Cristina Evaristo – JC Cabolombo – Luanda/Angola

Chamo-me Cristina Itala Evaristo, sou membro e dedico como encarregada do Grupo Sol.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a obediência no cumprimento das orientações.

No início do estado de emergência, fiquei um pouco preocupada mas, graças a Deus, decidi aprofundar no desafio de orações em casa, na limpeza profunda na minha casa e na dos meus pais que são membros e principalmente assistência nas casas que acompanho.

No meu local de trabalho, as coisas estavam complicadas, pois há cerca de 3 meses que só eram pagos os salários dos seguranças, deixando os outros funcionários descontentes. A Direcção da Empresa alegava não ter suporte suficiente, ameaçando diminuir o número de trabalhadores. No entanto, passei a agradecer pela purificação. Fazia a campanha de limpeza diariamente, confecionava flores, e implementei também a horta semeando produtos alimentares e flores.

Na Unidade Religiosa, passei a empenhar-me nas práticas básicas diariamente, uma vez que também dedico na Liturgia. Fruto dessas actividades, no mês de Setembro, todos os funcionários foram pagos! As ameaças de despedimentos terminaram, o proprietário da empresa também conseguiu, depois de muito tempo, adquirir 3 viaturas, uma pessoal e duas para apoiar a empresa.

Entretanto, no mês de Julho, purifiquei fortemente com sintomas de paludismo. Graças a Deus, com apenas o recebimento de Johrei, consegui ultrapassar a purificação. Como gratidão, materializei um donativo especial e continuei a empenhar-me no cumprimento das práticas básicas.

Contudo, no mês de Setembro, o meu genro que é taxista, foi assaltado e agredido por marginais e tiraram-lhe a viatura. Ao comunicar o sucedido ao proprietário da viatura, este ameaçou que venderia a casa do meu genro, caso a viatura não aparecesse. Quando a minha filha, desesperada, comunicou-me o ocorrido, eu estava na Unidade Religiosa a ministrar Johrei. No mesmo instante, agradeci a purificação com uma oração e fiz um donativo. Graças a Deus, no dia seguinte, conseguiram localizar a viatura que estava quase a ser vendida pelos marginais porém, com o apoio das autoridades, foi recuperada.

Dois dias depois, a minha neta de 9 anos adoeceu e foi levada para um centro médico, onde disseram que estava com falta de sangue e princípio de malária. Assim, foi transferida para o Hospital Municipal da Samba. Lá, a criança foi encaminhada para o banco de urgência. Já não falava, nem abria os olhos, ficando nas sondas. Perante essa situação, fui à igreja onde materializei um donativo de gratidão. Passei também a ministrar Johrei nos pacientes em coma, na sala onde estava a minha neta. No dia seguinte, deixei a minha filha no hospital e fui participar da campanha de limpeza nos arredores da maternidade do Benfica, acompanhada da minha mãe.

Posteriormente, comunicaram-me que a menina havia sido transferida para o Hospital Maria Pia, na área de isolamento, nos cuidados intensivos e sem direito a visitas. Materializei um donativo para a construção do Solo Sagrado, encaminhando todos os Ancestrais e Antepassados ligados àquela purificação. A mãe da criança também materializou um donativo de gratidão.

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, depois de uma noite, a criança saiu do isolamento para a sala normal e tornou-se possível fazermos visitas. Ela começou a apresentar rápidas melhorias. Recuperou a consciência e começou a falar. No dia seguinte, recebeu alta e foi para casa, onde tem recuperado satisfatoriamente.

Fiz um donativo para agradecer pela nova vida que a minha neta ganhou de Deus!

Com esta experiência de fé, aprendi que Meishu-Sama é na verdade o Messias esperado pela humanidade e que devemos ter sempre Deus como guia, em qualquer situação!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, por me terem mostrado este maravilhoso caminho da salvação!

Muito obrigada!

118 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário