Helena Guiomano Tchinacussoque – JC Estalagem – Luanda – Angola

Chamo-me Helena Guiomano Tchinacussoque, tenho 54 anos de idade. Sou membro, resido em Luanda no município de Viana, bairro da Estalagem. Dedico como Encarregada da Agricultura Natural.

Conheci a Igreja Messiânica em março de 2002, por intermédio de uma membro da Igreja. Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram:

  • Doenças

  • Pobreza

  • Conflitos

Com relação à doença, durante quatro anos sofri de insónia e febre tifoide. Para resolver a situação, procurei hospitais e quimbandas, tendo gasto avultadas somas, sem obter resultados satisfatórios. Na altura, também vivia muitas dificuldades financeiras, estava desempregada e quase não tinha o que comer. Estava em conflito com minha família. Havia muita intriga no seio familiar e a relação com minha mãe e irmãs era bastante conturbada.

Foi nesse quadro de sofrimento que a irmã Teresa, que por sinal é minha cunhada, numa das suas visitas a minha casa, encontrando-me mergulhada nesse sofrimento, falou-me da Igreja Messiânica, do Johrei e fez um convite para conhecer a mesma no dia seguinte. Após chegar ao Johrei Center, fui recebida pelo plantonista, que me orientou o seguinte:

  • Receber 10 Johrei por dia;

  • Manter a flor de luz em casa;

  • Assistir aos cultos matinais e vesperais;

  • Ler os Ensinamentos de Meishu-Sama;

  • Dedicar na nave e arredores da unidade.

Cumpri com as orientações básicas sem dificuldades e depois de um mês de dedicação os resultados não se fizeram esperar. Consegui alguns valores e iniciei um negócio. Os conflitos com a família melhoraram bastante e já conseguia ter um convívio mais saudável com todos. Purifiquei com fortes dores de cabeça e paludismo. Durante esse período, fiquei na casa da minha irmã até restabelecer a saúde. Posteriormente, fiz o ingresso na fé e tornei-me membro para melhor servir à Obra do Messias.

A experiência de fé que passo a relatar para os irmãos está relacionada com o esforço na expansão da Agricultura Natural aprofundando nas marchas das hortas caseiras nas casas dos fiéis

Num dos cultos mensais do Johrei Center, recebemos a visita do Responsável da Área. Nessa ocasião, busquei orientação sobre as purificações que estava a atravessar.

Ele ouviu todo o meu sofrimento e depois levou-me ao altar. Disse que não precisava de novas orientações, mas sim de aprofundar nas práticas básicas e na minha tarefa como encarregada das hortas caseiras. Alguns dias depois, apareceu em minha casa com uma equipa de missionários. Realizaram a limpeza profunda, vivência da flor e renovamos a horta.

Com essa dedicação que recebi em casa, ganhei mais força e consegui aumentar o número de hortas que realizava durante o mês de 07 para 12, 13, depois para 22 hortas, até que cheguei a fazer 30 a 35 hortas no mês, dedicando junto com a equipa. Também nos plantões da área no CA do Zango, tenho me esforçado, junto com uma equipa, a realizar entre 05 a 07 hortas nas casas vizinhas ao CA.

Tinha um documento para assinar na província da Huila, na cidade do Lubango. Contudo, encontrava muitas dificuldades para viajar porque estava a viver conflitos com meu filho e os vizinhos no bairro onde vivíamos. Foi então que busquei mais uma vez orientação com um responsável no centro de aprimoramento onde me incentivou a continuar com a dedicação das hortas, a aprofundar na ministração de Johrei, distribuir flores na vizinhança e nas casas dos meus braços. Depois de uma semana a realizar essa dedicação, meu filho, mesmo com algumas barreiras, conseguiu viajar para o Lubango e no mês seguinte, também consegui.

Junto com o meu irmão, dirigimo-nos à administração municipal do Lubango para assinar o documento de um terreno de 20/20 para construção da minha casa na terra Natal. Porém, procuraram e não encontraram o documento. Triste com a situação, fui ao Johrei Center para dedicar e pedi orientação ao responsável, o qual orientou-me a fazer um donativo especial de construção local e peregrinar ao Pólo Agrícola do Lubango.

Coloquei em prática as orientações, entendendo que precisava salvar os meus antepassados, agora também na minha terra natal. Acompanhei três casas onde numa delas se encontrava uma senhora de idade com trombose. Há meses estava na cama e não conseguia se levantar, mal conseguia falar e não comia em condições. Fui assistindo a casa junto com uma equipa, fizemos orações, realizei a vivência da flor com a família, Johrei intensivo durante três dias e realizei a horta caseira. Nas outras duas casas, também realizamos a marcha de Johrei com toda família, orações e distribuição de flores pelos bairros. Tive a permissão de visitar o Pólo Agrícola duas vezes, onde capinamos e fizemos limpeza.

Fruto dessas dedicações que tive a permissão de desenvolver, recebi como resposta os seguintes milagres:

A senhora que estava com trombose, recuperou satisfatoriamente. Ela conseguiu levantar da cama, pediu água e comida, deixando a família muito admirada. Nas outras duas casas, as crianças melhoraram do paludismo, os seus pais também melhoraram das febres e dores no corpo. Eles agradeceram muito felizes, materializando a sua gratidão e voltando às suas dedicações com afinco.

Desloquei-me novamente à administração municipal para rever o documento que tinha por assinar e estava desaparecido. Na nossa presença procuraram novamente e em pouco tempo o mesmo apareceu e consegui concretizar a assinatura, depois de 3 anos a tentar alcançar esse objectivo. Graças a permissão de Deus e Meishu-Sama.

O meu filho, que era um rapaz de comportamento perturbado, melhorou bastante. Deixou de fumar, beber exageradamente, roubar e ainda retomou os seus estudos. Cheia de alegria, materializei um donativo especial de gratidão e despertei mais ainda para o cumprimento da minha missão.

Com a permissão de Deus, Messias Meishu-Sama e dos meus antepassados, pratico o dízimo, o donativo de construção mensal e o diário. Sou cadastrada, tenho a horta caseira, estou enquadrada na estrutura da unidade, tenho o Sorei-Saishi, cuido de 4 casas dos meus braços nas hortas caseiras e encaminhei 150 pessoas na Igreja Messiânica, das quais 12 são membros.

Aprendi que quando cumprimos com as orientações e aprofundamos no servir, salvamos milhares de antepassados.

O meu compromisso é de aprofundar na Diretriz do momento e encaminhar o maior número de pessoas para participarem na construção do Solo Sagrado de África.Agradeço a Deus e ao Messias Meishu-Sama, aos meus superiores e aos meus antepassados por me ajudarem a cumprir esta maravilhosa missão.

Muito obrigada!

122 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário