Ensinamento do Mês de Dezembro de 2019

Anteriormente, escrevi de forma objectiva um artigo intitulado “Como é que eu me vejo”, mas, desta vez, pelo contrário, tentarei descrever subjectivamente, tal como é, o meu estado de espírito.
Actualmente, creio que não existe pessoa mais feliz do que eu e estou sempre profundamente grato a Deus. Qual é a razão disto? De facto, eu não sou uma pessoa comum, especialmente pelo facto de Deus me ter atribuído uma grandiosa missão, a qual me esforço dia e noite para cumprir e todos os membros sabem que através disso um incontável número de pessoas está a ser salvo. Todavia, o segredo da felicidade é algo que pode ser facilmente praticado por qualquer pessoa, mesmo que não tenha uma missão especial como a minha.
Tentarei então escrever a este respeito, desejando em primeiro lugar, expor aquilo que carrego sempre no meu coração
Desde jovem, gosto de alegrar os outros, a ponto de isso se tornar quase um “hobby” para mim. Estou sempre a pensar no que devo fazer para que todos sejam felizes. Assim, ao acordar, a minha primeira preocupação é saber o estado de ânimo dos meus familiares e se houver uma só pessoa mal-humorada, já não me sinto bem. Isto é o oposto do que acontece na sociedade, onde geralmente todos procuram saber antes mais nada, como está o estado de ânimo do chefe da casa. No meu caso, procedo de forma oposta, o que me faz sentir estranho e até mesmo um pouco triste. Desse modo, para mim, não há nada mais difícil do que ouvir gritos de raiva, insultos, reclamações, birras e ouvir repetidas vezes o mesmo assunto. Sou sempre pacífico, alegre e abomino o apego. Esta é a minha natureza. Deixem-me dizer que, o que acabo de expor é um dos factores resultantes da minha felicidade e por essa razão, sempre afirmo: “Se não fizermos a felicidade do próximo, não poderemos ser felizes”.
Acredito que o Paraíso Terrestre, o meu maior objectivo, será concretizado quando este meu estado de espírito se propagar e tornar-se comum a todos. Sinto-me constrangido, pois este artigo parece um auto-elogio, mas ficarei satisfeito caso ele traga algum benefício aos leitores.

30 de Janeiro de 1940 Extraído do Livro Alicerce do Paraíso Vol. 1, pág. 30 (Revisado)

96 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário