Martins Miguel Benjamin – JC Camama – Luanda/Angola

Chamo-me Martins Miguel Benjamin, sou frequentador.

Tive a permissão de conhecer a Igreja Messiânica, em 2009 em Cabinda, por intermédio de duas primas minhas, missionárias da igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram conflitos familiares e desemprego. Entre os anos de 2009 e 2010, comecei a frequentar a igreja em Cabinda, acompanhando as minhas primas, mas, nunca levei a sério a igreja e nem tencionava segui-la.

Em 2016, por motivos académicos e à procura de emprego, vim para Luanda e desliguei-me da igreja. Em Luanda, purifiquei bastante andando à deriva, sem paradeiro. Vivi em 4 bairros diferentes, pulando de casa em casa com o apoio de amigos e familiares. Assim ia sobrevivendo, até que em 2019 consegui através de pequenos trabalhos, algum dinheiro e arrendei um apartamento onde vivo até hoje.

Diante deste sofrimento, sendo vizinho da minha prima, ela tudo fazia para eu voltar a frequentar a Igreja, porém, eu não aceitava.

Certa vez, sendo ela responsável de unidade, recebeu a visita de um ministro em sua casa. Depois de ministrar Johrei a toda a família, o ministro perguntou se não havia mais ninguém para receber Johrei, ao que ela respondeu: “Falta este meu irmão teimoso, que não aceita Meishu Sama!”. Aí, ela convidou-me para conversar com o ministro a quem, sentindo segurança, abri o meu coração, explicando toda a dor e sofrimento que eu e minhas irmãs passávamos.

Como estamos nesta fase da pandemia e as igrejas estão fechadas, fui orientado a todos os dias passar a receber Johrei em casa da prima, orar no seu altar, fazer leitura dos ensinamentos e manter a flor de luz em casa.

Cumpri rigorosamente as orientações no que, uma semana depois, constatei mudança nos meus negócios que estavam parados. Assim, a primeira coisa que fiz conforme orientação, foi de agradecer fazendo o dízimo, donativo de construção e donativo diário. Fui também conhecer a unidade religiosa e posteriormente dedicar na construção da igreja.

Duas semanas depois de dedicar com afinco, uma empresa de grande porte ligou-me a solicitar os meus documentos, onde comecei a trabalhar com um bom salário. Feliz e agradecido pelo milagre, não me canso de levar as boas novas para os meus familiares, amigos e vizinhos que Meishu-Sama é o Messias!

Tenho uma vizinha que estava com paludismo há mais de um mês e não conseguia sair de casa por se encontrar fraca. Levei-a à casa da responsável, recebeu uma hora de Johrei e no dia seguinte ficou totalmente recuperada, aumentando assim ainda mais, a minha convicção no Johrei e no Messias Meishu-Sama.

As minhas irmãs, que estão em Cabinda, voltaram a frequentar a igreja.

Tenho uma tia que estava a purificar com febres e dores de cabeça, há mais de uma semana. Ao receber Johrei, a dor de cabeça passou e ela agradeceu reconhecendo a força da luz do Johrei. Eu e a maioria da minha família que, quando víamos as minhas primas abandonarem o trabalho para se dedicarem à Obra Divina ficávamos revoltados, agora entendemos perfeitamente a grande diferença!

Tornei-me numa pessoa melhor, mais tolerante e paciente. Além de tudo, aquilo que parecia um simples quadro aí colocado na sala da minha prima, era fonte de luz e um refúgio para conectar-me com Deus!

O meu apelo e desejo é de mostrar às pessoas que estão a purificar, este maravilhoso caminho da salvação e de tornar-me membro, dedicando na salvação das outras pessoas!

Encaminhei dois primos que estão a receber Johrei!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados, por conhecer este caminho da salvação!

Muito obrigado!

112 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário