“Quando todas as pessoas abrirem as portas do seu coração…”

“Quando todas as pessoas abrirem as portas

do seu coração, as trevas que

envolvem este mundo desaparecerão”

Este livro (A criação da civilização) é sagrado e inédito na História. Em síntese, ele é o “Projecto de Construção da Civilização” e também o “Evangelho do Paraíso; poderia ser chamado ainda de a “Bíblia do Século XX”. Isso se dá porque a actual civilização não é verdadeira, é algo provisório até ao nascimento de uma nova civilização. O fim do mundo citado na bíblia refere-se ao término desse mundo de civilização provisória. Há, igualmente, a profecia: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho à todas as nações. Então, virá o fim”, que creio dizer respeito a este livro.

Na Bíblia, estão reunidos os ensinamentos de Jesus Cristo, mas o presente livro é revelação directa de Jeová, a quem ele se referiu repetidamente, chamando-o de “Pai do Céu”.

Jesus Cristo também fez a seguinte advertência: “Arrependei porque é chegado o reino dos céus”. Por conseguinte, Jesus não disse que ele próprio iria construir o Paraíso. Eu não digo que o Paraíso está próximo, mas sim que ele já chegou. Por esse motivo, actualmente, estou a executar os preparativos básicos para o estabelecimento do Paraíso. É tudo ainda em escala bem pequena, mas as pessoas estão admiradas com a força e os milagres surpreendentes que se manifestam diariamente. À medida que o Plano Divino, nesse formato de pequenos modelos, se desenvolver, abrir-se-ão as cortinas e será dado início a prestação de contas da Velha Civilização em termos mundiais. Isso vem a ser o início do Juízo Final, que tem por objectivo principal a distinção entre o bem e o mal. Ou seja, vamos entrar na fase em que o mal perecerá e o bem prosperará. Por essa razão, será incalculável o número de vítimas. O motivo da publicação deste livro está no grande amor de Deus, que, desejando minimizar a quantidade de sofredores, dá o primeiro alerta da salvação. Independentemente disso, Deus irá separar o bem do mal, o certo do errado da Velha Civilização e chegará o momento em que aqueles que forem bons e úteis serão poupados, e os maus, por não terem perspectiva, se extinguirão para sempre.

Evidentemente, quando o Juízo Final acabar, terá início o projecto do novo mundo. A reconstrução da cultura, nessa época de mudança, será algo sem precedentes que jamais poderemos ver no futuro. Sem dúvida, as falácias da velha civilização serão corrigidas e as directrizes da nova civilização, mostradas. Uma coisa, porém, nos deixa tristes: a grande purificação, que, com certeza, sobrevirá, devido aos pecados e impurezas que a humanidade veio acumulando ao longo de milhares de anos. Vou explanar isso nesta obra em detalhes. Para aqueles que a lerem, felizmente, será o mesmo que ter a corda da salvação diante de si. Portanto, devem agarrá-la sem qualquer vacilação. Em nome de Deus, estou antecipadamente a levar isso ao conhecimento da humanidade e a alerta-la para que se arrependa e se corrija. O que vem a ser isso, senão o grande amor de Deus? Conscientizando-se desse facto, as pessoas devem mudar imediatamente o seu pensamento e começar a preparar o seu espírito. Ao término do julgamento, em que se determina que as pessoas de pecados graves perecerão e as de pecados leves serão salvas, aqueles que acreditarem nisso, obterão a vida eterna e se tornarão habitantes do Paraíso Terrestre no futuro. Sendo assim, por meio deste livro, desejo fazer com que os leitores obtenham uma forte convicção, conscientizando-os plenamente de quão profundo e amplo é o Plano do Supremo Deus e de quão inferior e selvagem é a civilização actual.

Jornal Eiko, nº 170, prefácio do livro A criação da civilização, 20 de agosto de 1952

O Pão Nosso de Cada Dia pág. 21

Mateus 24:14 (Bíblia de Estudo Almeida).

Mateus 3:2 (Bíblia de Estudo Almeida).

Pecados e impurezas: em japonês, tsumikegare.  O termo tsumikegare pode ser dividido em duas palavras: tsumi, que, no âmbito legal, se refere aos crimes, delitos e infrações e, no aspecto religioso, significa “pecado” e descreve qualquer desobediência à Vontade de Deus, em especial, qualquer desconsideração deliberada das Leis Divinas. Já a palavra kegare significa “impureza” utilizada particularmente no xintoísmo como termo religioso. São causas típicas de kegare o contacto com qualquer forma de morte, parto, doença, menstruação, cuja condição pode ser remediada por rituais de purificação.

151 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário