António Capenda Santos – JC Lucapa – Lunda Norte – Angola

Chamo-me António Capenda Santos, tenho 38 anos de idade, sou missionário e dedico como responsável de unidade. Conheci a Igreja Messiânica em 2006 por intermédio de um missionário da igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram doenças, conflitos familiares e conjugais, mortes constantes na família e vários problemas com a ordem social pois a minha fonte de sustento eram os desvios de energia eléctrica, vulgo “gato”.

A precária situação financeira apertou mais ainda quando as duas mulheres com quem estava ficaram grávidas. Para conseguir o sustento intensifiquei as actividades ilícitas, o que piorou mais ainda a minha situação.

O senhor missionário com que por sinal trabalhava comigo, certo dia, veio a minha casa para juntos traçarmos estratégias para os próximos trabalhos. Porém ele começou a falar da Igreja Messiânica, de Meishu-Sama e a contar-me milagres.  Fiquei indignado com a conversa dele. Então pensei logo que talvez ele tinha outros planos. Mas notei que ele falava com entusiasmo e confiança no que tinha encontrado na igreja, e então pensei que fosse realmente uma coisa boa de seguir. Aceitei o convite para ir igreja. Lá, recebi o Johrei pela primeira vez e uma flor. Na noite daquele dia consegui dormir profundamente, o que me deixou mais admirado ainda, pois durante longo tempo eu já não conseguia dormir tranquilamente. Me senti tão bem que no dia seguinte voltei a ir à Igreja. Nesse dia, fui recebido pelo plantonista que depois de ouvir-me atentamente orientou-me as Práticas Básicas[1] da Fé Messiânica.

Mesmo sem acreditar cumpri com as orientações durante um mês. E inesperadamente o calvário que vivia passou completamente. Tomei a decisão de servir a Obra Divina começando por pedir perdão através da dedicação, à todas as pessoas que prejudiquei no passado. Assim, materializei um donativo especial de gratidão e depois o donativo de outorga. No dia 17 de Julho de 2007 recebi o sagrado Ohikari.

A experiência de fé que seguir partilho, está relacionada com o dízimo.

O tempo passou e mesmo com tantas graças a condição financeira não melhorava. Então fiz uma profunda reflexão recordando como era a minha até aí em relação ao dinheiro. Notei que sempre usei o ganhasse só para mim, para minha família; me esquecia de agradecer a Deus. Então decidi mudar e nesse interim ganhei do meu irmão uma quantia em dinheiro. Mesmo desempregado tomei a decisão de começar com esse valor, a agradecer com o dízimo. Três meses depois ganhei um emprego num estabelecimento comercial onde tinha um salário de 50 dólares.

Mesmo com muitas despesas para pagar, decidi materializar o valor todo do primeiro salário em um donativo especial, manifestando a minha gratidão por tudo quanto tinha ocorrido em minha vida, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama. O incrível foi que no mês seguinte, o salário subiu para o trípulo do que ganhava.

Sem vacilar, continuei com a prática regular do dízimo e depois de algum tempo, tive outro aumento e o salário chegou até 250 dólares. Graças a isso, a situação financeira melhorou consideravelmente. Sendo assim, nasceu em mim o desejo de voltar aos estudos, o que já havia abandonado a 4 anos devido a condição financeira. Também ganhei a permissão de comprar uma motorizada.

Dois anos depois o patrão transferiu-se para Luanda e assim fiquei desempregado. Mas não fiquei de braços cruzados. Vendi a motorizada e do dinheiro fui orientado a fazer o dízimo. Mesmo relutante devido ao aperto financeiro, cumpri obedientemente com a orientação. Graças a Deus ganhei a permissão de começar a fazer comércio no mercado e em 2010 voltei a estudar.

Tempos depois, foi aberto um concurso público na área da educação e as minhas chances de ingressar eram poucas visto que eu não tinha as avultadas somas em dinheiro que se pediam para ser apurado. Sem saber o que fazer, pedi orientação e foi-me aconselharam-me a fazer um donativo especial para agradecer pela situação. Dias depois fiz a prova e dentre os 378 candidatos eu fui um dos poucos selecionados.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama comecei a trabalhar e fui orientado a fazer um donativo especial com primeiro salário, a fim de agradecer a Deus pelo novo emprego. Assim o fiz e três meses depois, fui nomeado para o cargo de sub-director pedagógico da escola do ensino primário do bairro Camitundo, o que admirou os outros colegas.

A minha vida deu uma grande volta mudando para a melhor. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama já tenho uma residência condigna. A primeira esposa com quem tive uma filha, foi morar com os seus familiares. Eu tenho uma esposa com a qual estou a preparar o matrimónio.

O meu primo que estava desempregado depois que a empresa mineira em que trabalhava decretar falência, em 2013 foi admitido no sector da educação depois de muito tempo desempregado. O meu sobrinho que nunca teve emprego, hoje trabalha num dos projectos mineiros da província.

A seguir passo a relatar outras experiências que tive a permissão de vivenciar:

Uma jovem de 12 anos sofria de vómitos desde os seus 2 meses de idade. Sempre que se alimentasse ela vomitava. Para solucionar o problema, os pais procuraram hospitais, quimbandas e igrejas espíritas, mas não encontraram solução. Um missionário compadecido com o sofrimento da menina, encaminhou-a à igreja. Lá, foram orientadas as práticas básicas da Fé Messiânica que com a ajuda dos pais passou a cumprir. Em pouco tempo de recebimento de Johrei, ela passou a fazer as refeições normalmente e a não mais vomitar. Esse facto deixou a família admirada, pois já tinham passado mais de 12 anos de sofrimento.

Um senhor permaneceu durante 30 dias confinado em casa pois encontrava-se muito doente. A sua família não o visitava durante esse período. Mas graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, recebeu a flor e oração e no mesmo dia conseguiu sair de casa. Grato, continua a receber assistência e promete começar a frequentar tão logo as condições permitam. A família apareceu e o levou ao hospital passando a cuidar dele.

Um membro que perdeu a sua família devido a intoxicação com o fumo de gerador eléctrico, começou a viver fortes conflitos com a família, pois com o sentimento de vingança, procurava o culpado pela morte da família. Mas nessa fase, foi orientado a tomar uma atitude de fé. Junto com ele foi fez-se o estudo dos Ensinamentos de Meishu-Sama sobre “Vida e Morte”. Assim conseguiu tomar consciência que precisava mudar. Segundo ele, “reconheceu que mesmo morte, por mais dolorosa que seja, é também um processo pelo qual o ser humano passa inevitavelmente!”. Ele recebeu a equipe de assistência que fez limpeza e oração em sua casa deixando a flor de luz.

Na noite desse dia, sonhou com a sua esposa a dizer que ele tinha de pedir perdão aos seus familiares por todo conflito.  Assim o fez e isto trouxe a paz a família. Ele que estava afastado da igreja já há 4 anos, retornou às dedicações e mesmo nessa fase de pandemia conseguiu materializar o seu donativo de re-outorga e de construção especial para o Templo Messiânico.

Agradeço ao Supremo Deus e Messias Meishu-Sama e os meus Antepassados por ter me tirado da perdição para uma vida digna de um ser civilizado. Por permissão de Deus, encaminhei 270 pessoas das quais 10 se tornaram membros. Tenho a horta caseira, faço o dízimo e o donativo de construção.

Aos Ministros Responsáveis, Missionários, Membros e Frequentadores e a todos que partilharam deste relato, o meu muito obrigado!

 

[1] Johrei, leitura de ensinamento de Meishu-Sama, limpeza, colocar a flor em casa e distribuir, peregrinar aos locais de maior luz, fazer donativo diário e o dízimo.

99 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário