Hannan Thomas – IMM Serra Leoa

Chamo-me Hannan Thomas, de nacionalidade serraleonesa. Conheci a Igreja Messiânica Mundial no ano passado, por intermédio de uma membro da igreja.

Os motivos que levaram a conhecer a igreja foram: conflitos conjugais e com vizinhos, pobreza e má sorte. 

Para começar sobre os conflitos com  os vizinhos , quando me mudei para este bairro junto com a filha, fomos acusadas de sermos feiticeiras e que estávamos a manipular a sorte dos vizinhos. A partir daí, a maioria das pessoas passaram a se afastar de nós. Tentei fazer pequenos negócios mas, a fama que correu era que quem  comprasse dos meus negócios, ficaria preso nas minhas armadilhas nocturnas. Houve dias que um grupo de pessoas, entre os vizinhos, organizava pequenas manifestações, gritando, batendo tampas de panelas e outros instrumentos, chamando meu nome até  ao ponto  de sofrer agressões de alguns,   quando tentei me defender! Fui obrigada a gastar dinheiro e com a ajuda de algumas pessoas que estavam a meu favor, o caso chegou na mesa do tribunal tradicional da comunidade e da polícia. Foi aí onde pararam com as acusações. Contudo, o conflito com os vizinhos continuava. Devido a isso, comecei a sofrer de sistema nervoso, não passava uma semana sem discutir com alguém.

Sobre o conflito conjugal, nunca tive sorte de ter uma relação duradoura. Todas tentivas que fiz em ter um companheiro, terminavam num filho e me separava. Decidi ficar sozinha mas, depois de muito  tempo, apareceu alguém com o qual começamos a organizar as coisas para realizar a apresentação e depois casar. Ganhei confiança nele e passamos a viver juntos. tive uma filha nessa relação também porém, logo que a criança nasceu, as coisas mudaram. Ele deixou de me apoior financeiramente e já não parava em casa.  Notei que  tudo estava a se repetir. Nada dava mais certo e junto com as duas filhas, passamos a sofrer com a fome. Frequentei igrejas e kimbandas e, pelo contrário, tudo piorava.

Foram nessas condições que a irmã Verônica me encontrou e convidou para conhecer a igreja. Não resisti ao convite porque tenho uma amiga vizinha que já falava das mudanças que viu nessa igreja. Depois de explicar o meu relato de sofrimento no missionário, recebi as seguintes orientações:

– Receber 10 Johrei por dia

– Manter a flor de Luz em casa

– participar nas actividades de limpeza na unidade e na rua

– Agradecer por tudo que estava  a acontecer e começar a fazer outras pessoas felizes, praticando boas ações.

Cumpri com as orientações sem dificuldades porque tudo que eu queria no momento, era resolver os meus problemas. Depois de um mês de prática, comecei a ter paz interior e uma boa relação com os meus vizinhos. Até os que me acusavam de  ser feticeira se tornaram mansos comigo e pediram perdão.

Depois de um tempo, passei a fazer um negócio caseiro e comecei a não  prestar mais atenção nas dedicações. Chegando ao ponto de começar a me esconder cada vez que visse o  missionário e outros membros activos. Não tardou, parei de frequentar a Igreja. Mesmo assim, a Irmã Verônica não parou de levar a flor em minha casa. Eu só recebia por receber! Mais tarde mudei para um outro negócio. Este não rendeu, fiquei sem dinheiro e voltei a viver nas condições antigas. Com isso,  para comer dependia do pai da minha filha que vinha uma vez ou outra  e ás vezes, com a ajuda de vizinhos. Também voltei a ter conflitos com muitas pessoas na vizinhança.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, por intermédio da Irmã Mabinty Bangura, frequentadora da Igreja, voltei a dedicar.

Permitam-me contar experiências relacionadas com a prática da gratidão diária e a importância de participar nos cultos diários em sintonia com a Sede Central da igreja Messiânica Mundial de África.

No fim do mês de junho, a Irmã Mabinty, que conheceu todo meu sofrimento antes de conhecer a igreja, me pôs sentada para me dar forças e me lembrou todas as graças que recebi. Me fez lembrar como era minha vida durante muitos anos antes de conhecer Meishu-Sama. Neste mesmo dia, durante a noite, fui refletindo sobre a vida antes e depois como a Irmã me tivera aconselhado. Dentro de mim disse : ” Essa irmã foi enviada por Deus! Tenho que levar isso a sério e voltar a dedicar!”.

No dia seguinte, como as igrejas estavam ainda fechadas, fui na casa do missionário para saber o que fazer durante essa fase de quarentena. Fui orientada a participar nas orações matinais e vesperais em sintonia com a Sede Central da igreja junto com eles em casa, receber johrei todos os dias e fazer donativo de  gratidão diária. Não importando o valor, desde que seja diária durante um mês e não esquecer as outras práticas básicas da igreja. No fim, o missionário me levou no altar para orar, entregar tudo nas mãos de Deus e pedir forças para praticar as orientações recebidas. Sem perder tempo, no mesmo dia participei na oração vesperal e de lá para cá não falhei um dia se quer nas orações em sintonia, receber Johrei e com a prática da gratidão diária.

Ganhei permissão de distribuir 98 flores de luz, incluindo arranjos de flores colocadas em 6 casas de frequentadores. Passei a dedicar como responsável da horta caseira e encaminhei 3 pessoas que estão a  receber Johrei comigo.

Com essas práticas, passei a vivenciar muitas mudanças:

  1. Tinha dificuldades de pagar renda de casa. Já havia adiantado um valor correspondente à 50%, do valor total. Mas, com o estresse de cobrança por parte do senhorio, acabava brigando com o pai da minha filha que prometeu ajudar e não o fazia. Quando comecei a participar dos cultos e praticar a gratidão diária, o pai da minha filha pagou o resto dos valores da renda e voltou a viver connosco em casa!

  2. Um vizinho, que sempre acompanhou as minhas lamentações sobre a fome e o pai da filha que desaparecia durante muito tempo, após uma semana de prática das orientações recebidas, me perguntou porque parei com o negócio caseiro que fazia. Disse que  ajudava muito os vizinhos mais próximos para não irem distante quando precisassem de coisas básicas. Respondi que já não tinha dinheiro. Na mesma hora, tirou do bolso um valor suficiente para recomeçar algo  e não ficar parada. Ele reforçou a dizer que não era preciso fazer devolução do valor e que fazia tempo que  sempre quis ajudar mas, não sabia o que lhe travava de o fazer. Fui agradecer com um donativo no altar!

  3. Tenho um filho já adulto que sempre criou problemas na comunidade. Por falta de condições, praticamente vive e dorme na rua. Tem sido uma das razões de conflitos e estresse para mim.   Uma senhora lhe chamou para fazer trabalhos domésticos em sua casa, com direito a um quarto  e ainda com um salário mínimo mensal. Também fui agradecer com um donativo no altar.

  4. Por causa da crise económica no país por conta do Covid-19, o governo criou uma equipa que fazia registro de pessoas muito carentes nas comunidades a fim de beneficiarem de um financiamento para fins comerciais. Todo Mundo já sabia que os que estão à frente selecionavam os nomes dos seus familiares e amigos para o benefício. Fui surpreendida com uma chamada para ir receber a ficha de confirmação para o recebimento dos valores no banco. Sem dúvidas, concluí que era um milagre de Deus e Meishu-Sama. Agradeci no altar pela permissão de ter sido selecionada mesmo não tendo ninguém para  ter influenciado o recebimento.

  5. Eu, que já estava praticamente afastada da igreja, agora estou a dar forças para os outros que andam fracos nas práticas básicas da fé.  Foi assim que comecei a carregar os filhos da minha amiga, que já frequentava antes de mim, para receberem Johrei. Depois de duas semanas, ela também  retomou as dedicações. Além dela, mais 4 pessoas  voltaram a receber johrei e reservei um dia de cada semana, para distribuir flores na vizinhança e fazer arranjos nos lares de 6 frequentadores que assumi de  cuidar ao renovar meu compromisso!

Com essas experiências, acabaram todas as dúvidas que sempre tive sobre Meishu-Sama e aumentou a minha convicção sobre as práticas básicas da Igreja Messiânica! Agora falo com certeza e convicção sobre Meishu-Sama nas pessoas, sem medo ou dúvida como antes!

O meu compromisso é encaminhar o maior número de pessoas na fé Messiânica  e fazer o meu donativo para me tornar membro!

Agradeço a Deus, Messias Meishu-Sama e os meus antepassados pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação!

Muito obrigada!

85 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário