Religião Artística

Desde os tempos antigos, pensava-se que não havia muita relação entre Arte e Religião. No Japão, as manifestações artísticas tiveram início com a arte budista. Eram pinturas, esculturas e tecelagens mais simples. No que se refere à música, entre outros, existiam instrumentos tais como sho[1], hitchiriki[2], mokugyo[3] e dora[4], e entoações obtidas por meio da leitura dos sutras budistas. Por essa razão, podemos dizer que era uma arte primitiva. Mais tarde, estimulada pela introdução das artes chinesa e coreana, a arte japonesa passou por uma fase de imitação, até criar um estilo próprio.

Na época moderna, concomitantemente com a importação da cultura ocidental, foi introduzida a arte do Ocidente. Principalmente após o Período Meiji [1868–1912], afluíram, com ímpeto total, as artes da Europa e dos Estados Unidos. Assim sendo, o atual âmbito artístico do Japão reúne, assimila e sintetiza o melhor das artes do mundo inteiro e, como resultado, observamos o aparecimento de uma arte integradora. Por essa razão, podemos afirmar que o Japão é, de certa forma, um país que agrega culturas.

A propósito, não deve existir, ou melhor, nunca houve uma religião que desse tanta importância à arte quanto a religião messiânica. Isto porque, o Paraíso Terrestre – finalidade última da nossa religião –, é o Mundo da Arte. Se o Paraíso Terrestre é um mundo isento de doença, pobreza e conflito, isto é, o mundo de completa Verdade, Bem e Belo, evidentemente, o ser humano deve seguir a Verdade, amar o bem e abominar o mal; assim, tudo se tornará belo. Nesse sentido, muito mais do que ser apreciada, a arte se tornará indissociável da vida cotidiana e amplamente desenvolvida. Em outros termos, o Paraíso Terrestre será o Mundo da Arte.

Eis o motivo pelo qual tenho grande interesse pela arte e, futuramente, pretendo incentivá-la amplamente. Como primeiro passo, estou construindo o protótipo do Paraíso Terrestre, na cidade de Atami. Na sua conclusão, receberemos, com aplausos, maior atenção por parte da sociedade. É certo que mereceremos consideração mundial. Portanto, atualmente, estamos dando prosseguimento aos nossos planos sob essa diretriz.

Jornal Eiko no 107, 6 de Junho de 1951

Alicerce do Paraíso vol. 5

[1] Sho: instrumento musical de sopro, constituído de dezessete canos de bambu que possuem orifícios nas partes anterior e posterior.

[2] Hitchiriki: instrumento musical semelhante à auta.

[3] Mokugyo: objeto feito de madeira oca, em que se bate na hora de ler os sutras.

[4] Dora: instrumento musical de percussão, semelhante ao gongo.

155 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário