade na dor e sofrimento de outras pessoas, os milagres não se fazem esperar!

Desejo aprofundar na tarefa que recebi, objectivando a salvação dos Ancestrais e antepassados, tendo como base as práticas básicas da fé Messiânica, levar a rede de salvação a Johrei Center e de peregrinar no solo sagrado do Japão e do Brasil.

Por permissão do Supremo Deus e Meishu-Sama, estou a cuidar de cinco pessoas que são candidatos a próxima outorga!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão de conhecer o caminho da salvação!

A todos que partilharam do meu testemunho de fé, minha profunda gratidão!

 Muito obrigada!

92 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário