Yolanda Augusto – CA Cazenga – Luanda

Chamo-me Yolanda Diogo Augusto, sou missionária e dedico como encarregada da Criança África.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola em 2003, por intermédio da minha mãe, Palmira Augusto, membro da nossa Igreja.

Os motivos do meu encaminhamento foram: conflitos dos meus pais e dificuldades financeiras.

A briga dos meus pais, afetavam muito a mim e aos meus irmãos, pois que faltava-nos alimentação e não podíamos estudar por falta de material escolar, entre outras coisas. A mãe era quitandeira, o seu rendimento era insuficiente para nos suportar e o pai, que trabalhava, tinha mais 3 famílias, originando conflitos entre eles.

Na Igreja, como eu era pequena, seguia a mãe no cumprimento das práticas básicas sem vacilar. Passado algum tempo, tudo foi melhorando e como gratidão, ela materializou um donativo especial de ingresso na fé e de outorga, para três filhos e nos tornamos membros.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o cumprimento das orientações superiores.

Após a morte do meu pai em 2009, no ato das cinzas, os meus tios exigiam a repartição do terreno onde vivemos, para ajudar os nossos irmãos de outras mães que viviam na renda. A mãe não aceitou, por causa do número de filhos que ela tem. Esta situação gerou conflitos, no qual os tios afastaram-se de nós, não queriam que os visitássemos, quando isso acontecia, diziam que parássemos pois que não eram nossos pais, que o nosso já havia falecido. Esta situação durou 8 anos.

Assim, dirigi-me à unidade em busca de orientações. À medida que as fui cumprindo, pouco a pouco, fui tendo resultados satisfatórios. Quando chegou a altura do meu noivado, no ato vieram 4 tias faltando apenas os tios.

Surgiu uma outra dificuldade na escrita da relação para efectivar o ato do pedido. O tio mais velho, responsabilizou-se a escrever, mas tudo era teoria. Fui à casa dele, rogando várias vezes, dizia que escreveria mas não houve sucesso. O tempo prolongou-se, 3 meses sem resposta e o dia do pedido foi-se se aproximando. Com isso intensifiquei as minhas dedicações e fui materializando os meus donativos de gratidão, graças a Deus e ao messias Meishu Sama, fomos ter com o tio da parte da mãe que se prontificou e elaborou a relação em 2 dias.

Depois de verificarmos que tudo estava certo, dentro de um envelope, fui entregar aos sogros. Na reunião deles fiz-me presente, onde constatei a ausência de 3 unidades em cada qualidade do produto solicitado pelo tio, outra situação que trouce polémica entre eu e a minha mãe. A mãe empurrava a responsabilidade a mim, sendo culpada de tudo. Senti muita aflição que até chorava.

Uma vez mais, fui à busca de orientação superior.

Após o ato de noivado, nós decidimos nos tornarmos pais e pararmos com o planeamento familiar. Passados seis meses, como não ficava concebida, começamos a ficar preocupados. Foi assim que, fui à consulta de ginecologia mas, não possuíamos valores suficientes para as análises clínicas. Dessa forma, entramos no desafio de orações, leitura dos ensinamentos de Meishu Sama, ministração e recebimento de Johrei.

Duas semanas depois dessas práticas, comecei a sentir sintomas estranhos, no que fiz o teste e deu positivo.

Enfrentei algumas dificuldades durante a preparação para a cerimónia do casamento, mas tudo foi ultrapassado. Hoje, já casados, somos felizes e temos uma menina.

Com esta experiência aprendi que, quando estamos num beco sem saída, devemos ser obedientes e prestativos no cumprimento das orientações recebidas e colocá-las em prática.

Agradeço a Deus, ao messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, por conhecer este caminho da salvação!

Muito obrigada!

112 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário