ANA PAULA TCHIMALIA – JC BOA-VISTA – BIÉ – ANGOLA

Chamo-me Ana Paula Tchimalia, sou frequentadora, dedicante do Sanguetsu.
Conheci a Igreja Messiânica no dia 12 de Março de 2018, por intermédio de uma senhora membro por quem tenho muita gratidão.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: doenças e conflitos familiares.

Sofria de dores no peito e de cabeça e não conseguia andar. Quando me movimentasse, sentia dores extremamente intensas. Também tinha dificuldades de ficar no meio de multidão. Também não conseguia passar a noite em casa, pois via vultos.

Para resolver esses problemas, procurei Igrejas espíritas, aonde fui submetida a vários tratamentos, sem resultado satisfatório. Minha família, inconformada com o meu estado de saúde, levaram-me a mais uma Igreja, aonde fiquei internada durante 7 meses. Nessa Igreja foi submetida novamente a fortes práticas ascéticas. Para o tratamento, o dito pastor pediu-me que comprasse sete cadeados e uma corrente de sete metros. Fui levada na mata e acorrentada primeiro numa árvore, por que segundo o pastor, meu espírito estava aprisionado. Depois de passar o dia todo nas correntes, me colocaram no círculo de fogo que estava preparado com o objectivo de expulsar todos os demónios e no final, fui despejada água quente no corpo. Depois disso, o pastor disse: ” Corre e não olha para trás!”. Quando cheguei na Igreja, fui orientada a fazer jejum e apenas comer duas bolas de Funge[1] durante o dia.

Após completar 7 meses de internamento e não vendo nenhuma melhoria, decidimos abandonar os tratamentos. Sem esperança de vida, a irmã acima citada, que acabava de mudar no nosso bairro, ao ver todos os dias a minha filha menor de idade ir fazer compras e a cuidar dos seus irmãos também menores, veio em minha casa, falou-me do Johrei e me ofereceu oração. Não hesitei e recebi Johrei. No domingo, levou-me no culto dominical e após participar do culto, todas as dores que sentia desapareceram! A saúde tinha voltado!

Passado alguns meses, a doença tinha acelerado. Não entendi na altura e abandonei a Igreja, procurando novamente por outros caminhos. Fui internada na casa de uma curandeira. Nessa casa, sonhava sempre a fazer experiência de fé e tinha dias que sonhava com casas inacabadas. Passando algumas semanas, a polícia prendeu a curandeira por motivos desconhecidos e foi levada para a comarca.

Comecei a refletir sobre o tempo que estava na Igreja. Antes de entrar na Igreja Messiânica, não eliminava catarro e sentia o corpo muito pesado. Porém, no pouco tempo que estava na Igreja Messiânica, já tinha algumas melhorias. Foi assim que decidi retornar à Igreja. Fui recebida pelo responsável, que por sua vez me fez compreender que o motivo da doença ter acelerado foi porque eu tinha recebido muitas graças e não havia agradecido nem se quer uma graça. Ele me orientou a fazer um donativo de pedido de perdão pelas minhas falhas e fazer um donativo de agradecimento pelas graças recebidas!

Feito isso, fui agraciada novamente com saúde e felicidade em casa!

A experiência de fé que passo a relatar a seguir, está relacionada com o encaminhamento e dedicação de limpeza no cemitério.

No final de 2018, minha primogénita ficou grávida de um jovem meliante do bairro. Segundo as pessoas, minha filha poderia sofrer porque o mesmo tinha fama de não assumir as mulheres e assaltar as pessoas. O jovem roubava e bebia muito e não tinha boa relação com os vizinhos. Todo mundo me criticava por eu ter permitido que minha filha fosse engravidada por uma pessoa maldosa.

Sempre que ele bebia, vinha na minha casa, ofendia a mim e ao meu esposo. Dizia coisas horríveis de se ouvir, tendo inclusive dito que nunca assumiria minha filha. Muitas vezes, ao amanhecer, foi encontrado a passar a noite em frente da nossa porta.

O meu esposo, na qualidade de polícia queria tomar algumas medidas, mas, eu não deixava. Todas as vezes que ele chegava bêbado em minha casa, eu lhe dava flor e mesmo contra vontade do meu esposo, colocava-lhe dentro de casa e orava com ele.

Até que certo dia, convidei ele para participar na dedicação de limpeza do cemitério ele aceitou. Após o término da dedicação, ele me disse que o seu pai tinha sido enterrado naquele cemitério. Procuramos a campa e fizemos também limpeza na mesma.

Passado algumas semanas, ele, que não fazia um dia sem beber e fumar, para surpresa de todos, já estava há uma semana que não fazia o uso de nada. Os moradores começaram a admirar. Sua mãe, ao ver a mudança do filho que depois de muitos anos de sofrimentos, em que ele não se preocupava em procurar emprego, ofendia e agredia a mãe, para sua grande surpresa, viu-lhe a procurar emprego e a mudar de comportamento!

Ela foi até minha casa para saber o que tinha dado ao seu filho e agradecer-me pela mudança que ele teve. No final, ela me relatou que o pai do meu genro morreu devido ao consumo excessivo de álcool, tendo morrido numa casa de bebidas enquanto fazia o consumo da mesma. E, desde aquela data, o filho também tinha começado a fazer o consumo de álcool. De todas as tentativas que fizeram para salvar o menino, não conseguiram e ela como mãe, apenas tinha se resignado.

Ela assumiu o compromisso de trazer a sua família para fazerem a apresentação na minha filha, porque foi graças ao meu amor que o filho dela teve essa grande mudança e não poderia ser ingrata comigo! Assim, no dia 10 de Setembro do corrente ano, cumpriu a promessa. Vieram fazer a apresentação na minha filha e marcaram o pedido para o próximo ano.

Graças a Deus e Meishu-Sama, meu genro está a dedicar, cuidar bem da minha filha e voltou a ganhar o respeito e admiração dos familiares e vizinhos!

Aprendi que devemos tratar todas as pessoas sem distinção tendo um coração amplo para acolher as pessoas que chegam até nós!

O meu compromisso é de me esforçar para ganhar a permissão de me tornar membro e melhor cumprir a minha missão de cuidar de outras pessoas!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pelas constantes graças e proteção que tem concedido à minha família!

A todos que partilharam do meu relato de fé, muito obrigada!

[1] Funge ou pirão é um acompanhamento culinário típico de Angola, confeccionado com farinha de milho ou de mandioca, base da alimentação das populações do norte de Angola e no também do sul. A farinha é cozida e mexida com muita frequência e de forma enérgica, para que se obtenha a consistência certa.

 

84 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário