Amélia Navaia – JC Benfica – Região Sul – Luanda

Chamo-me Amélia Navaia, sou frequentadora e dedicante do grupo Lua.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de angola em 2017, por intermédio de uma senhora, membro.

Os motivos que estiveram na base do meu ingresso na fé messiânica foram: doenças e dificuldades financeiras.

Na altura sofria com fortes dores de cabeça e palpitações. Na procura de soluções, ainda na Província de Benguela, frequentei casas de quimbandas e hospitais, mas não obtive nenhum resultado satisfatório. Cansada e em desespero, abandonei um dos recintos onde estava em tratamento sem despedir-me do quimbandeiro e vim para Luanda. Cá, entretanto, continuei com os tratamentos hospitalares onde também fui submetida a vários exames onde o diagnóstico era sempre o mesmo: infeção urinária, febre tifoide e tensão alta, cujos tratamentos foram em vão.

Por outro lado, enfrentava sérias dificuldades financeiras por conta do desemprego; para custear as despesas do tratamento, dependia de alguns biscatos como de capinagem, mas nem isso eu já conseguia fazer, o que tornou a minha vida um inferno de extrema miséria.

Foi neste quadro de sofrimento que consegui chegar até à Igreja, onde fui recebida pelo plantonista que ouviu atentamente o relato do meu sofrimento e orientou-me as práticas básicas que cumpri sem nenhuma dificuldade.

Como resultado, em menos de 1 mês os meus problemas foram ultrapassados; ganhei a permissão de ter um emprego o que minimizou as dificuldades financeiras.

Para retribuir as graças recebidas, comecei a materializar o donativo de ingresso na fé e de outorga; comecei também a encaminhar pessoas a fé messiânica, tendo já na altura um número elevado de frequentadores que eu cuidava.

Passado algum tempo, caí na ingratidão e abandonei a Igreja sem concluir os donativos, passando a frequentar uma outra religião acompanhada do meu marido. De realçar que, desde que abandonei a fé e passei a frequentar a outra religião, fui recebendo sérios avisos e advertências mas não dava muita atenção a isso. A minha quarta filha começou a purificar fortemente e tinha a barriga inflamada; foi submetida a vários tratamentos mas nada funcionava, nesta altura fui tendo vários sonhos e neste havia alguém com uma vassoura que dizia: Navaia! Toma a vassoura e vai dedicar! Aí eu despertava, mas não queria saber. A minha filha purificou durante quase 5 anos mas depois partiu para o mundo espiritual. Continuei a receber vários avisos por meio de sonhos. Foi assim que comecei a purificar com os sintomas anteriores, quando conheci a Igreja.

O meu filho de 8 anos queimou-se e teve ferimentos muito graves. Certo dia, preparei-me e fui a igreja; para a minha surpresa, em pleno culto, a mulher do pastor dirigiu-se a mim e olhando-me seriamente como se estivesse a incorporar disse: você é bruxa! Retruquei bruxa eu, porquê? Aí ela continuou: estás a receber tantos sinais mas não ouves porquê? Não vês o que estás a passar? Ainda surpresa com o cenário, retirei-me do recinto a chorar. No mesmo dia em sonho, apareceram vários antepassados furiosos e começaram a bater-me e quando pedi socorro para a minha avó, esta disse-me: esta surra é bem merecida porque não ouves e já fizemos de tudo para te alertar mas não funcionou. De repente, outro antepassado disse o seguinte: você que sabia orar puxas… estás bem mesmo, agora é só sai, sai, sai, corres connosco e deixaste de cuidar de nós agora estamos com fome, sede, sem roupa e nem casa quem vai cuidar de nós? Não temos aonde morar! A uns metros estava a minha mãe e a minha irmã que já se encontram no mundo espiritual dentro de um buraco sem roupa e com fome.

Ao despertar, comecei a sentir fortes dores de cabeça e por todo corpo; sem hesitar, fui para o Johrei Center. Lá, relatei toda a situação ao superior, que orientou-me a materializar um donativo de pedido de perdão por tudo, que cumpri rapidamente.

Graças a Deus voltei a dedicação depois desse longo período distante da Fé Messiânica.

Em Novembro do ano passado, como aproximava-se o culto as almas dos nossos Antepassados, preenchi o formulário e materializei o donativo antecipadamente, aguardando a data prevista em que se realizaria o culto. No dia marcado, enquanto me preparava para chegar à Sede Central, recebi uma visita que me impediu de aparecer para assistir o culto, embora uma irmã na altura tivesse passado para irmos juntas. Na sequência, senti como se tivesse levado uma surra, indisposição que só passou depois de ter pedido perdão de coração e com donativo, reconhecendo sinceramente arrependida, pelo grave erro que havia cometido.

Aprendi realmente, que ninguém faz por ninguém e que todas as nossas dedicações e esforços, são para salvar os nossos antepassados. Aprendi também, que Meishu-Sama é o Messias há muito esperado pela humanidade.

Tenho a horta caseira, faço dízimo e o donativo de construção; encaminhei 5 pessoas e sou candidata à próxima outorga.

O meu compromisso é continuar a aprofundar nas práticas básicas.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este caminho da salvação!

Muito obrigada!

82 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário