Juvenália Ernesto Mendiate – CA Maputo – Moçambique

Chamo-me Juvenália Ernesto Mendiate, sou Membro  desde o dia 9 de Agosto de 2017 e dedico no Centro de Aprimoramento de Maputo, onde estou integrada na Rede da Salvação pelo grupo Sol, como assistente.

A experiência de fé que passo a relatar está relacionada com o cumprimento das orientações dadas pelos nossos superiores e a queima das nossas máculas profundas.

Antes de conhecer a igreja, eu vinha sofrendo de muitos problemas. Sou mãe de 3 meninos, dos quais, um, o mais velho, é de pai diferente dos outros dois. E este, que completou 15 anos em Abril, é um menino dotado de muita inteligência. Porém, não conseguia notabilizar efectivamente porque apresentava um comportamento diferente de outros meninos de sua idade, pois era distraído, lento ao escrever na escola e nervoso ao responder a questionamentos. Contudo, sempre tirava boas notas, mesmo não estando atento nas aulas.

Em casa, não tinha muito carinho com os seus irmãos mais novos e preferia passar a maior parte do tempo sozinho, isolado no quarto jogando videogame. Isso criava-me muita preocupação e tristeza, pois desejava muito que ele se tornasse amigo dos irmãos.

Na sua infância, foi uma criança irrequieta, mas teve problemas de atraso na fala, tendo pronunciado as primeiras palavras com cerca de 4 anos de idade. Nesse período, de tantas consultas e terapias feitas, os médicos desconfiavam que se tratava de uma criança autista, contudo isso não chegou a se confirmar.

Um facto curioso é que o pai dele, sendo também para ele o primeiro filho, não conseguia relacionar-se com ele, apesar de sentir amor, chegando a dizer-me que ele gostaria bastante de fazer algo mas, sentia um certo receio agravado pelo facto de não estar a viver com ele.

Mesmo vivendo noutra cidade, ele vinha sempre para cá e procurava por mim no serviço para saber do filho mas, não conseguia estar com ele pessoalmente, por receio. Até mesmo quando comprasse algo para ele, pedia-me para não dizer que foi o pai que comprou, o que me deixava realmente triste!

Foi em meio a este sofrimento que procurei orientação com a ministra no mês de Julho de 2019, na véspera da peregrinação aos Solos Sagrados do Japão, relatando sobre essa preocupação.

A ministra  questionou se eu tivera feito abortos. Lembrei que tinha feito abortos durante a faculdade, no sentimento de que não podia ter filhos porque estava a estudar.

Contudo, já estava a cuidar deles através do Sorei-Saishi e dos cultos. Assim, aconselhou-me a fazer um donativo especial de construção em nome de cada filho abortado, antes da peregrinação. Eu concordei e procurei fazer o donativo em nome de cada espírito.

De regresso do Japão, dentre as várias graças que recebi do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama, comecei a notar aos poucos, o meu filho mudar quanto ao relacionamento e responsabilidade para com os seus irmãos e na escola passou a ser menos distraído. Até os professores telefonaram a informar que ele estava a ter melhorias significativas.

Com isso, no mês de novembro de 2019, pouco antes das férias escolares, o pai dele telefonou-me, pedindo que o filho fosse passar as férias com  ele. Foi um momento em que meu coração transbordou de alegria e não contive a minha gratidão ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Nesse mesmo período, eu me encontrava em missão de serviço longe de casa. Porém, antes mesmo do meu regresso, o pai, ansioso por ver o filho, enviou a passagem e o menino acabou por viajar na minha ausência. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Antes mesmo do término das férias, o pai ligou-me, desta vez pedindo para que o menino passasse a morar com ele definitivamente, o que causou-me muita surpresa e ao mesmo tempo dor, devido ao apego. Porém, tempos atrás eu tive um sonho com o seguinte cenário:

“Eu queria ir à um concerto musical e  minha mãe (que já se encontra no mundo espiritual) dizia que não devia ir naquele momento pois primeiro deveria preparar o meu filho.”

Em outro sonho ainda, a minha mãe dizia para mim: “Estás a demorar para preparar a criança! Ela deve voltar aos donos!”.

Devido a isso, quando o pai do menino falou-me da sua pretensão de viver com a criança, relacionei tudo aos sonhos e entendi que era a vontade do Supremo Deus e não hesitei em concordar. Apesar de sentir muita dor, pois tinha muito apego por ele, por ser o meu primeiro filho! Agradeci e entreguei o sentimento a Deus. Organizei o processo de transferência e hoje, o meu filho está a morar com o pai na cidade da Beira. Fiz também um donativo especial para agradecer pelas mudanças que Deus permitiu na vida do meu filho.

Aprendi com esta experiência de fé que com o cumprimento das orientações e a peregrinação aos solos sagrados, nós ganhamos a permissão de queimar as máculas mais profundas da nossa raiz familiar e somos salvos, junto com os nossos antepassados!

O meu compromisso é de tudo fazer para salvar o maior número possível de pessoas, contribuindo para a formação de 100 mil famílias convictas em África.

Agradeço ao Supremo Deus e aos meus antepassados por me terem permitido encontrar com o Messias e Salvador, Meishu-Sama!

Muito obrigada!

99 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário