Carlos Psanine Manhique – JC Maxaquene – Moçambique

Chamo-me Carlos Psanine Manhique, tenho 57 anos de idade. Sou Membro da Igreja e dedico no Johrei Center de Maxaquene como Assistente do grupo Lua.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Moçambique em 2008.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram conflitos laborais. Mas graças ao cumprimento das orientações recebidas, tudo foi ultrapassado.

A experiência de fé que passo a relatar está relacionada com o Johrei durante esta fase de quarentena.

Certo dia, em frente à minha casa, passou um senhor que de repente sentiu-se mal e caiu. Naquele momento, eu estava no portão e no início, hesitei em ajudá-lo, mas depois chamei minha esposa e fui ao seu encontro para darmos assistência.

Quando nos aproximamos, já estava o pastor de uma outra igreja que é também chefe do quarteirão. Ele aparentemente o conhecia, e por isso o chamava pelo nome, mas, o senhor não reagia. Por respeito, pedi permissão ao pastor para fazer oração e ele autorizou-nos. Então, começamos a ministrar Johrei e fazer a oração Amatsu-Norito.

Depois de cerca de 20 minutos, o senhor abriu os olhos e conseguiu sentar. Então perguntei se conseguiria levantar e andar e ele disse que sim. Foi então que o pastor, a minha esposa e eu acompanhámo-lo `a sua casa. Até hoje, cerca de dois meses depois, ele se encontra bem de saúde.

Um jovem de 17 anos, foi-lhe pedido que subisse num coqueiro para arrancar cocos e assim o fez. Mas, ao chegar no topo, o jovem começou a sentir vertigens. Graças à Deus, conseguiu descer. Imediatamente começou a queixar-se de dores de cabeça muito fortes. Tão fortes que o jovem se pôs a chorar. Na vizinhança, muitos menosprezavam o Johrei por não utilizarmos a bíblia, mas mesmo assim, algumas dessas pessoas foram chamar a minha esposa para atender o jovem que estava a passar mal.

No momento que a pessoa chamava pela minha esposa, eu estava a chegar à casa. Então, a senhora pediu que fôssemos dar assistência e assim o fizemos. Levamos o jovem à minha casa, ministramos Johrei e aos poucos a dor de cabeça foi diminuindo. Como ele não tinha comido nada ainda, servimos-lhe um prato de comida e foi para casa. Orientei-lhe que voltasse depois para receber mais Johrei e no final da tarde ele veio.

No dia seguinte, ele foi à minha casa e reparou que os galhos de uma das árvores estavam já no teto da casa e ele se ofereceu em cortá-los. Recusei, pois receava que tivesse mais tonturas. Mas o jovem insistiu, garantindo que já se sentia melhor. Ele, de facto, conseguiu subir, podou os galhos e desceu sem problemas. Até hoje, nunca mais teve tonturas. Com este milagre, as pessoas que menosprezavam o Johrei, apesar de ainda não aceitarem recebê-lo, já viram e reconhecem o poder do Johrei e por isso, respeitam.

O meu sobrinho de 27 anos de idade, tinha a perna tão inchada que nem conseguia tirar as calças, calçar sapatos, tendo assim que andar de chinelos. Não se tratava de elefantíase e desconheço a causa do inchaço. Por isso, chamei-lhe, oferecemos Johrei e ele aceitou. No dia seguinte, ele voltou para receber mais Johrei e reparamos que o inchaço havia reduzido a ponto de deixar alguma folga nas calças. Com o constante recebimento de Johrei, ele foi melhorando. Foi ao médico, recentemente, para uma consulta, mas estes não viram necessidade de receitar medicamento. Hoje, ele tem ajudado o meu filho, que é carpinteiro.

Durante esta fase de quarentena, tenho-me esforçado em levar a luz do Johrei às outras pessoas. Ministro mais de dez Johrei por dia (só em casa), no transporte público, consigo ministrar cerca de 15 Johrei. Tenho me esforçado em manter a limpeza em nossa rua, uma vez que tem um canal por onde drenam a água do hospital e também atrai muitos mosquitos. Devo dizer que hoje, consigo dedicar mais do que antes da quarentena. Em casa, cuido da minha horta caseira, onde plantei morangueiros, milho, couve, alface, mandioca e flores.

Com esta experiência de fé, aprendi que é importante nos colocarmos disponíveis para Meishu-Sama nos utilizar como Seus instrumentos, pois desta forma, as nossas vidas são transformadas.

O meu compromisso é continuar a servir à Obra Divina, levando a Luz do Messias para a humanidade.

Já me cadastrei, encaminhei muitas pessoas, das quais 5 são membros. Tenho a imagem de Kannon, Horta caseira feita e distribuo flores todas as semanas. Já iniciei o donativo para a imagem do lar.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela força e permissão que me têm concedido para cumprir a minha missão.

Aos Ministros e Membros em geral, o meu mais profundo agradecimento!

Muito obrigado!

95 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário