Súrcia Gonçalves – CA Dundo _ Lunda-Norte/Angola

Chamo-me Súrcia Gonçalves, tenho 18 anos de idade, sou membro e resido no bairro aeroporto/Dundo província da Lunda-Norte.

Conheci a Igreja Messiânica em 2016, por intermédio da minha tia Maria Zeula, membro e dedicante desta igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer esse maravilhoso caminho da salvação foram: doenças e conflitos no seio familiar.

Quanto a doença eu sofria de asma, e teve início quando num certo dia fui deitar lixo por volta das 20 horas. Quando abri a porta da casa, senti um calafrio, senti o corpo todo gelada parecia vindo de um frigorífico, de primeira não dei importância achei que fosse apenas um frio. Em seguida, peguei no balde de lixo e fui deita-lo e ao voltar para casa senti que havia alguém a me seguir e quando olhei para trás não vi ninguém, aí não liguei.

Na noite do mesmo dia, sonhei com alguém que nunca tinha visto a me trazer a carne para que eu comesse, e aí despertei-me logo achei que fosse um simples sonho, quando me levantei, senti-me muito cansada que até não consegui de ir à escola naquele dia. E no do mesmo dia, de noite, ao dormir, sonhei que estava a ser chamada por muita gente, aí acordei novamente.

No dia seguinte, fui contar tudo ao meu pai o que tinha vivenciado naquelas duas noites, porque já não entendia na realidade o que estava a se passar comigo, e no fim da conversa ele disse-me está bem, aí fiquei em dúvida.

Passado um dia, fomos numa quimbandeira onde fizeram-me algumas cerimónias e vomitei uma bolinha em jeito de uma carne embrulhada, no final de tudo, a senhora disse tudo teve início quando eu ia deitar o lixo naquela noite, e quando vi aquela carne percebi logo que havia mesmo recebido.

Em março do ano 2018, voltei novamente a ficar doente, e quando fomos pela segunda vez na mesma quimbandeira. Após ter feito o tratamento disse que eu tinha um casaco no corpo e que com o andar do tempo, o mesmo iria congelar definitivamente proporcionando assim a minha morte. Aí ela evidenciou todo seu esforço e no fim disse que já tinha me libertado do mesmo casaco, mas na verdade não me sentia melhor.

Praticamente a minha vida era um desastre, não se passavam dois meses sem ficar doente, quer dizer, sempre que tentasse recuperar um mês, o outro mês a seguir ficava mais doente.

Como a doença persistia sempre, levaram-me ao hospital marcar consultas e o resultado era negativo, mas as dores eu sentia.

Com o passar do tempo, a minha situação piorava cada vez mais. Houve momentos em que já não sentia mais as minhas pernas, ficava muito fraca e as vezes desmaiava assim do nada ficando no estado inconsciente e só voltava ao estado normal depois de duas a três horas. Mesmo na escola em plena aula, eu caía e me levavam imediatamente ao hospital, apanhava o soro e depois de um tempo recuperava, e assim foi me dificultando também a respiração.

Quando me levaram ao hospital pela quarta vez, foi aí que após o diagnóstico, acusou que eu tinha problema de respiração, ou seja, asma. Por conseguinte, fui receitada vários remédios que passei a tomar seguindo a recomendação médica, mas mesmo assim não surtiam efeitos.

Desde então, passei a vida toda doente e nem conseguia frequentar devidamente a escola, problema este que a minha família já não fica tranquila devido o meu estado de saúde.

Já no início do mês de setembro, sofri com fortes dores de estômago e quando fomos ao hospital, os médicos sugeriram que eu fosse operada. E quando me lembrei de um amigo meu que havia morrido por ser operado, aí fiquei com medo e não aceitei preferi voltar para casa com as minhas dores. Logo em seguida, fui à casa da minha tia receber Johrei, e em pouco tempo a receber Johrei senti que as dores iam diminuindo até chegar ao ponto de não sentir mais nada.

Foi nesse quadro de profundo sofrimento que me deparei com o Messias Meishu-Sama na pessoa acima referida que me falou da igreja e dos milagres que nela ocorrem. Posto lá, fui bem recebida pelo plantonista que após uma longa conversa, orientou-me as práticas básicas da fé messiânicas:

  • receber 10 por dia;
  • manter a flor de luz em casa;
  • montar a horta-caseira;
  • participar nos cultos matinais, vesperais e dominicais;
  • E fazer as orações com donativo.

A experiência de fé que passo a compartilhar está relacionada com o poder Johrei. 

Não hesitei em cumprir com as orientações, e para a minha surpresa, só em menos de uma semana comecei a reagir bem sem nenhum problema.

Hoje, já frequento normalmente a escola, a minha saúde voltou a normalidade, tudo graças ao recebimento e o cumprimento das orientações recebidas.

Com todas essas ocorrências, aprendi que não devemos acreditar nas macumbas, ou seja, não devemos nos apoiar muito nas coisas do mundo das trevas e aprendi também que na verdade Meishu-Sama é o Messias esperado pela humanidade com o poder de salvar, e como gratidão, nasceu em mim o desejo de me tornar membro para melhor servi na obra divina.

Tenho horta caseira, faço dízimo, donativo diário e de construção. O meu compromisso é de me empenhar ao máximo na obra Divina para salvar o maior número de pessoas na fé.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão que me deram de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Ao Reverendo, ministros, missionário, membros e frequentadores e a todos que compartilharam o meu relato de fé o meu muito obrigado.

57 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário