Benvinda Manhica Baptista

​Chamo-me Benvinda Manhica Baptista, 27786498_564284200588948_218238156_otenho 38 anos de idade, sou membro e dedico como auxiliar do grupo lua no Johrei Center do Morro Bento.
​Conheci a I.M.M.A. em 2009, por intermédio da senhora Isabel Pedro, membro da nossa igreja.
Os motivos que levaram-me a conhecer a igreja foram conflitos familiares e problemas sentimentais, situação que durou cerca de 8 anos.
Os conflitos familiares foram causados por desentendimentos e acusações de feitiçaria, que muitas vezes acabavam em espancamento e morte dos acusados. Como esta situação repetia-se constantemente, vivíamos de costas viradas, cheguei ao ponto de deixar de falar com a minha mãe, as minhas irmãs e outros membros da família. Na altura, pensava que agindo daquela maneira, resolveria a situação. Na busca de solução, consultamos quimbandas e igrejas, mas sem resultados satisfatórios.
​Por outro lado, enfrentei muitas dificuldades para solidificar um relacionamento conjugal, e por mais que tentasse acabava por romper o vínculo de maneira inexplicável. Compadecida com o meu sofrimento, a senhora Isabel encaminhou-me à igreja. Onde fui recebida pelo plantonista que depois de escutar-me orientou o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;
  •  Manter a flor de luz em casa;
  •  Assistir aos cultos;
  •  Ler os ensinamentos de Meishu-Sama diariamente.

​Não obstante o cepticismo em relação aos princípios messiânicos, resolvi experimentar. Recebia Johrei diariamente, contei com a paciência e o apoio incondicional da irmã que encaminhou-me. Comecei a notar algumas mudanças, ganhei paz de espírito, tornei-me mais alegre e confiante. Em 2010, conheci um jovem que actualmente é meu esposo, ganhamos a permissão de construir uma casa e foi promovido no serviço, tive a permissão de concluir o ensino superior em Gestão e Markting.
​Fruto dessas graças, nasceu em mim o sentimento de agradecer a Deus por tudo que me havia proporcionado, materializei o donativo de ingresso na fé, de outorga e tornei-me membro no dia 20 de Agosto de 2010.
A experiência de fé que passo a relatar aos senhores, está relacionada com a força do Johrei, leitura dos ensinamentos de Meishu-Sama e mudança do meu sonen em relação ao servir.
​Conforme relatei acima, depois que tornei-me membro, tive a permissão de receber muitas graças, porém, a medida que o tempo foi passando, o sentimento de gratidão foi esfriando, acostumei-me a receber e não mais tinha vontade de retribuir, deixei de frequentar regularmente a igreja, ministrava Johrei quando pudesse, tudo porque alegava falta de tempo para servir a Obra Divina.
​Não obstante os ensinamentos que lia e os milagres que vivenciava, ainda carregava comigo uma mágoa muito grande pelos meus familiares, evitava manter contacto com eles, inclusive a minha mãe e a minha irmã mais velha. ​Com o tempo, passei a nutrir os mesmos sentimentos pela família do meu esposo, consequentemente ele também alimentava o mesmo sentimento em relação aos meus familiares. Fruto daquela maneira de agir, pensar e sentir, quebrou-se a harmonia no nosso lar, brigávamos a todo instante e achava que a culpa era dele, por isso dizia insistentemente que ele precisava mudar, tinha em mente que estava sempre certa, acreditava que a causa do mal que enfrentava estava dentro das outras pessoas.
​Busquei várias orientações para resolver o problema, sempre que falava com as pessoas só reclamava do meu esposo, da minha família e da família dele. Para aumentar a minha frustração, perdi o emprego, contraí muitas dívidas e sem saber o que fazer para saldá-las, sentia-me num beco sem saída. Quando recebesse orientação para cuidar de alguém, não o fazia, pois dizia que não nasci para ser pastora, por isso não poderia assumir nenhum compromisso na igreja.
​Como o conflito conjugal atingiu proporções alarmantes, baixei a cabeça e procurei o meu orientador, que pacientemente escutou o meu desabafo e no final, estudamos o ensinamento Makoto (sinceridade). A medida que foi explicando cada parágrafo, constatava que a verdadeira causa dos problemas estava dentro de mim e não nas pessoas como pensava. De repente, senti um profundo acanhamento e permaneci em silêncio, o meu orientador concluiu a leitura do ensinamento realçando a última frase do texto que diz: “Homens a chave de todos os problemas está na sinceridade”. Depois do estudo detalhado do ensinamento, orientou-me a entregar as dificuldades que estava a passar ao Messias Meishu-Sama, orientou-me a cuidar de uma casa de frequentador, com sonen de levar a luz de Deus aos antepassados daquela família. Dentro de mim pensei: “Cuidar de uma casa…, eu não tenho tempo, não tenho experiência, como poderei cuidar de uma família?” Antes mesmo de reclamar, disse-me:

​- Abra casas e leve a luz de Deus e os ensinamentos de Meishu-Sama a essas famílias, em caso de ter alguma dúvida liga para mim, quanto ao relatório a irmã terá de enviá-lo diariamente.

​Orientou-me ainda a materializar o donativo de reingresso na fé, aceitei o desafio. Fomos ao altar para agradecer a nova missão, e pedir a Meishu-Sama que me utilizasse como Seu instrumento. Materializei o referido donativo, e comprometi-me a fazer a limpeza em minha casa. Chegando a casa, realizei a limpeza como tinha sido orientada. No dia seguinte, pedi que o Messias me conduzisse a casa de uma vizinha onde fui bem recebida pela família, ministrei Johrei, fiz a prática do sonen, as palavras de luz e li o ensinamento Atmosfera Espiritual, todos ficaram muito felizes e pediram que voltasse mais vezes. Não pude esconder a minha satisfação, por isso prometi que voltaria no dia seguinte.
​Saí daquela casa radiante de alegria e nasceu em mim o sentimento de entrar em mais 3 casas de vizinhos, para levar a luz de Deus e os ensinamentos. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama a semelhança da primeira casa, fui muito bem recebida e desenvolvi as mesmas práticas básicas. No final do dia, enviei o relatório ao meu orientador, que agradeceu pela minha postura de fé e encorajou-me a dar sequência as actividades. Realizei a vivência da flor e montagem de horta caseira em todas as casas. Até a presente data tenho acompanhado estas casas, pelo que passo a relatar algumas mudanças vivenciadas:

  1. Uma vizinha padecia com dores nos olhos, situação que vinha enfrentando há muito tempo e apesar de ter feito vários sacrifícios, não obteve melhorias. Desde que começou a receber Johrei ficou curada, como ainda vive maritalmente, seu esposo manifestou o desejo de contrair o matrimônio, com isso, reuniram ambas as famílias e marcaram a data do casamento para Setembro do corrente ano;
  2. Outra vizinha tinha conflitos com o seu esposo, em consequência disso, o mesmo deixou de dar sustento a família. Depois que começaram a receber Johrei e a manter a flor de luz em casa, o conflito foi ultrapassado, e ganhou a permissão de ser agraciada com um emprego;
  3. Tive Também a permissão de acompanhar uma membro que estava afastada da igreja. Tal como nas outras casas que cuido, fizemos a horta caseira, a vivência de flor e li os ensinamentos de Meishu-Sama. Com o desenvolvimento destas práticas, a membro despertou, voltou a frequentar e actualmente, tanto ela quanto as frequentadoras que cuido, temos feito visita nas casas de outros vizinhos;
  4.  Pessoalmente, tive a permissão de reconciliar-me com o meu esposo, a sua família e a minha. Hoje tenho uma relação agradável com a minha mãe e com a minha irmã, facto que não acontecia há muitos anos; A minha sobrinha que vive comigo despertou, foi enquadrada no grupo terra da unidade e tal como os outros jovens, tem estado a desenvolver as práticas básicas da fé. Fruto de sua dedicação, transitou de classe.
  5. Uma das frequentadoras que tive a permissão de encaminhar, é candidata à próxima outorga.

Para agradecer, materializei um donativo especial de construção e reafirmei o meu compromisso com o Messias Meishu-Sama.
​Aprendi que Meishu-Sama é realmente o Messias esperado pela humanidade, aprendi ainda que quando praticamos com sinceridade as orientações superiores, ganhamos permissão e força de fazer as outras pessoas felizes, e que quando dedicamos com compromisso, recebemos protecção e nos tornamos instrumentos úteis à Obra Divina.
​Faço o dízimo, donativo de construção, participo da campanha de distribuição de flores, cuido de 4 casas de frequentadores e uma de membro. Por permissão do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, encaminhei 65 pessoas a igreja, das quais 6 tornaram-se membros.
​Meu compromisso é participar na formação das 100.000 famílias convictas, ser pioneira na felicidade de outras pessoas, participar na construção do Templo Messiânico e peregrinar aos Solos Sagrados do Brasil e do Japão.
​Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.
​ Muito obrigado.

99 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário