Lalá Afonso – JC Trindade – São Tomé e Príncipe

Chamo me Lalá Neto Afonso, sou membro desta instituição religiosa, tenho 39 anos de idade e resido na localidade de Cruzeiro – Trindade, distrito de Mé-Zóchi.

A Experiência de fé que venho compartilhar com os irmãos tem a ver com acidente do meu filho e o meu despertar para fazer o donativo especial para construção da Sede Central de S. Tomé e Príncipe.

O meu filho de 21 anos de idade, sofreu um grave acidente de viação quando regressava de uma festa tendo sofrido várias fraturas e queimaduras graves. Penso que só não morreu, porque a mão de Meishu-Sama esteve presente.

No hospital foi atendido pela equipa médica de serviço, que dada a gravidade da situação, pensaram não ter solução. No entanto, depois de uma pesquisa mais aturada sobre o seu quadro clínico optou-se por uma intervenção cirúrgica e consultaram o consentimento família. No impasse da família se aceitava ou não a operação, um dos tios do meu filho disse: se há necessidade de opera-lo, faça, seja lá o que Deus quiser. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama correu tudo bem e assim ele ficou hospitalizado durante 5 meses.

O período de internamento hospitalar do meu filho levou-me a fazer do hospital o meu cantinho do dia-a-dia, para cuidar dele. Não foi fácil como mãe acompanhar o sofrimento do filho com choro de dia e de noite, pelas várias fraturas, queimaduras graves e um braço paralisado por conta do acidente. Do fundo do meu coração não desejo isso para ninguém neste mundo.

Os meus sobrinhos vendo o meu calvário, decidiram dividir o peso dessa cruz comigo e pediram-me para fazer um mapa de escala em que cada um dos escalados, iriam dormir no hospital para apoiar o primo acidentado. E passaram a cumprir pacientemente esse compromisso.

Foram momentos de muita tensão e preocupação e também de graças inesperadas que considero teste do Messias.

Certo dia, duas pessoas do nada me deram uma quantia em dinheiro. Sem saber o porquê não coloquei esse montante na bolsa e, como estava a ir em direcção à nossa Unidade, nasceu em mim a vontade de depositar toda essa quantia na urna. As irmãs de fé que estavam presentes ao saber da minha decisão com relação ao donativo que ia fazer, a situação do meu filho que estava hospitalizado e também da situação financeira que me era exigido, aconselharam-me a fazer parte do dinheiro e deixar a outra para custear as despesas com deslocações à hospital e outros afazeres. Apenas respondi: Preciso agradecer ao Messias Meishu-Sama pela purificação do meu filho. E assim materializei o referido donativo com muita gratidão.

Fui ao hospital e subindo as escadas do Bloco, por incrível que pareça, apanhei uma quantia em dinheiro que serviu para cobrir despesas do dia. E também, passei a ter apoio financeiro que me custava acreditar que era verdade. Pois, os medicamentos outros remédios que não haviam no país, chegavam a mim a custo zero.

Outo facto relevante, é que, enquanto eu estava ocupada com a situação do menino, a minha filha de 13 anos tomou as rédeas dos meus negócios com tanto zelo que chamou a atenção dos clientes e vizinhos em geral. E também apresentou-me um valor em dinheiro, com a loja bem abastecida. Fiquei admirada e muito feliz com esta prestação que não esperava dela. Acredito ter sido actuação do Messias Meishu-Sama.

Foi a meio dessas purificações e graças, que certo dia, eu e a irmã Adelaika Teixeira, depois de assistirmos um culto mensal de gratidão, de regresso a casa, mas ainda no recinto da Sede, começamos a falar sobre o donativo de construção direccionado. Subitamente ela, parecendo pessoa incorporada, me perguntou: Abecy, você faz donativo de construção? Respondi: “Faço!”. E ela continuou: “Mas eu já fiz aquele donativo que dói!”.

Por vários dias, fui perguntado a mim mesma: “Como fazer o tal donativo que dói?”. É com essas reflexões que lembrei que venho participando em vários quixiquílas, mas ainda não tinha desapegado no total de um deles. Foi aí que decidi fazer o donativo que dói com o de maior valor. Tomando esta decisão, começou a manifestar-se o sentimento de dúvida: “Tudo isso?” E fui vivendo esse contraste dentro de mim até quando o valor me chegou as mãos e para a minha surpresa, o sentimento de fazer falou mais alto e acabei por materializar o donativo que dói para construção da Sede Central de São Tomé e Príncipe.

Depois de fazer este donativo, senti-me tão feliz e leve como alguém que tirou um grande peso do corpo. Esse estado de espírito vem continuando a fazer parte do meu dia-a-dia contribuindo para passar a encarar tudo com naturalidade e gratidão.

É de realçar que depois de fazer esse donativo, fui agraciada com oferta de um jogo de Sofá de valor significativamente superior.

Dezoito membros da família viajaram para o exterior, uns para continuar os seus estudos a nível superior e outros em busca de melhores condições de vida.

A situação do meu filho está a evoluir satisfatoriamente. Nesse espaço de purificação, não imaginava esse desfecho. Não é possível decifrar todas as graças e as transformações.

Aprendi que Meishu-Sama e o Messias Salvador esperado pela humanidade. É só acreditar Nele que tudo do certo.

O meu compromisso é de me esforçar na campanha de encaminhamento de novos membros para juntar-se a nós na formação do elemento humano que tanto necessitamos para a grande construção e a grande salvação.

Quero agradecer aos fiéis da Trindade e de todas as unidades que me apoiaram ao longo da purificação do meu filho. Em particular os da unidade de Almeirim.

A todos que pacientemente me escutaram o meu muito obrigada!

75 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário