A Respeito do Espírito da Palavra
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Na Bíblia está escrito: “No princípio era o Verbo. (…) Todas as coisas foram criadas por meio dele.”(86) Isso se refere à ação do espírito da palavra. Vou explicar a respeito partindo do seu ponto fundamental. Evidentemente, o espírito da palavra(87) é formado e emitido por meio da voz, da língua, dos lábios e dos maxilares. A origem dessa emissão é o pensamento [sonen] expresso por meio da palavra. O sonen é a expressão da vontade. Falando de forma compreensível, o sonen entra em ação para expressar alguma vontade surgida no íntimo do ser humano. Naturalmente, a actividade do sonen inclui, ainda, o discernimento do certo e do errado, do bem e do mal, do sucesso ou do insucesso, entre outros. A síntese disso vem a ser a sabedoria. O espírito da palavra é que dá forma à vontade e ao discernimento, entre outros; a acção é que concretiza o espírito da palavra. Por esse princípio, é correto considerar que haja três etapas: o sonen, o espírito da palavra e a acção.

Dessa maneira, o sonen pertence ao Mundo Oculto(88), o espírito da palavra, ao Mundo do Espírito da Palavra e a acção, ao Mundo Material. Em outras palavras, o espírito da palavra é o intermediário entre o oculto e o manifesto. Pode-se dizer que ele é o mediador entre a pensamento e a ação. Creio que assim puderam compreender a importância do espírito da palavra.

O espírito da palavra assemelha-se ao operador de marionetes: manipula livremente deuses e demónios. Irritar as pessoas ou fazê-las rir; preocupá-las ou tranquilizá-las; entristecê-las ou alegrá-las; provocar o conflito ou a paz; obter sucesso ou fracassar, tudo depende do espírito da palavra. Portanto, usá-lo de forma leviana é muito perigoso. Manejá-lo habilmente não passa de uma simples técnica, tal como a de um comediante ou de um contador de histórias. Se, na essência do espírito da palavra, não houver força capaz de manifestar determinada influência, ele perde seu sentido. Mesmo em se tratando de força, há distinção entre a força do bem e a do mal. Em outros termos, o espírito da palavra do mal gera pecados enquanto o espírito da palavra do bem cria virtudes. Portanto, o ser humano deve esforçar-se para usar o espírito da palavra do bem, o qual, se fundamenta no makoto, o qual provém de Deus. Em virtude disso, é imprescindível reconhecer a existência de Deus. Se a pessoa não possui fé, não consegue manifestar o verdadeiro makoto e, portanto, não há condições de a força do bem surgir no espírito da palavra.

1950

Alicerce do Paraíso vol. 4

86 João 1:1-3: Bíblia de Estudo Almeida.

87 Espírito da palavra: no Japão, desde a antiguidade, existe a crença de que há uma espécie de poder espiritual misterioso presente nas palavras e influencia a realidade tal qual seu significado.

88 Mundo Oculto ou yugenkai, em japonês. O termo yugen foi utilizado pela primeira vez em textos filosóficos chineses com o sentido de mistério. Yugen refere-se a um profundo sentimento interno. Meishu-Sama utilizou o termo yugenkai para expressar o invisível mundo misterioso ao qual o sonen pertence.

Leia também: