Sídia Diogo – IMMM – Sede Central

Chamo-me Sídia Helena Diogo, tenho 21 anos de idade. Sou membro da igreja e estou integrada na equipa de locução na Sede Central.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a importância de dedicar com o sentimento de desapego e gratidão com relação aos problemas pessoais.

Há alguns anos, tive um desentendimento com o meu pai. Enviei uma mensagem, expressando todo o ressentimento e mágoa que sentia por ele. Eu nem sequer quis ouvir, nem entender as suas razões. Depois que lhe disse tudo o que carregava no coração, senti-me aliviada, pensando que não teria nenhum peso de consciência.

O tempo foi passando e nunca mais tinha falado com ele. A minha mãe sempre conversava comigo e dizia que eu devia tirar a mágoa que carregava dentro de mim e eu sempre dizia que não tinha nenhuma mágoa e estava tudo bem comigo!

Em 2019, tentei concorrer para a faculdade, mas, não fui admitida. No ano seguinte voltei a concorrer, porém, novamente sem sucesso. Muitas pessoas tentaram ajudar-me, mas, alguma coisa acontecia e não conseguiam me apoiar. Na altura, eu dedicava no Johrei Center do Malhazine, contudo, devido ao início da pandemia, a unidade teve que fechar e fui orientada pela minha mãe a dedicar na sede central, dedicação essa que iniciei no mês de Novembro de 2020.

Quando cheguei à sede central, fui atendida pelo missionário que me explicou que neste local eu iria tirar toda a mágoa e todos os outros sentimentos negativos que carregava dentro de mim, pois do altar emana uma luz muito forte, com a capacidade de limpar as nossas mais profundas máculas e de nossa linhagem familiar. Dentro de mim, eu me perguntava:” Será?”.

Recebi e pratiquei todas as orientações com obediência. Fazia o meu plantão duas vezes por semana, das 6h às 12h e realizava a marcha nas casas. Todos os dias quando chegasse à sede central, o missionário ministrava-me Johrei e insistentemente perguntava se estava tudo bem, ao que eu respondia que sim.

Certa vez, fui atendida por um outro missionário que também persistentemente perguntava se estava tudo bem comigo e eu dizia que sim. Sem eu saber o porquê, este missionário contou um episódio da sua vida em que nada dava certo por causa do sentimento de mágoa que nutria pelo seu pai, quando este saiu de casa abandonando a mulher e filhos. Contou ainda que durante este período, ele tornou-se uma pessoa muito má e nada dava certo na sua vida.

Eu abri o meu coração e falei-lhe da mágoa que sentia pelo meu pai e de todas as dificuldades de entrar para a faculdade e até de conseguir um emprego.

Após ouvir atentamente, ele disse-me que estava tudo relacionado e que eu devia fazer como ele fez: orar pela felicidade do meu pai e pedir perdão à Deus e a Meishu-Sama por esse sentimento que me dominava! Orientou-me ainda a fazer uma horta caseira como forma de agradecer pela terra que nos dá o alimento e acima de tudo, agradecer pela vida. Orientou-me ainda a orar pela felicidade de 10 pessoas que tinham as mesmas dificuldades que eu.

Não foi fácil aceitar que eu é que estava errada, mas, uma coisa é verdade: eu estava a sofrer com aqueles sentimentos fortes dentro de mim! Ainda assim, cumpri com a orientação recebida e graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama, os resultados não tardaram a chegar.

Eis que, certo dia, a minha mãe falou com o meu pai e sugeriu que, através de uma chamada em conferência, cada um abrisse o seu coração e expusesse o que carregava dentro de si. Marcamos o dia e assim aconteceu. Depois de 4 anos, pude falar com o meu pai e ouvi tudo o que ele sentia por nós e principalmente por mim! Pedi-lhe perdão e esclarecemos todo o mal-entendido. A partir daquele dia, a minha relação com meu pai mudou por completo, pois ele passou a interessar-se, cada vez mais, pelos meus planos e até aconselha-me sobre questões da vida em geral. Prometeu ainda ajudar-me caso eu decidisse concorrer para a faculdade.

As graças continuaram a jorrar, pois, certa vez, recebi uma chamada de um dos locais onde a minha mãe ajudou-me a submeter documentos de pedido de emprego. Fui à entrevista e passei! Fui colocada numa formação, onde consegui ser aprovada com notas altas e admitida no emprego, onde, actualmente, me encontro a trabalhar há um mês!

Por gratidão por estas e tantas graças recebidas, fiz o meu donativo especial de gratidão com todo o meu primeiro salário, agradecendo do fundo do coração. Não há palavras que expressem a minha gratidão!

Aprendi que o coração queixoso e magoado realmente nos liga à satanás e nós sofremos com isso! A melhor coisa mesmo é manter o coração agradecido!

O meu compromisso é de continuar a servir na Obra Divina, dando o meu máximo e melhor na salvação da humanidade e construção do Paraíso Terrestre!

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama pela permissão de ser útil à Obra Divina, junto com os meus Antepassados!

Muito obrigado!

81 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário