Teresa Nduva – NJ Soyo, Zaire – Angola

Chamo-me Teresa Nduva, tenho 39 anos de idade. Sou frequentadora e dedico na Rede de Salvação de Kitona, Município do Soyo.

Conheci a Igreja Messiânica no ano de 2019 por intermédio de uma missionária.

Os motivos que me levaram a conhecer este caminho da salvação foram: doenças, conflitos e pobreza.

Quanto às doenças, eu sentia dor por todo o corpo, sentia como se estivesse a carregar um peso enorme o tempo todo. Os dois filhos sofriam com febre amarela e lombrigas durante 2 anos.

Quanto aos conflitos, o meu marido para além de ter uma ferida crónica na perna, não prestava atenção na família e nem parava em casa. Passei a cuidar dos filhos sem o apoio dele. Com o passar do tempo, a sua ferida piorou e a minha responsabilidade aumentou porque passei a cuidar dos filhos e do meu marido, pois o seu estado não permitia locomover-se e durante a noite ficava sem sono.

Andamos em vários hospitais e Igrejas espíritas, mas não conseguimos ter resultados positivos, pelo contrário, o sofrimento aumentava cada vez mais.

A irmã Ana apercebendo-se do meu sofrimento, encaminhou-me à Igreja Messiânica onde fui orientada a praticar o básico. Encaminhei o esposo, mas este frequentou poucos dias e desistiu. Quando lhe falassem de Igreja ele se irritava. Entretanto, eu e os meus filhos tivemos os problemas ultrapassados e agradecemos por essa graça.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a quarentena devido à pandemia.

Eu e minha família vivíamos muito longe da unidade religiosa e devido ao confinamento, deixamos de ir a Igreja.

Durante este período, tivemos purificações em casa e com os vizinhos e começamos a ter maus sonhos e insónias. Na falta de um membro próximo e não havendo ninguém que nos orientasse e nos ministrasse Johrei, tomei a decisão de alugar uma outra casa que fica bem próxima da unidade religiosa e passamos a viver lá. Nisso, ganhei a permissão de ter um acompanhamento direto da Responsável. Ela orientou-me a fazer donativos em nome do meu esposo, e fruto dessa prática a purificação dele acelerou. Comuniquei a Responsável e ela me disse que informasse ao esposo que devido à gravidade da sua purificação, deveria receber Johrei todos os dias. Como ele estava num beco sem saída, acabou por aceitar voltar a receber Johrei novamente e dois dias depois começou a relatar mudanças. Passou a ter sono, os maus sonhos desapareceram e isso despertou-lhe para continuar a frequentar. Duas semanas depois, a ferida crónica que o atormentava durante 8 anos começou a secar. Neste preciso momento, anda normalmente e agora ele é quem incentiva a família a dedicar.

Com todas essas mudanças, tomamos a decisão de nos candidatarmos a membro.

Aprendi com essa experiência de fé, que Meishu-Sama é realmente o Salvador da Humanidade e o Johrei é a medicina do século 21.

Faço dízimo, donativo de construção, tenho horta caseira, já encaminhei 5 pessoas à Igreja e todos eles estão a frequentar.

O meu compromisso é encaminhar o maior número possível de pessoas à fé e me tornar membro.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de me terem encaminhado a esse caminho da salvação.

Ao Reverendo, Ministros, Missionários e a todos aqueles que direta ou indiretamente me orientaram, a minha eterna Gratidão.

Muito obrigada!

88 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário