Lúcia Francisco – JC Ecocampo – Luanda

Chamo-me Lúcia Francisco e sou frequentadora.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola em 2018, por intermédio da minha irmã, a quem tenho profunda gratidão.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram: doenças, conflitos familiares e dificuldades financeiras.

 No princípio de 2018, comecei a ter problemas de insónia e sonhava mal. Sonhava com caixões, armadilhas de pássaros e ouvia vozes dentro de casa. Estes sonhos desencadearam doenças, tais como: paludismo, febre tifoide e tossia sangue com pus durante 2 anos.

Para solucionar estes problemas, frequentei hospitais, consumi muitos remédios mas sem nenhum sucesso. A minha família paterna, vendo o meu estado, levou-me às casas de quimbandas onde realizei tratamentos que também não surtiram efeito. Assim, a família materna, sendo religiosa, entrou em conflito com a parte materna.

Devido a essa situação acima, a minha irmã mais velha que se encontrava na Itália em formação sacerdotal, teve de regressar à Angola. Tempos depois, começou a adoecer até que partiu para o mundo espiritual e para agravar a situação, alguns membros da família diziam que eu era a culpada de sua morte. Eu e o meu esposo não trabalhávamos, vivíamos numa pobreza extrema. Decidimos alugar a nossa casa e ir viver num sítio mais distante dos familiares para fugir dos problemas.

Vendemos alguns bens para o sustento da casa e para dar continuidade aos tratamentos. Certo dia, um quimbandeiro, onde fiz tratamentos sem sucesso, aconselhou-me a procurar a Igreja Messiânica Mundial, que oferece a flor. Foi neste quadro de sofrimento, que a minha irmã mais nova, já frequentadora, levou-me até a Igreja, onde fui recebida pelo platonista; este orientou-me as práticas básicas que cumpri sem dificuldades e em pouco tempo, todo esse sofrimento foi ultrapassado. Como gratidão, materializei um donativo especial.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o cumprimento das orientações.

 

No início deste mês de novembro do ano em curso, o meu filho mais velho que trabalha como segurança numa empresa, sofreu um assalto por meliantes, levando a arma que usava nas horas de serviço, não tendo sofrido ofensas corporais. O seu patrão, dono da empresa, deu queixa às autoridades e o meu filho, de imediato, foi preso.

Os dias foram passando, mas a polícia não dizia nada, nem mesmo pediam caução para ele sair da prisão. Muito confusa, dirigi-me até à unidade religiosa em busca de orientação.O responsável levou-me ao altar e juntos fizemos oração com donativo para agradecer a purificação, fazer plantão na nave e marcha de distribuição de flores com encaminhamento.

Comecei a cumprir com as orientações recebidas, onde distribui cerca de 100 flores de luz com o encaminhamento de 10 pessoas pela primeira vez.

Certo dia, estava na nave a fazer o plantão, quando o meu marido ligou dizendo que a polícia nos mandou chamar e que pediam 80 mil Kwanzas para o miúdo sair da prisão. Fui ao retrato do Messias Meishu-Sama e orei entregando o problema em suas mãos. Como não tínhamos os tais valores, pedi ao meu esposo que deixasse Deus actuar em nossas vidas e que a qualquer momento Meishu-Sama faria o seu milagre.

Continuamos a orar e algum tempo depois, os polícias voltaram a ligar, desta vez pedindo apenas 30 mil Kwanzas.

Depois de liberto o meu filho passou a frequentar a nossa igreja. Com o seu empenho nas dedicações e com o recebimento de Johrei, em curto espaço de tempo o mesmo conseguiu um emprego melhor do que o anterior. Com essas graças recebidas, materializei um donativo de gratidão.

Aprendi que, quando seguimos obedientemente as orientações, Deus e o Messias Meishu-Sama nos tiram de vários sofrimentos!

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação!

Muito obrigada!

71 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário