José Bernardo – JC Camama – Região Sul – Angola

Sou membro e dedico como encarregado da administração nesta unidade.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a obediência nas orientações dos nossos superiores.

Na Universidade, encontrava-me com sérias dificuldades em algumas matérias, motivo que me fez ir a recurso em 4 cadeiras, especialmente uma matéria que me custava entender, devido a falta de humildade da parte do professor. Essa situação preocupava a todos nós colegas.

Foi assim que, resolvi pedir orientação à responsável. Ao ouvir-me, disse-me que não me preocupasse, pois que, também já tinha vivido uma situação idêntica, orientando-me a fazer limpeza e a colocar sempre a flor de luz na sala de aulas.

Pus-me a pensar sobre as orientações e acabei por ignorá-las dizendo que seria perda de tempo. Devido às dificuldades em perceber a matéria, as provas não me estavam a correr bem e quis desistir deste ano; aí lembrei-me das orientações da responsável, criando assim uma batalha mental em que pensava se deveria ou não por em prática tais orientações, pois o tempo era curto e já tinha reprovado várias vezes.

Foi anunciado pelo professor que todo mundo tinha ido a recurso, motivo que me deixou muito revoltado e irritado, pois a prova me tinha corrido bem e eu no princípio do ano, assumi o compromisso de me dedicar bastante para poder acabar o ano.
Devido ao sofrimento, perdi a vontade de estudar e comecei a chorar, pois era muito apegado aos estudos e este apego não me permitia desenvolver espiritualmente.

Fiz a reflexão profunda e pensei: “Será que estou a ser útil? “ “Será que estou a ser obediente?”

No dia do recurso, voltei a reprovar, indo a recurso oral, sem saber da minha nota. Mais uma vez, lembrei-me das orientações da responsável e afirmei que tinha que pôr aquilo em prática.

Antes do recurso, tive um sonho em que por baixo de uma ponte, tinha vários mortos. Despertei e pus-me a pensar sobre o mesmo. Então, com sinceridade, fiz os arranjos das flores com ajuda da minha irmã e pedi que Deus e Meishu-Sama me utilizassem como seu instrumento para que tudo corresse bem.

Chegando na faculdade, os meus colegas admiravam as flores, resolvi então espalhá-las em todos os cantos da sala e deixar algumas no banheiro e em outras salas. Um colega elogiou-me dizendo que o trabalho que eu estava a fazer era muito bom, pois há igrejas que só pedem bens materiais e não resolvem nada, ele agradeceu-me pelas flores e foi-se embora.

Finalmente o professor chegou e demos início à prova. Para meu espanto, o professor não olhava para a flor em momento algum, parecia até que a flor não estava lá, como se não existisse. Quando menos esperava, o exame escrito passou para exame oral e só consegui responder a uma pergunta, resolvi então agradecer e entregar tudo nas mãos de Deus e Meishu-Sama e admito que fiquei muito revoltado, pois o professor me tinha dado zero e acabei julgando a flor.

Após alguns dias, o delegado de turma mandou uma mensagem dizendo que eu e mais 3 colegas passamos naquela cadeira. Fiquei espantado e só me restava agradecer. Graças a Deus, todos os outros meus colegas que tinham reprovado, ganharam uma segunda oportunidade.

Através destas graças, decidi esforçar-me mais na obra divina, doando assim o meu tempo a Deus e a Meishu-Sama..
Numa determinada semana, encontrava-me indeciso sem saber se ia cumprir com o plantão e dedicar com os jovens, ou se deveria ficar em casa a estudar; decidi cumprir com a minha missão e no mesmo dia, marchamos em 10 casas e abriu-se uma casa de uma primeira vez. Ao chegar à casa, agradeci pela dedicação e resolvi preparar flores para levar à faculdade no dia seguinte. Lá, como vi que nenhum colega chegava, comecei a espalhar as flores pela sala e em outros compartimentos. Graças a Deus, a flor tocou no coração da secretária da faculdade, que me pediu uma flor e de seguida, convidei-a para receber johrei, quando contou-me que sofria de fortes dores na perna. Depois agradeci e voltei para a sala.

Como o professor ainda não tinha chegado, nasceu em mim o sentimento de fazer oração, encaminhando todos os antepassados que desistiram dos estudos devido à raiva, ao ódio, à revolta e rancor; depois da oração, resolvi fazer a limpeza. Graças a Deus e ao Messias Meishu- Sama, as coisas correram muito bem.

Com esta experiência de fé, aprendi que temos que escutar a voz de Deus e do Messias Meishu-Sama através dos nossos superiores e ter obediência acima de tudo.

O meu compromisso é de encaminhar o maior número possível de pessoas, levando a felicidade ao próximo. Reforço também o meu compromisso como encarregado da administração, abraçando qualquer outra dedicação que tiver a oportunidade de realizar.

Muito obrigado!

112 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário