MARIA DO ROSÁRIO MATEUS ALOÍSIA – NJ 1 DE JUNHO – REGIÃO LUANDA LESTE – ANGOLA

Chamo-me Maria do Rosário Mateus Aloísia, sou missionária, e dedico como encarregada de saúde pública e pesquisas científicas da região, na área de Luanda.

Os motivos que levaram-me a conhecer este caminho da salvação foram: doenças, conflitos  e dificuldades financeiras.

Durante um certo período, fui abalada com constantes mortes no seio familiar. Também sofria de febre tifóide, paludismo, a minha voz era muito fina e estava acima do peso. Esta situação durou cerca de 7 anos. Os problemas financeiros duraram cerca de 23 anos.  Trabalhava tanto, mas, o meu salário não era re-ajustado. Foi assim que encontrei uma membro da igreja que convidou-me a assistir o culto dominical, apôs um certo período de conversa com ela, não pensei duas vezes e aceitei o convite para conhecer a Igreja! Fomos até o Johrei Center, onde fui recebida pelo plantonista , que ouviu-me atentamente e orientou-me as Práticas Básicas da Fé Messiânica.

Cumpri com as orientações durante 60 dias sem dificuldades e durante este período, a situação melhorou consideravelmente. Como gratidão despertei para participar na salvação de outras pessoas e no mesmo ano tornei-me membro.

Depois de receber o sagrado ohikari, purifiquei durante 8 dias com hemorragia e 7 dias com disenteria forte, urinava de 5 em 5 minutos; a urina saía com cheiro de antibióticos. Essa situação preocupou a minha família e amigos, que chegaram a pedir-me para ir ao hospital, mas eu sempre dizia :”Isto é apenas um processo de limpeza das toxinas acumuladas no meu corpo”. Com esta determinação, consegui ultrapassar a purificação pela primeira vez com o Johrei o que deixou a minha família alegre. Para agradecer, na altura fiz um donativo especial.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o cumprimento das orientações dos nossos superiores, a prática de assistir os cultos em sintonia com a Sede Central e o encaminhamento durante o período de confinamento.

Trabalho como profissional de saúde pública há 39 anos. Os meus colegas de serviço e alguns pacientes, desabafam comigo todo sofrimento que passam no seu dia-a-dia. Como messiânica, não me sentia bem e fazia-lhes convites para conhecer a igreja . Eles não negavam mas, quando chegasse o dia, apresentavam várias desculpas.

Já neste período de confinamento social, agastada com a situação, procurei o meu orientador e contei-lhe a aflição que passava no local de serviço. Este por sua vez, aconselhou-me a aprofundar na leitura dos Ensinamentos do Messias Meishu-Sama, sem colocar a minha ansiedade! Assim, fui lendo os ensinamentos com o objetivo de crescer espiritualmente. Três meses depois, duas colegas pediram-me um livro de ensinamentos e passaram a estudar em suas casas.

Como resultado, uma delas contou-me do sofrimento que passava já há 40 anos. Ela nunca teve um boa relação com sua mãe; o seu filho estava preso. e desde a sua detenção, não se constituía o processo. Esta situação deixava-a bastante desesperada e com intranquilidade espiritual. Depois de algum tempo, começou a sofrer como o fenómeno de homem nocturno, também via vultos em casa. Devido a isso, inclinou-se no vício do álcool. Até no local de serviço chegava a consumir.

Tive a permissão de encaminhar a mesma até a nave o que deixou-a feliz e graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, contou-me que sente uma certa tranquilidade espiritual. Reduziu o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, e o processo do seu filho finalmente foi encaminhado. Como gratidão materializou um donativo especial de elevação para os seus antepassados e encaminhou a suas irmãs a igreja, que graças a Deus estão a frequentar.

Com relação aos cultos online em sintonia com a sede central durante o período de confinamento, tenho um inquilino que é comerciante e tem feito negócios na província. Devido à cerca sanitária, sua mercadoria ficou retida. Sem saber o que fazer, entrou em desespero.

A sua noiva viajou para o Brasil para fazer compras para o enxoval do casamento e ficou confinada por lá sem conseguir entrar em comunicação com ele. Sem saber o que fazer e como iria sobreviver, entrou em depressão. Num domingo, enquanto eu preparava-me para assistir o culto, refleti sobre as orientações de convidarmos sempre os nossos vizinhos para juntos participar dos cultos. Assim, fiz o convite ao vizinho e ele aceitou. Assistimos o culto e eu pensando que era algo passageiro, graças a Meishu-Sama, ele continuou a participar; pediu-me ensinamentos de Meishu-Sama. Assim sendo emprestei-lhe os o livro Alicerce do Paraíso que ele leu até ao terceiro volumes. Passados 3 meses ele aceitou o convite para conhecer a Igreja. Foi recebido e orientado pelo plantonista. Tem estado a cumprir com as orientações e diz ter tranquilidade espiritual, algo que não sentia antes de começar  a receber Johrei, conseguiu se comunicar com a sua noiva depois de 6 meses sem poderem falar.

Pessoalmente, há 39 anos que trabalho no regime de turno, isto é, de segunda à sexta das 8 às 15 horas. Graças a Deus, no principio do mês de junho do corrente ano, fui surpreendida pelo administrador do Centro de saúde em que trabalho, dizendo: “A dona Maria é a única que trabalha todos os dias neste período, dá-me o teu IBAN por favor!”. Passado um mês, quando fui consultar o salário encontrei um acréscimo de 95%, que agradeci do fundo do coração e materializei um donativo de gratidão!

Com estas experiências, aprendi que quando colocamos as orientações em prática, somos agraciados com a felicidade! Aprendi ainda que o encaminhamento de outras pessoas à igreja, também depende da nossa evolução espiritual!

O meu compromisso é dar continuidade ao cumprimento das práticas básicas e levar a corda da salvação para o maior número de pessoas!

Agradeço ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados por ter nos mostrado este maravilhoso caminho da salvação!

Muito Obrigada!

91 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário