Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Culto Mensal de Gratidão de Fevereiro 2022

Palestra do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Sede Central de Moçambique

Kanimambo!

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?

Muito obrigado pela vossa presença! Muito obrigado!

Quero agradecer, do fundo do coração, pela dedicação sincera dos senhores em prol da expansão da Obra Divina aqui em Moçambique, em todo nosso querido continente africano, Rússia, Cuba. Agradecer aos nossos irmãos que estão participando junto connosco no culto mensal de gratidão do mês de Fevereiro, a partir de toda a África!

Muito obrigado pela recepção calorosa, e parabéns a todos pela permissão de terem conseguido vir ao culto no meio de tanta chuva! Tivemos chuva forte nos últimos dias, principalmente de ontem para hoje, então é uma grande permissão conseguirmos chegar. Vamos orar pelas pessoas que estão afectadas por essa chuva. Não é só aqui, na África do sul também está a chover bastante e em outros países está tendo uma limpeza muito grande através da água, através do fogo, através da terra. Realmente, é uma fase de grandes tribulações que nosso planeta está a viver, e quando nós falamos de participar no culto mensal de gratidão é para agradecer as bênçãos, as proteções, as purificações que tivemos durante o mês anterior e pedir permissão, receber força  para cumprirmos nossa missão no mês que se inicia.

Por isso é tão importante esse esforço para participar do culto mensal de gratidão. É um dia ímpar no mês. Meishu Sama fala que o dia que é emanada a maior luz a partir do altar é no culto de gratidão, principalmente aqui no caso que é na sede central do nosso país, em Moçambique. Assim, esse esforço é louvável, precisamos ter essa consciência e despertarmos as outras pessoas, os fiéis em geral, para também não falharem na participação do culto mensal para poderem receber força junto connosco.

Eu quero agradecer em particular o esforço extra que cada um dos senhores tem feito na obra de reforma aqui da nossa Sede em Moçambique. Nós começamos pelo altar, vamos dar continuidade, vamos aperfeiçoar cada vez mais esse nosso primeiro protótipo que é a sede central do nosso país. Também estamos desenvolvendo as obras de construção na sede central de África, no Futungo de belas, em Luanda, Angola, do futuro solo Sagrado de Cacuaco, estamos cercando o terreno e desenvolvendo a reforma da tubagem que puxa a água do rio para o terreno do Solo Sagrado. É uma obra de mais ou menos 3 Km que está sendo revisada, reforçada.

Em São Tomé e Príncipe, estamos avançando com a construção da Sede Central da nossa igreja naquele país. Dias atrás terminou a cobertura da nave. Lá, também é uma nave aberta como aqui. Nos demais países também estamos desenvolvendo obras de construção de Johrei Centers, centros de aprimoramento, e nas províncias de Angola também. Então, é muito importante nós termos essa consciência que a actuação de Meishu-Sama como Messias, Salvador da humanidade, está ligada à salvação e construção, e, todos nós precisamos aprofundar cada vez mais nesse processo de salvação e de construção, sendo úteis na construção do Paraíso Terrestre e  na salvação da humanidade!

Os senhores gostaram da experiência de fé da nossa irmã? Foi muito boa? Mais uma salva de palmas para ela por favor!

A experiência dela é muito forte, muito marcante. Ela, como candidata à outorga, conseguiu sair de uma purificação, de um sofrimento de 5 anos, e é um problema que acontece no mundo todo. É um problema muito forte esse sofrimento do alcoolismo.

É interessante o ensinamento de hoje, “É possível mudar o nosso destino livremente”, mostrando que é possível transformar o nosso destino. Esse ensinamento, eu gostaria que os senhores estudassem e distribuíssem ele, façam chegar ao maior número possível de pessoas (parentes, amigos, conhecidos). Quando Meishu Sama fala que é possível mudar o destino livremente: Como todos sabem desde os tempos antigos o ser humano costuma resignar-se a tudo, seja uma situação boa ou ruim atribuindo o desenrolar dos acontecimentos ao destino, definindo como algo que não pode ser mudado. Tipo minha vida é assim, não tem jeito! É assim que a maioria pensa, é nisso que a maioria acredita. Mas, Meishu Sama está dizendo aqui: Todavia, eu desejo ensinar que todos podem mudá-lo livremente! Em outras palavras, originariamente o destino foi criado de tal forma que a própria pessoa possa transformá-lo.

Originariamente o destino foi criado… O destino foi criado por quem? Por Deus, é uma lei de Deus, uma lei da natureza que a humanidade não conhece. O destino foi criado de tal forma que todos podem transformá-lo. Será que eu, como messiânico,  acredito nisso? Eu transmito isso para as outras pessoas? Eu vivo movido por essa crença? É importante nós refletirmos. E Meishu Sama diz que a compreensão deste facto nos leva, não só a abandonar a visão pessimista do mundo, mas a encarar este de maneira extremamente optimista. Porque principalmente hoje na situação em que o planeta está, o que a gente mais vê é o quê?! Desesperança! Não foi só a questão de pandemia, do covid, é tudo que gerou: desemprego, fome, depressão, onda de suicídio no mundo todo, alcoolismo como ela relatou, aumentou consumo de drogas, isso no mundo todo. Isso são dados oficiais! Não é o que eu acho. Basta pesquisar e constatação como isso disparou em todo mundo.

Por isso, nós que já conhecemos Meishu-Sama não podemos nos omitir. Pecado maior é a omissão. Vê alguém sofrendo, oferece a flor, ministra Johrei, transforma o destino da pessoa através da flor.

Hoje tivemos a cerimônia do Hatsu-Ike, não foi? Os senhores gostaram? Ganharam força para praticar a flor, a Ikebana no dia a dia? Para além de manter na nossa casa, vamos oferecer para o maior número de pessoas, com o objetivo de levar a luz de Meishu-Sama para essas pessoas. Vamos oferecer o Johrei. Não querer explicar não, levanta a mão, ministra Johrei. Deixa a pessoa sentir a luz de Deus através do Johrei.

Como a experiência que ouvimos da nossa irmã, milhões de pessoas estão a sofrer sem ver perspectivas de sair do seu sofrimento, e a experiência dela é mais uma que nos mostra que é possível mudar o nosso destino. É ser útil através da prática do donativo de gratidão. Ela própria se assustou quando viu o quanto ela gastava por mês de bebida.

Eu lembro de uma vez no Brasil, quando eu estava a fazer difusão, atendi um frequentador que chegou com o problema de um tumor na cabeça, e ouvindo o desabafo, ele contando os problemas dele,  falou: “Ministro, eu não vou mentir para o senhor, eu saio do trabalho todo o dia e vou para o bar!“. Eu falei : “Ah é, todo dia?”. Ele: “Todo dia. Do dia 1° ao 30° de todos meses. Só não vou em fevereiro porque tem 28 ou 29 dias. Mas em todos meses de 1 a 30 ou 31 eu vou para o bar todo dia!”.

Na época, a moeda no Brasil era um para um com o dólar. Eu me assustei na época porque ele gastava por mês 900 dólares no bar, de bebida, todo mês! 900 reais eram 900 dólares naquela época. Eu nunca esqueci isso:” Puxa vida,  esse homem gasta isso tudo em bebida, todos os dias! Depois, ele, com o Johrei, com a dedicação,  conseguiu diminuir e parar, e ficar curado do problema de saúde também. E a nossa irmã se assustou, mas começou a receber Johrei, fazer o donativo, como ela própria se perguntou: “Mas, essa bebida toda vai para onde???”.

Meishu Sama fala que tem um bocado de gente invisível que está bebendo e a gente não sabe, a pessoa não consegue controlar. Mas, no que ela começou a receber Johrei e ser útil através da prática do donativo de gratidão, começou a limpar as máculas que permitiam esses espíritos estarem ali e aí eles já não conseguem mais ficar. A pessoa começa a perder a vontade  de beber, como aconteceu com ela.

Então, muitas vezes nós estamos a viver uma situação difícil e nós queremos que aquilo acabe, que aquilo se transforme. Mas, nós precisamos lembrar: eu que estou a sofrer é que preciso eliminar a causa que está dentro de mim e está a gerar aquela situação!

Eu quando li a experiência dela pela primeira vez, lembrei da minha família. Acho que já contei algumas vezes para os senhores, minha mãe sofreu a vida inteira com o alcoolismo do pai dela. Meu avô bebia muito, a vida toda! Era um grande profissional, mas o dinheiro todo, era gasto com bebida e mulheres. Eu, como criança, várias vezes meu avô chegou em nossa casa bêbado, e eu e meu pai tínhamos que dar banho nele. Eu vivi isso na minha infância, dar banho nele, secar, trocar sua roupa, pois estava bêbado. Além disso, da questão da bebida, ele tinha várias mulheres. Tinha uma fase que ele tinha quatro mulheres. Eu só comecei a entender melhor a minha família quando cheguei na África. Mas, quem mais sofria com a situação,  era a filha dele, minha mãe! Outro filho vivia em outro estado e não tinha contacto.

Uma vez, ele desapareceu durante mais de dois anos. Minha mãe dizia: “Meu pai morreu! Meu pai morreu!”. Ela chorava, pois não tinha notícias do pai. Assim, meu pai, ao ver a esposa chorando desesperada, lembro que eu fui com ele uma vez, andamos em bairros bem perigosos, procurando para saber de notícias. Meu pai dizia: ” Seu avô morreu nada! Se tivesse morrido, a notícia tinha chegado lá em casa, mas temos que achar ele senão quem vai morrer daqui a pouco é tua mãe, de desespero!”. E a gente andava por áreas perigosas, até que depois de um tempo meu pai conseguiu encontrar ele e trouxe até nossa casa.

Eu lembro que a primeira vez que  meu avô recebeu Johrei foi na nossa casa. Minha mãe ministrando Johrei nele no rés do chão da nossa casa, na parte de cima, no primeiro andar começou um incêndio. Meu irmão caçula mexeu no ferro de engomar, começou a pegar fogo na mesa e eu tive que apagar o incêndio. O primeiro Johrei dele foi junto com essa purificação dentro da nossa casa. Sempre que ele ia lá, minha mãe ministrava Johrei nele e nós também. E minha mãe conseguiu entender que ela, como filha, é quem mais sofria com o problema dele. Não era nem ele. E ela viu:  “Eu é que preciso mudar!”. O que ela fez? Aprofundou mais na dedicação ministrando mais Johrei, formando membros, dando assistência e outorgando pessoas, aprofundando na prática do donativo de gratidão. Ela dedicou durante alguns anos na parte do Sorei-Saishi. Atendia e aprofundava nas pessoas tanto como fazer o Sorei-Saishi direito, como na dedicação e compromisso para que o Sorei-Saishi pudesse elevar aqueles antepassados, e aí meu avô foi diminuindo a bebida.

Eu lembro que eu conversava com ele, e dizia: “Vovô, você precisa ganhar juízo!”. Ele era uma pessoa muito boa. “VoVô, o senhor não está mais na época que tinha minha idade. Esse ponto  de ter muita mulher, hoje em dia tem AIDS Vovô, tem sida!”. Mas, ele foi largando as mulheres, parando de beber, diminuindo até que ele conseguiu ficar só com uma esposa, parou de beber, viveu até aos 84 anos, graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!

Estou falando isso porque existem muitos problemas nas nossas famílias que nós sofremos, e às vezes dedicamos querendo que a pessoa mude. Mas, precisamos mudar esse paradigma!

Como Meishu Sama fala: “É possível mudar o nosso destino livremente”! Basta semear o bem. Acumular virtude. E para o messiânico, acumular virtude é ministrar Johrei, ser sincero no donativo de gratidão e encaminhar pessoas, formar novos membros. Johrei, encaminhamento, donativo! Isso é que muda o nosso destino.

Mesmo que eu ministre Johrei todo dia na minha casa, na minha família, leio ensinamento, faço meu dízimo direito, meus donativos direito, mas, não estou preocupado em mudar a vida de outras pessoas. Eu estou cumprindo minha missão como messiânico? Eu estou a praticar uma fé altruísta ou egoísta?

Isso é o que nós precisamos entender. O que cada um de nós tem no pescoço, nas outras religiões não tem. Nós recebemos do Supremo Deus, por intermédio do Messias Meishu-Sama, a permissão de transmitir a luz do Supremo Deus, o Johrei! Nós precisamos levar essa luz para humanidade, para o mundo.

O que é a humanidade? Cada um de nós é parte da humanidade! A humanidade começa com cada um de nós. Então, o primeiro passo é praticar na nossa casa, mas nós precisamos nos preocupar em estar levando o Johrei e despertar as pessoas para encaminhá-las, para elas também se tornarem eficientes ministrantes de Johrei.

No nosso nível como messiânicos, o semear o bem além de acumular virtude ministrando Johrei, donativo, dedicando, compromisso de dedicação, precisamos nos preocupar em encaminhar e formar novos membros! Foi isso que mudou o destino da minha família e de milhares de pessoas que tive permissão de acompanhar e orientar até hoje. Quando nós aprofundamos nesse ponto de se preocupar realmente com a felicidade do próximo, despertar, buscar quem tem afinidade connosco. Tem pessoas que você vai ministrar Johrei, vai ter milagre e ela não vai vir, não vai despertar, não está na hora certa. Mas, precisa ter o objectivo claro e pedir: ” Meishu-Sama, me dê permissão de formar novos membros para expandir a Obra do Senhor, para poder expandir essa obra de Construção do Paraíso Terrestre!”.

Esse desejo sincero é que chega ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, e os nossos antepassados e ancestrais vão ter permissão para serem utilizados junto connosco para encaminhar, acompanhar e outorgar essas pessoas que tem afinidade com cada um de nós!

Então, nós estamos começando o segundo mês do ano, mês de fevereiro. Precisamos cada vez mais nos ligarmos com a construção do Paraíso Terrestre. Cada um se torna aquilo a que se dedica continuamente! Se eu me dedico continuamente a mentir, enganar, falsear, eu estou a participar da manutenção do inferno terrestre em que vivemos hoje. Se eu me dedico continuamente a me preocupar com a felicidade do próximo, do mundo, procurar melhorar o que está dentro de mim para servir melhor o meu próximo, a humanidade, levar o Johrei e as práticas básicas, praticar no dia a dia e procurar estender para o maior número possível de pessoas, começando pela minha casa, onde eu trabalho,na rua que vivo, onde  estudo, onde  frequento, eu estou preocupado com a construção do paraíso, e naturalmente eu me torno um indivíduo paradisíaco, habitante do paraíso. Porquê? Você está se dedicando a isso, você está preocupado em participar disso!

O que nós estamos vivendo hoje no nosso planeta é uma fase de grande selecção. Não é julgar, nem criticar ninguém. Cada um de nós precisa se preocupar em se tornar participante na Construção do Paraíso Terrestre, na salvação da humanidade. É assim que o nosso destino vai se transformar, destino dos nossos ancestrais e antepassados, dos nossos familiares e dos nossos descendentes. Essa é a fase que o nosso planeta está a viver hoje!

Então, mais uma vez muito obrigado! Desejo um feliz término de domingo para os senhores! Um feliz mês de fevereiro para os senhores, para os vossos familiares, e vamos juntos cada vez mais construir essa fé que nos liga ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, sendo instrumento deles para transformar a vida, transformar o destino das pessoas que tem afinidade connosco e aí naturalmente o nosso destino também é transformado como consequência normal.

Tudo o que nós plantamos, nós colhemos! Isso é lei da natureza. Por isso acho que Meishu Sama usou o termo basta semear o bem! O que nós semeamos é o que nós colhemos, é o que os nossos descendentes colhem! Nossos antepassados e ancestrais não sabiam disso porque nós estávamos na era da noite. Eles semearam sementes de egoísmo, materialismo. Era a fase em que o planeta estava. Agora, nós podemos fazer diferente, podemos ser diferentes semeando altruísmo, espiritualismo, gratidão, sendo instrumento para levar felicidade para o próximo e para toda humanidade!

Muito obrigado!

Feliz mês de fevereiro para todos os senhores!

Muito obrigado a todos!

166 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário