Marcelina João Cassule – JC Camama – Luanda – Angola

Chamo-me Marcelina João Cassule, tenho 33 anos de idade e resido no bairro Simione. Sou membro e dedico com auxiliar de liturgia da unidade acima referida.

Conheci a igreja Messiânica Mundial de Angola por intermédio de uma membro da igreja. O motivo que me levou à igreja foram conflitos conjugais.

Como os conflitos eram constantes, não consegui suportar os problemas e decidi abandonar o lar. Em seguida, viajei para a cidade de N’Dalatando, província do Kwanza Norte, onde fui encaminhada para a igreja messiânica.

Na unidade religiosa, fui recebida pelo responsável, que após ouvir-me atentamente, orientou-me as Práticas Básicas da Fé Messiânica.

Cumpri com as orientações sem dificuldades. Para a minha surpresa, após poucos dias de dedicação, numa noite de sono senti algo a sair do meu corpo, que fez tanto barulho, como se fosse um estrondo de um leão. Despertei assustada e voltei a dormir. Ao pegar no sono, novamente vi uma luz forte e intensa que me cobria e trazia-me uma sensação de paz e grande alívio. Isso surpreendeu-me bastante, pois a casa em que estava alojada não tinha energia elétrica! Era uma escuridão total na casa.

Ao amanhecer, fui para a unidade religiosa contar o sucedido ao responsável que logo levou-me ao altar para agradecer. Dali nasceu em mim o desejo de tornar-me membro e assim materializei o donativo para a minha outorga.

De seguida, o meu esposo ligou-me para voltar para casa. Já em Luanda, localizei o Johrei Center do Camama e outorguei-me.  Continuei com as minhas dedicações. Colocava as flores em casa sentindo-me uma pessoa renovada.

Tempos depois repurifiquei com o meu esposo, porque ele não aceitava a igreja messiânica de jeito nenhum. Mandou eu escolher entre ele e a igreja, o que levou à roptura da nossa relação até a data presente. Ele dizia que o fio que tenho no pescoço quase iria matá-lo e pediu que eu fosse a qualquer outra igreja, menos na igreja messiânica. Até que, por si próprio, foi-se embora sem dar satisfação até a data presente. A família dele também foi embora e a paz começou a reinar em minha casa.

A experiência de fé que passo a relatar aos senhores está relacionada com o acompanhamento de casas e a obediência no cumprimento das orientações.

Após receber a visita da responsável no início da pandemia, foi-me esclarecido que todas as dedicações seriam desenvolvidas a partir dos nossos lares colocando em prática a diretriz, desde a limpeza, ministração de Johrei, e que apesar de não ter um telemóvel e acesso à Internet, fui orientada a fazer a oração às 09 e às 17h00 em sintonia com a sede central. Para em seguida fazer a marcha de Johrei com leitura dos ensinamentos com os familiares, vizinhos e amigos. Igualmente, tenho um dia na semana que vou à nave cumprir a minha escala de limpeza da unidade.

Coloquei todas as orientações em prática, e surgiram algumas mudanças que passo a relatar:

  • Recebi uma enteada que após separar-se do marido ficou sem abrigo porque nenhum familiar queria recebê-la. Passei a ministrar-lhe Johrei e juntas encaminhávamos o sofrimento nas mãos de Deus e de Meishu-Sama. O esposo, que estava furioso e irredutível, ligou para ela pedindo perdão, alugou uma casa nova e reataram o relacionamento.
  • Uma vizinha, adolescente, veio pedir-me comprimido para dor de cabeça. Ministrei-lhe Johrei e a dor passou!
  • Um vizinho, estava a passar mal devido ao uso excessivo de álcool, veio também até minha casa pedir remédio. Ministrei-lhe Johrei e no dia seguinte veio agradecer, dizendo que o Johrei lhe fez bem.
  • Um rapaz vizinho, em uma briga com os amigos, feriram-lhe gravemente com um caco de garrafa na cabeça. Sem mesmo me conhecer, ele disse que alguém que ele também não conhecia, lhe indicou a minha casa dizendo-lhe que eu fazia tratamento para as pessoas. Pediu que lhe fizesse curativo, eu respondi-lhe que eu apenas ofereço Johrei aos doentes então ele pediu o Johrei. Duas semanas depois, voltou novamente a minha casa para agradecer, dizendo: ” Tia, muito obrigado! Aquela oração que me fizeste, me fez muito bem. Não foi necessário comprar remédio ou ir ao A minha ferida por si só, fechou!” E ele feliz e agradecido perguntou às minhas filhas: ” O que é que a vossa mãe tem na mão? Essa mão dela faz milagre!”  E as meninas responderam-lhe:” É apenas uma oração maravilhosa da Igreja Messiânica! “
  • Uma outra jovem vizinha, sofreu de cabeça aberta. Também veio me pedir remédio. Eu respondi-lhe que não tenho e não uso remédio. E ela meio envergonhada perguntou-me: ” Tia Marcelina, lhe vejo a levantar as mãos para as pessoas. Mas, o que é isso?” Respondi-lhe que eu ministro Johrei, uma oração da minha igreja. As minhas filhas acrescentaram: ” Não vês que nós não ficamos doentes facilmente?” Ela pediu então, o Johrei. Desde ali passou a vir em minha casa receber Johrei e as dores de cabeça melhoraram. Ela já não corta o cabelo, e até deixou crescer e fez tranças de postiço.
  • Na minha família, desde os meus avós, só nascemos meninas. A minha mãe teve 10 filhos. Morreram sete e restaram três meninas. Desde então, deu-se uma sequência triste que nós os filhos também só damos à luz a meninas. Eu tenho quatro meninas e a Eliza que é a caçula, só tem três meninas, a mais velha também tinha o mesmo número de filhas e já não alcançava mais. Porém, desde que entrei para a igreja messiânica, recebemos a graça de nascerem os primeiros rapazes na nossa família. A irmã mais velha voltou a engravidar e teve mais três rapazes!
  • Uma vizinha, seu filho de três anos queimou as mãos e todas as unhas saíram. A mãe estava cansada dos tratamentos que estava a fazer, pois cada vez que colocava o remédio de pó de café, a ferida piorava ainda mais. Então, ela resolveu confiar apenas no Johrei. E em duas semanas de recebimento de Johrei, a ferida começou a secar e curou completamente!
  • No bairro já me chamam de pastora. Qualquer situação de aflição entre os vizinhos, mandam bater na minha porta.
  • O meu ex-marido nunca deu sustento às filhas desde que saiu de casa. Agora, pela primeira vez depois de sete anos, nesta fase da pandemia passou a dar sustento e veio buscar as crianças. Passaram quatro dias com sua nova família. O convívio entre eles melhorou bastante. Ele já liga e interage com as filhas.

Com todas essas graças, sou digna de dizer que Meishu-Sama é o Messias há muito esperado pela humanidade!

Muito obrigada!

113 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário