TERESA BUANGA MINGAS PITRA – JC CABINDA – ANGOLA

Chamo-me Teresa Buanga Mingas Pitra, sou Missionária e dedico como Responsável da unidade.

A experiência de fé que desejo partilhar com os senhores, está relacionada com a prática diária do Johrei, leitura dos Ensinamentos de Meishu-Sama e participação dos Cultos Online.

Desde o começo do período de confinamento, perdi forças tanto na leitura diária dos Ensinamentos como também na ministração de Johrei.

A partir do mês de Julho, passei a participar dos Cultos Online, em sintonia com a Sede Central de África e a colocar em prática as orientações.

Há 4 anos para cá, que sofria com hemorragias provocando um grande fluxo de sangue durante o período menstrual. Sempre que isso acontecesse, ia ao hospital e os médicos diziam-me que era devido à aproximação da menopausa e que apenas deveria repousar o máximo, quando viesse o período menstrual. O tempo foi passando e a situação cada vez mais se agravava devido à minha negligência.

No mês de Julho, quando comecei a assistir os Cultos e a receber Johrei Online, num dos Cultos o Reverendo orientou que nesta fase em que nos encontramos, devemos aprofundar na ministração do Johrei e no auto Johrei, leitura dos Ensinamentos e nas práticas básicas da Igreja. Assim, decidi colocar as orientações em prática.

Entretanto, de 06 de Julho a 10 de Agosto, purifiquei fortemente com muita hemorragia. Já no dia 11, fui ao hospital onde fui observada e a médica não conseguia definir o que eu tinha no útero, porque naquele momento estava a eliminar uma secreção amarela-esverdeada, com cheiro desagradável. Feita a ecografia pélvica, os resultados apresentaram dois miomas no útero já destruídos e por essa razão eliminava tal líquido amarelo-esverdeado. Como era um caso delicado, o médico cirurgião horas depois concluiu que a solução seria o bloco operatório, internando no mesmo dia para cirurgia urgente para retirada do útero.

Fiquei assustada mas, os médicos e a psicóloga tranquilizaram-me no que, agradeci profundamente. Fui para casa, materializei o donativo para agradecer a purificação e no final do dia, voltei para o hospital, onde fiquei internada. Na enfermaria onde me encontrava, deparei-me com três senhoras com o mesmo problema que eu e que já lá estavam há cerca de duas semanas à espera para serem operadas. Tal informação entristeceu-me e preocupou-me bastante. No dia seguinte, pedi aos fiéis que levassem flores e coloquei-as na minha mesa-de-cabeceira. As companheiras de quarto dirigindo-se a mim perguntaram: “Porque é que não nos dás também flores para nossas bancas de cabeceira?”. Pedi mais flores e distribuí para todas e ministrei Johrei, assim como as demais senhoras em outras enfermarias sem nenhum problema, pois os enfermeiros deixavam-me à vontade.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, na enfermaria das mulheres grávidas que por superlotação tinha duas em cada cama, naquela semana duas foram para o bloco operatório e outras tiveram alta, assim a enfermaria ficou vazia. A equipa médica agradeceu muito porque ficaram com pouco trabalho. Dias depois, mais duas foram operadas com sucesso, tiveram alta mas, sempre que fossem ao curativo passavam por mim para receber Johrei.

Passei a aprofundar na ministração onde cada paciente recebia uma hora de Johrei.  Fiquei sozinha no quarto durante dois dias. Mais tarde pedi que trouxessem flores a fim de fazer a vivência no hospital, como preparação do Culto Mensal.

Graças a Deus, ganhei a permissão de confecionar 10 (dez) arranjos, que coloquei na minha banca-de-cabeceira com o objetivo de fazer feliz qualquer pessoa que entrasse no quarto. Minutos depois, o diretor clínico entrou, olhando os arranjos, disse: “Este quarto está a brilhar muito…”. A chefe de secção também entrou, observou as flores e chamou as outras pacientes para que fossem buscar flores e também colocassem nas suas bancas-de-cabeceira. Graças a Deus, todas levaram com muita alegria num total de 9 senhoras. De seguida, o Diretor perguntou como estava o meu problema, ao que respondi que nada sabia. Seguidamente ligou para o Director Geral do Hospital para verem o meu caso. Os dois entraram em consenso e mandaram a Chefe de Secção que por sinal é Freira preparar-me para a cirurgia no dia seguinte, isto é, no dia 04/ 09/ 2020. Quando eram 11 horas, a médica de serviço chegou e deu-me a notícia de que estava adiada a minha cirurgia. Eu só disse: “Graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama! ”. Ela disse: ” Está a agradecer?”. Respondi: : “Sim, estou!”.

Fiquei a ler os Ensinamentos de Meishu-Sama e ganhei força para ir à sala do pós-operatório a fim de ministrar Johrei. La estavam sete senhoras e todas receberam Johrei com toda a naturalidade. Uma delas, aquela era a segunda cesariana e  os filhos, após os partos, faleciam sempre. Fiquei muito sentida e no dia seguinte voltei e ministrei novamente Johrei inclusive à colega que estava comigo na mesma enfermaria. No dia 06 de Setembro, todas tiveram alta graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama. Trocamos contactos telefónicos, falei-lhes sobre a Igreja e convidei-as a que sempre que quisessem Johrei, solicitassem. Nesse mesmo dia fiz e distribui 10 arranjos no banco de urgência obstétrico, na sala de reanimação e nas outras enfermarias.

Depois me foi dito que a cirurgia já não seria mais naquela semana. Desanimada, comecei a desesperar-me, pois já estava há 24 dias hospitalizada e 12 dias sem tratamento algum, apenas com a medição de temperatura e exames de laboratório.

Depois que me reanimei, confeccionei um total de 10 (dez) arranjos que distribuí em duas enfermarias. De seguida fiz a oração Amatsu-Norito, pedindo ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama que se fizesse a sua vontade e fui ministrar Johrei aos outros pacientes. O sentimento de tristeza que me invadia, desapareceu por completo.

Certo dia, a chefe de secção disse-me: ” Quando colocas flores nas enfermarias e outros locais, o ambiente fica mais leve e com pouco trabalho porque os pacientes se curam mais rápido e obtêm alta de forma massiva!”.

Quando eram 09 horas do dia 10 de Setembro, fui ao banheiro para a higiene pessoal habitual quando de repente, senti que algo escorria pelo meu órgão genital. Naquele instante agradeci e entoei a oração Amatsu-Norito, pedindo ao Messias Meishu-Sama que me protegesse. Ao terminar, fui ministrar Johrei às pacientes da outra enfermaria, com o Sonen de que Meishu-Sama também as protegesse. Dia seguinte, resolvi comprar algum material de limpeza para limpar a casa de banho da enfermaria. Na altura quando limpava, surpresa, apareceu uma frequentadora que eu acompanhava no hospital e juntas começamos a dedicar. Os médicos que diziam que a frequentadora devia ficar hospitalizada até ao dia do parto, inesperadamente depois de ter sido observada teve alta com orientação de que todas as semanas fosse fazer o controlo no que ela agradeceu profundamente.

No dia 14, logo pela manhã, a equipa médica entrou na sala a perguntar por mim e mais uma vez mandaram preparar-me para o bloco operatório. Desta vez foi realizada a cirurgia e com sucesso, onde me foi retirado um mioma de 4 quilos, sem, no entanto, ser necessária a transfusão de sangue, que se previa fazer. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, dois dias depois tive alta e estou de repouso em casa.

Ao despedir-me da equipa médica, a chefe da secção pediu que levasse flores sempre que fosse fazer o curativo. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, tenho cumprido com a promessa.

Algumas experiências vivenciadas:

1.- Uma senhora que se encontrava internada há mais de 4 meses diagnosticada com mioma uterino e grávida, cujo bebé não desenvolvia devidamente, depois que recebeu a flor e passou a receber Johrei diariamente, foi operada com sucesso, o bebé nasceu com 2 Kg e ambos estão bem de saúde. Trocamos os contactos telefónicos para posterior acompanhamento.

2.- Outra Senhora com problemas de hipertensão (tensão arterial alta) que sempre chegava a 170, depois que começou a receber Johrei sua tensão normalizou, o foco e os batimentos cardíacos do bebé que estavam muito lentos e com o líquido amniótico escasso, normalizaram. Pedia Johrei dizendo que se sentia muito bem quando recebia. Quando ia para o bloco operatório pediu-me Johrei com oração. Depois de 30 minutos, a médica apareceu e disse-me: ” A sua oração actuou mesmo! Nós não esperávamos que o bebé nascesse vivo mas, chorou muito ao sair do ventre da mãe! Está bem e saudável!”.

3.- Durante a minha permanência no hospital,  entre várias pessoas que receberam Johrei, pude cuidar e acompanhar 6 senhoras, das quais, 4 delas com o mesmo problema que eu, 2 com gravidez de risco e todas foram operadas com sucesso. Já em suas casas, continuam a solicitar Johrei.

Aprendi que Deus nos utiliza seja onde estivermos e que em qualquer lugar podemos cumprir nossa missão! Basta querermos!

O meu compromisso é cuidar delas logo que terminar o repouso médico e encaminhá-las à fé Messiânica!

Muito obrigada!

136 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário