Augusta Armindo – CA Bié – Região Centro Sul

Chamo-me Augusta Vissapa Margarida Armindo, sou membro e dedico no grupo terra e na área da liturgia.

Conheci a Igreja Messiânica em 2016, por intermédio dos meus pais e tornei-me membro em 2019.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o pensamento positivo:

No mês de Março, tive o desejo de peregrinar à Sede central para o Culto Nacional de Jovens. Em todas as dedicações que eu fazia, só mentalizava a peregrinação. A essa altura, em casa estávamos a passar por um período de apertos financeiros; quando faltava uma semana, a situação ficou ainda mais apertada mas, ainda assim, a crença de que poderia peregrinar também crescia em mim a cada dia. Durante esse período, sempre dizia à minha mamã que iria peregrinar. Já quando faltava apenas 1 dia, recebi o telefonema do nosso encarregado provincial de jovens, a informar que a viagem seria antecipada, que ao invés de sairmos na sexta-feira conforme estava previsto, sairíamos na quinta para nos juntarmos aos irmãos do Huambo. Agradeci e naquele momento comecei a fazer uma limpeza profunda em casa; depois pedi ao responsável que ligasse à minha mãe para explicar-lhe sobre a alteração, bem como para saber se ela me permitiria sair mesmo para esta peregrinação. Algum tempo depois, o responsável voltou a ligar, dizendo que a mãe tinha autorizado; ainda queria perguntar se ela tinha feito chegar o donativo para a passagem, mas algo me dizia para não colocar esta questão senão perderia a permissão. Não tardou, a minha mãe ligou e pediu que me preparasse pois já havia falado com o líder jovem. Outra vez queria perguntar a mamã se fez a entrega do valor da passagem, mas ouvi a mesma voz me dizendo para não questionar a esse respeito.

Na hora marcada da concentração, preparei-me e fui ao encontro do responsável que já estava na paragem e daí partimos. Era engraçado saber que eu estava a viajar sem nenhum dinheiro! Assim que chegamos na Província do Huambo, alguém pagou o táxi para mim. Já onde estávamos hospedados, a maioria dos jovens ficaram muito tristes ao saberem que eu não tinha dinheiro de passagem para a Sede Central. Com a permissão do mundo espiritual, os jovens do Huambo conseguiram a minha passagem e tive a grande permissão de participar do culto.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, o culto correu lindamente e tive ainda a permissão de participar da atividade cultural onde fiz parte do grupo teatral e cantei uma música gospel; para mim, era como se um sonho realizado…

De regresso à casa, viajamos com um jovem da província do Moxico que também participou do culto e o mesmo pagou o táxi para mim da província do Huambo para o Cuito. Confesso que dentro de mim só agradecia do fundo do coração. Mal cheguei à casa, comecei a purificar com febres e gripe mas, com o recebimento de Johrei e a leitura de ensinamentos, graças a Deus melhorei. Dias depois, a minha vizinha informou-me que perto da sua escola tem um restaurante que estava a precisar de pessoas que entendessem de pastelaria. No dia seguinte, depois do dono ter ligado, como encontrava-me na Igreja, terminei a minha dedicação e fui até lá para ser entrevistada.

Na entrevista, o senhor procurou saber que conhecimentos eu tinha de pastelaria; após ouvir-me, mostrou-me o estabelecimento e eu fui dando ideias construtivas que encantavam o senhor, que até eu mesma não entendia de onde vinham essas ideias. No final, disse-me: a partir de hoje, isto está na tua responsabilidade, por favor, traga pessoas responsáveis para trabalhar aqui. Para a minha grande surpresa, o senhor deu-me uma quantia considerável para aquisição de alguns produtos que estavam em falta. Então eu questionei: ainda não comecei a trabalhar, o senhor não me conhece, não será muito prematuro dar-me valores para a compra de produtos? Em resposta ele disse: Apesar de ainda não nos conhecermos direito, não sei porquê, mas sinto-me seguro em lhe dar esses valores. Tenho a sensação de estar com uma pessoa de bem!

Graças a Deus e a Meishu-Sama, já comecei a trabalhar e tudo tem corrido muito bem. Como responsável pelo estabelecimento, já consegui ajudar também duas jovens a conseguir emprego. Uma se tornou frequentadora que acompanho e a outra é minha vizinha que já recebe Johrei. O dono do estabelecimento já teve contacto com Meishu-Sama através da flor pois eu faço um esforço para adornar com flores as mesas do restaurante. Já fiz o convite para o dono conhecer a igreja e estou a espera da permissão para leva-lo. Dizer ainda que na escola tive um bom rendimento e passei de classe.

Como gratidão, materializei um donativo especial.

Na preparação do Culto Nacional de Jovens a ser realizado no dia 31 de Julho, recebemos a orientação de cada um dar o seu máximo nas práticas básicas para ganharmos a permissão de peregrinar até à Sede Central de África. Mas eu não criei esse sonen de peregrinar e quando dedicava no centro de aprimoramento do Bié, ouvi uma voz que dizia tens de ir, para representar a província e leva a Márcia. Dizer que a Márcia é uma jovem que eu cuidava quando dedicávamos juntos na mesma unidade. Como o sentimento que prevalecia era de receber os jovens do Huambo que juntar-se-iam a nós no centro de aprimoramento para a realização do culto em sintonia com a Sede Central de África, ignorei o que ouvi; instantes depois, a mesma voz repetiu o que dissera e desta vez reconheci que era a voz do falecido esposo de uma nossa missionaria que também foi membro da nossa igreja. Disse ainda, vá ter com a irmã Lena que ela te vai dar o dinheiro da passagem. Graças a Deus, a missionária pagou a minha passagem para a Sede Central e tive a permissão de peregrinar com a jovem acima referida.

Estou a cuidar de uma jovem que sofria com homens noturnos e perturbações espirituais; os tios, para terem sucesso na vida, queriam matá-la. Ela fez vários tratamentos tradicionais mas continuava na mesma. Compadecida com o seu sofrimento, comecei a cuidar dela ministrando Johrei, lendo ensinamentos de Meishu-Sama e fazendo vivência da flor. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, os homens noturnos e as perturbações espirituais desapareceram e ela já está a frequentar a nossa igreja.

Gostava também de compartilhar o acompanhamento que tenho feito ao meu irmão mais novo que desde os 5 meses de idade vinha apresentando princípios de paralisia infantil; fez-se vários exames e o diagnóstico foi positivo. De salientar que ele não conseguia segurar nada e nem engatinhava. Minha mãe e eu assumimos o compromisso de ministrar-lhe uma a duas horas de Johrei diariamente. Na verdade foi um desafio, independentemente de estarmos esgotadas ou não, tínhamos que honrar o compromisso. Graças a Deus, com esse esforço meu irmão melhorou. Hoje já está a marcar os primeiros passos, brinca normalmente e até já começou a falar, ou seja meu irmão já está bem de saúde.

Aprendi com essas experiências que, quando colocamos o pensamento positivo e confiamos em Deus, ultrapassamos qualquer tipo de dificuldade. Aprendi ainda que, o Johrei quando é ministrado em estado de união com Deus, o resultado é sem sombra de dúvidas satisfatório.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este caminho da salvação.

Muito obrigada!

98 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário