Joana José António Bambi – JC Benfica – Luanda – Angola

Chamo-me Joana José António Bambi, tenho 49 anos de idade, resido no bairro mundial, sou membro e dedico como encarregada da Administração. Conheci a Igreja Messiânica em 1999, por intermédio de uma missionária. Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja foram doença, pobreza e conflitos.

Na altura meu filho, padecia de falciforme, o que me levou a frequentar vários lugares tais como hospitais e casas tradicionais, onde de tanto ser conhecida nos locais de tratamentos, muitas vezes chegava a fazer dividas em tratamentos e posteriormente pagava quando tivesse os valores, mas sem solução.

Desesperada e sem solução, uma vez que mesmo em hospitais, onde de tanta medicação os médicos me aconselhavam a ficar em casa, comecei a fazer o uso de bebidas alcóolicas, com o intuito de aliviar os meus problemas. O que não era verdade, porque depois de estar sóbria, tudo voltava ao normal.

Foi neste quadro de sofrimento, que me deparei com a senhora: Helena, na altura era membro de nossa igreja e comovida com o meu relato de sofrimento, encaminhou para a unidade, que é hoje o Johrei-Center do Futungo.

Na unidade religiosa, fui recebida pelo missionário-plantonista, que após ouvir o meu relato de sofrimento, orientou-me o seguinte:

  • Receber dois (2) a três (3) Johrei por dia, visto que naquela altura, não era fácil receber os 10 Johrei por dia.

  • Manter a flor de luz em casa

  • Dedicar na limpeza da unidade assim como a dos banheiros

  • Fazer o donativo de gratidão pela purificação.

Cumpri com as orientações, apesar das dúvidas e dificuldades e para a minha surpresa e alegria, os problemas que assolavam o meu filho e a mim, ficou ultrapassado em apenas duas semanas de recebimento de Johrei.

Comovida com os resultados em meu filho, materializei um donativo especial, que correspondeu ao ingresso na fé. Após a minha outorga, passei a purificar de (hemorragia sempre que estivesse de regra menstrual) que durou 10 anos e como se não bastasse, nesta altura também passei a obrar sangue.

Mais com as dedicações e outras práticas básicas, hoje estou curada. Acredito que Meishu-Sama, limpou algo em mi.

A experiência a seguir, está relacionada, com a ministração do Johrei, a força da oração, a postura e a flor de luz, durante o estado de confinamento, ou quarentena.

Como encarregada da Administração, tenho feito as minhas dedicações de forma regular, sem dificuldades. Em meados do mês passado, estava eu em casa quando recebo um telefonema que dava conta que uma das minhas netas, de apenas 9 anos de idade, se encontrava numa das unidades hospitalares (Josina-Machel)

Fiquei apavorada, uma vez que todos sabem o que se está a passar no mundo face ao Covid-19, onde ninguém deve circular de qualquer maneira. Com isso lembrei que sou messiânica e que ensinamento “Os Novos Tempos” Meishu-Sama disse que no caso de guerra, os messiânicos deverão ser espectadores, mas nas cenas de enfermidades, eles devem ter o activo empenho.

Decidi fazer oração primeiro e depois pedi colocassem o telefone junto da menina e fui orando e encaminhando os antepassados que estavam naquela situação.

No dia seguinte, recebi outro telefonema onde dizia que a menina estava a ser transferida para sala dos Cuidados Intensivos (U.T.I) agradeci pela purificação e fui para o hospital. A minha filha, a mãe da menina não parava quieta de tanto medo.

Vendo aquela situação, procurei acalma-la dizendo: Acho que Meishu-Sama, quer que ela leve a sua luz, aos outros pacientes que estão em estado grave, junto com ela.

Dizer que minha filha, não é membro, mais naquele instante foi como se os antepassados ouviram a minha “prece” e ela, acalmou-se.

Decidi entrar, em estado de oração, de forma silenciosa, porque não dava para cruzar os braços e ver tanta gente em aflição.  Fui a procura de flores no jardim do hospital, o que graças a Deus encontrei.

Fiz um arranjo e coloquei na sala em que estavam os pacientes, ganhei a permissão de ministrar bastante Johrei a todos internados. Na mesma noite, ganhei também a permissão de ouvir uma senhora, tinha o filho na mesma sala que a minha neta.

Enquanto ela falava, eu ministrava-lhe Johrei em seguida veio outra senhora e mais outra, que vinham desabafar os seus sofrimentos, eu permanecia em estado de oração e apenas ministrava o Johrei durante três dias no hospital.

Mudanças ocorridas

  1. Ganhei a permissão de ouvir três senhoras, onde as mesmas disseram sentir- se aliviadas, e aconselhei-las a procurarem a nossa igreja, em seus bairros.
  2. No quarto dia, a minha neta e mais as outras três crianças, que estavam na (U.T.I) foram transferidos para a sala de visita.
  3. Das três- crianças, duas, receberam alta e no mesmo dia, foram manadas para as suas casas, uma permaneceu na sala de visita, mas já em estado animado à esperando a sua guia de alta.
  4. A minha neta, foi submetida aos exames de controle que testaram negativos e assim fomos mandados para casa.

Para melhor retribuir a tamanha graça, materializei um donativo especial em nome da minha neta.

Aprendi que quando temos firmeza na fé somos agraciados tanto além do que nós esperávamos.

Tenho a horta caseira, faço dizimo, peregrino aos locais com maior luz.

Cuido de (1) uma casa com total de 4 pessoas onde profundo com as práticas básicas da fé e como resultado, o mesmo não estava a trabalhar, fruto das dedicações hoje já se encontra a trabalhar.

Por permissão do Supremo Deus e do Messias, Meishu-Sama encaminhei 320 pessoas, das quais 60 tornaram-se membros.

O meu compromisso é de me empenhar cada vez mais e levar esta felicidade para outras pessoas.

Agradeço ao Supremo Deus, o Messias Meishu-Sama e os meus Antepassados pela permissão de me conduzirem neste maravilhoso caminho da salvação.

Aos Ministro, Missionários, Membros e frequentadores e a todos que atentamente ouviram o meu relato de fé, a minha eterna gratidão.

Muito obrigada!

90 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário