Luísa Domingos António – JC Rio Seco – Luanda

Chamo-me Luísa Domingos António, tornei-me membro no dia 28 de Agosto de 2021.

Conheci a Igreja Messiânica em 2015 por intermédio da minha sogra.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram doenças, miséria e conflitos.

Tive um filho epiléptico desde os 4 anos de idade. Na busca de soluções, procurei por hospitais, igrejas espíritas, casas de curandeiros e, quimbandeiros gastando avultadas somas em dinheiro, porém, sem resultado satisfatório. Um dos quimbandeiros disse-me que era a minha família a causadora da doença de meu filho, facto que causou muito conflito no seio familiar.

No hospital, disseram-me que a doença era hereditária e não havia cura.

Foi neste quadro de sofrimento que conheci a Igreja. Fui recebida e orientada pelo plantonista as Práticas Básicas Messiânicas.

Não tive dificuldade em cumprir com as orientações. Dois meses depois, a saúde do meu filho melhorou consideravelmente e pararam as crises. Também ganhei a graça de um novo emprego.

Por ingratidão, não agradeci e distanciei-me da igreja. Três meses depois, eu e meu esposo começamos a receber advertências de acidentes, pois não fazia dízimo nem donativo de construção. Despertamos através de um sonho, onde os meus Antepassados pediram-me que fizesse donativo da metade do salário. Nesse período, meu filho repurificou com crises constantes. Lembrei-me de Meishu-Sama e voltei a dedicar.

Como vivo perto de uma rede da salvação, recebi a orientação da encarregada da rede para passar a abrir e fechar a nave.

Os milagres não se fizeram esperar. Minha família, que há muito não me procurava, passaram a fazê-lo, apoiando-me financeiramente e com bens alimentares.

Em 2017, meu filho partiu para o mundo espiritual. Nesta ocasião eu orava e vivia lamentando pois, não me conformava com o passamento físico de meu filho. Certa noite, sonhei com Meishu-Sama me dizendo: O seu filho foi cumprir missão!”. Desde então, parei de chorar e lamentar, agradecendo com um donativo de gratidão!

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o cumprimento das orientações, limpeza e o acompanhamento de pessoas.

Após o parto, não podia vir à igreja por causa da restrição. Fiquei três meses em casa. Depois de receber a orientação superior sobre a importância de acompanhar as famílias nesse período pandémico, comecei por visitar algumas casas de membros, de frequentadores, de primeira vez e dos meus familiares. Passo a relatar algumas ocorrências.

– Visitei a casa de uma senhora, membro afastada, a qual aconselhei a voltar a dedicar, mas, ela não aceitou. De noite, foi à minha casa com a sua bebé em estado grave, pedindo ajuda a mim e meu esposo. Fomos à casa dela naquela noite. Lá, fizemos a oração, vivência da flor e ela materializou um donativo de gratidão. No dia seguinte, a criança melhorou. A referido membro pediu para levar-lhe à rede da salvação que fica próxima do nosso bairro. A bebé se encontra bem de saúde, a mãe voltou a frequentar a igreja e já reconsagrou o Ohikari.

– Uma frequentadora, sua filha padecia com dores de barriga, chegando a inflamar. Levei a flor de luz em sua casa. Posteriormente, foram para o centro de Aprimoramento do Zango, numa quarta-feira na marcha de Johrei. Dias depois, a purificação ficou ultrapassada. A mesma agradeceu com donativo e continua a receber assistência de oração e vivência em sua casa.

– Abri a casa de uma senhora. Lá, uma jovem estava a purificar com paludismo, segundo o relato da família. Não tinham dinheiro para a consulta, muito menos para a compra de medicamentos. A jovem não conseguia andar e tinha febres altas. Após aprofundar na oração e fazer Ikebana em sua casa, tudo foi ultrapassado. Ela já vai à minha casa buscar flores para a ornamentação da casa.

– A minha irmã estava a purificar durante um mês. Com isso, pediu a minha presença através de várias ligações telefónicas. Um dia, decidi atender a chamada, me deslocando para sua casa. Quando ela me viu, pediu para aquecer água, a fim de pôr os pés na água morna, porque estava a sentir muito frio, num período em que fazia muito calor. Não obedeci. Fiz a oração, ela se levantou e começou a andar. Também, alimentou-se em condições, algo que já não fazia. Foi um milagre. A sogra da minha irmã deu um ataque, foi levada ao hospital, mas, não estava a ser atendida. Fiz a oração, ela foi atendida e teve sucesso. Com tudo isso, minha irmã, que já não trabalhava por causa da purificação, voltou a trabalhar. Minha perna, que havia inflamado por causa da queda de um bloco de cimento, depois de fazer um donativo de gratidão, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, desinflamou e já está melhor.

No mês corrente, meu filho estava a purificar com diarreia e vômito. Levamos à igreja para receber assistência. Porém, mesmo tendo donativo, não materializei por causa do apego. De noite, a purificação acelerou e levamos ao posto médico. Foi dada uma injecção e mandaram-nos de volta para casa. Em casa, a criança voltou a piorar ao ponto de ficar num estado acentuado de enfraquecimento. Sem saber o que fazer, decidi ir à casa da encarregada da rede.

Comuniquei ao meu esposo o que pensava. Ele não aceitou, dizendo que lá não tinha nada que pudesse ajudar. Insisti e me dirigi à casa da nossa orientadora. Antes de batermos a porta, meu esposo apalpou a criança e disse que não adiantava incomodar porque a criança já estava morta! Mesmo assim, insisti em bater o portão e fomos atendidos.

A encarregada olhou para nós e orientou-nos a materializar todo donativo que tínhamos. Enquanto a criança recebia Johrei, meu marido e eu fomos fazer dedicação na terra, limpeza do banheiro e do quintal, pedindo perdão. De realçar, que chegamos às 21 horas e quando eram 23 horas, meu filho voltou à vida, ou seja, deu um grande suspiro e começou a chorar! Irmãos, meu filho ressuscitou! Até hoje, ele se encontra bem de saúde, pela graça de Deus e Meishu-Sama!

Para agradecer estas graças, materializei um donativo especial e me tornei candidata à outorga da luz divina, Ohikari.

Pela permissão de Deus e Meishu-Sama, encaminhei mais de 100 pessoas à fé, das quais 23 tornaram-se frequentadores. Cuido de uma casa de membro, e duas de frequentadores com um total de um membro e sete frequentadores. Tenho a horta caseira, faço dízimo, donativo de construção, diário!

Aprendi que Meishu-Sama é realmente o Messias Salvador, há muito esperado pela humanidade!

Comprometo-me em aprofundar nas dedicações e formação das 100 mil famílias convictas!

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação!

Muito obrigada!

70 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário