Palestra – Culto Mensal de Gratidão – Julho 2020

Culto Mensal de Gratidão de Julho

5 de Julho de 2020

Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

 

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?

Muito obrigado pela vossa participação no nosso culto em sintonia com a Sede Central!

Quero agradecer, do fundo do coração, por todos os esforços que os senhores têm feito em prol da expansão do Johrei e dos ensinamentos do Messias Meishu – Sama por Angola e por todo nosso querido continente Africano! Pelo esforço realizado também pelos nossos missionários que estão na Rússia e em Cuba. Muita força e estamos juntos com os messiânicos do mundo inteiro, centralizados nos nossos Solos Sagrados do Messias Meishu- Sama para podermos levar o Johrei e seus ensinamentos para toda a humanidade! Muito obrigado e feliz culto de gratidão do mês de julho para todos os senhores!

Gostaria de pedir desculpas aos senhores pelos problemas técnicos que tivemos. Quisemos transmitir directamente pelo menos a primeira parte da oração a partir da sede central. Durante o processo, estava tudo bem, porém, de repente travou toda a internet. Penso que congelou a imagem, então peço novamente desculpas aos senhores pelo transtorno. Vamos procurar melhorar e ver alternativas para que isso não aconteça novamente.

Contudo, o mais importante é que nós estamos conseguindo orar em sintonia com nossa Sede Central de África e agradecer tudo que aconteceu durante o mês de Junho. Gostaria de agradecer muito por todo o apoio no culto do Paraíso Terrestre e que possamos recebermos força no dia de hoje para cumprirmos nossa missão durante esse mês que se iniciou.

 

A Luz do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama

Graças a Meishu – Sama estamos tendo a permissão de receber muitas experiências de fé que estão a acontecer. São centenas de relatos, milagres, mudanças profundas na vida das pessoas em todos os países. Tenho compartilhado no dia a dia nos cultos matinais e vesperais. Muitas mudanças mostrando para nós que estamos no caminho certo, que a luz do Johrei está cada dia mais intensa. As respostas vão sendo mais rápidas e cada vez depende mais do nosso trabalho interior!

Dias atrás recebi um relatório que aconteceu na República do Benim, onde a nossa igreja conseguiu voltar às actividades que estavam suspensas devido ao confinamento. Uma senhora foi pela primeira vez visitar a igreja no início do mês de junho com o seu filho, um bebé de dois (2) anos de idade que não andava e nem engatinhava.  Ela participou do culto, recebeu bastante Johrei durante a marcha junto com o bebé. Gostou da igreja e voltou para casa. Quando chegou, colocou o bebé na varanda e entrou para resolver algumas coisas e quando voltou, o bebé tinha desaparecido. Ela ficou desesperada e se perguntando aonde estava o seu filho e quando foi ver, o bebé estava na casa vizinha brincando com as outras crianças. Naquele dia, a criança conseguiu engatinhar e andar pela primeira vez na vida depois de ter recebido Johrei! Para os senhores verem como está cada vez mais intensa a luz do Johrei!

Em Angola tivemos uma frequentadora que viu sua vizinha com um grande sofrimento. A vizinha tem também uma bebé de dois (2) anos de idade e desde os nove (9) meses, essa criança começava a chorar todos os dias às 21h e só parava às 5h da manhã. A nossa frequentadora, vendo os milagres que já estava recebendo na nossa igreja, se aproximou da vizinha e falou da igreja. Levou a flor, fez a vivência com a família e colocou uma flor ao lado da cama da criança. A partir daquela noite, a criança parou de chorar como vinha chorando desde os 9 meses de idade! Isso também vem nos mostrar a força da flor no nosso dia a dia!

Tudo ligado ao Supremo Deus e ao Messias Meishu–Sama emite Luz! Essa luz purifica as máculas, as nuvens espirituais que geram doença, pobreza e conflito. Então, os senhores ouviram milagres com o Johrei e milagres com a flor que a frequentadora levou.

Tivemos também uma experiência recente em Angola, de uma missionária que nessa fase de confinamento, o seu irmão foi internado em estado grave. Sua sobrinha tomou uma queda que originou um problema na coluna e não conseguia ficar em pé e nem andava, pois estava com dores o tempo todo.  Nossa missionária participou dos cultos no dia a dia, ouvindo as experiências sobre práticas básicas e ela reflectiu: “Eu estou a praticar o que está a ser orientado, mas, vou me empenhar mais na difusão da horta! Vou cuidar da minha horta e levar essa prática para outras pessoas também!”. Ela e a sua família começaram a conversar com os vizinhos sobre essa fase que estamos a viver, sobre a segurança alimentar e a decisão de comer alimentos que geram saúde para poder fortalecer o nosso sistema imunológico e começou a fazer hortas na sua vizinhança. Os vizinhos mobilizaram – se, começaram a ajudar e ela conseguiu fazer dez (10) hortas nas casas dos vizinhos! Começou a pegar caixas de leite e vinho, cortar e fazer mudas. Fez quarenta e cinco (45) mudas de árvores, começou a oferecer e a plantar na vizinhança. Os vizinhos também começaram a se empenhar e gerou esse movimento. Ela fez isso para agradecer a purificação do irmão e da sobrinha e à medida que foi fazendo, o irmão conseguiu recuperar, recebeu alta e a sobrinha também começou a recuperar satisfatoriamente da grave purificação que estava a sofrer na coluna!

O ensinamento que nós ouvimos hoje, do livro “Pão nosso de cada dia” volume único, versão do Brasil no capítulo fé, foi precedido por um poema de Meishu –Sama. Como eu já disse para os senhores, todos os poemas de Meishu – Sama também são ensinamentos, por isso é importante estudar com atenção os poemas, os textos, palestras e revistas. Esse poema fala:

“Iluminado pela luz de Deus, o homem pode viver sem dificuldades, mesmo num mundo de eternas trevas!

“Como o objectivo da nossa Igreja é a construção do Paraíso Terrestre, cada um de nós deve primeiramente criar o Paraíso no seu próprio lar. Para isso, cada um deve tornar seu espírito paradisíaco. Ter espírito paradisíaco significa não ter nenhum sofrimento.  Assim, se a afobação é um sofrimento, sofrer porque as coisas não correm a contento, também é uma situação infernal. Portanto, devemos, no mínimo, livrar – nos do sofrimento. Para isso, a melhor maneira é dirimi– lo através do sentimento de gratidão, ou seja, não criar o inferno dentro do coração. Devemos atentar para o facto de que as religiões até hoje consideram o sofrimento como algo benéfico. Mesmo o Cristianismo, uma religião que se propagou ao nível mundial, praticamente se desenvolveu por meio do sofrimento. Com os homens comuns têm esse facto gravado na mente, ainda que se tornem membros da nossa Igreja, não conseguem se desligar dessa ideia.”.

Tudo que escrevi acima é porque o mundo se encontrava na Era da Noite, isto é, o mundo era infernal. Por esse motivo, ainda que a pessoa se tornasse um exemplar seguidor de Fé, não conseguia escapar do sofrimento infernal. Agora, entretanto, como a Noite está se despedindo e o mundo está se tornando Dia, a nossa Igreja é que dará a orientação quanto à construção do Paraíso Terrestre. Com esse objectivo, devemos nos esforçar para construir o Paraíso dentro dos nossos corações, para que o inferno não tenha oportunidade de aí se instalar.”

Então, para nós podermos ser iluminados pela luz de Deus e vivermos sem dificuldades mesmo num mundo de eternas trevas, nosso coração precisa estar repleto de sentimento de gratidão! O sentimento de gratidão é que nos liga ao supremo Deus e nos permite ser iluminados pela sua luz e conseguir viver sem dificuldades mesmo com tudo que está acontecendo com o nosso planeta no dia de hoje. Os senhores podem ver nas duas experiências que nós ouvimos. Parabéns às irmãs Bernarda de Benguela e Cristina de São Tomé e Príncipe! Muito obrigado pelas experiências maravilhosas que foram lidas hoje!

As duas experiências nos mostram como a gratidão permitiu a ambas transformar situações graves que viviam em situações positivas nas suas vidas e mudar o destino das suas famílias. Eu já sempre cito para os senhores a palestra que Meishu-Sama fez quando fundou a nossa igreja no dia 1 de Janeiro de 1935. Proferiu uma palestra intitulada “Construção do mundo da grande luz”.  Um trecho dessa palestra diz o seguinte: “O mundo é composto por países, os países são compostos por cidades, as cidades por famílias e as famílias por indivíduos. Vamos conseguir salvar o mundo, salvando a sua menor parte que é o indivíduo. O indivíduo é salvo e se aperfeiçoa, assim o seu lar é salvo e se aperfeiçoa e isso se expande pela sociedade!”.

Então, mesmo recebendo milagre com o Johrei, os senhores podem ver na experiência da irmã Bernarda de Benguela, a vida dela começou a mudar, melhorou o conflito, começou a melhorar como frequentadora, até mesmo materialmente.

Posteriormente bateu a presunção: “Não preciso mais ir! A igreja é longe, não preciso dedicar!” e os problemas voltaram piores. Depois ela se arrependeu, reflectiu, voltou a dedicar. O indivíduo é salvo e se aperfeiçoa. O caminho para o nosso aperfeiçoamento é a gratidão a Deus! É reconhecer que tudo que nós temos, vem do Supremo Deus, principalmente o nosso maior tesouro que é a vida! Quando nós começarmos a cultivar esse sentimento, tudo muda, nossa perspectiva se transforma e então nós vamos conseguir ter um verdadeiro aperfeiçoamento. Nós vamos conseguir melhorar, evoluir, trabalhar nosso interior. Mas, sem esse despertar para a gratidão, nós não vamos conseguir nos aperfeiçoar e não vamos conseguir mudar o quadro da nossa família e muito menos da sociedade. Por isso, vamos estudar bem esse esse ensinamento durante o mês de Julho. Buscarmos o nosso aperfeiçoamento pessoal, a partir de cultivarmos o sentimento de gratidão.

A irmã Bernarda despertou, se tornou membro e começou a dedicar. Teve esse conflito com o cunhado e incrivelmente, depois da dedicação de limpeza que nós tivemos, ela viveu essa maravilhosa experiência!

Ela relatou que participou da limpeza e quando chegou em casa, encontrou o cunhado, que lhe pediu desculpas. Então, descobriu que ele é o director da escola onde ela havia acabado de participar da limpeza! Ou seja, ela limpou o local que ele está ligado assim, limpou as nuvens que estavam a gerar o conflito entre eles.

Em japonês, há uma frase que fala: “O lixo que nossos olhos veem, é o lixo que está no nosso coração!”. Ou seja, quando nós vemos o que nós limpamos, é como se tivéssemos limpado dentro da gente também. Por isso, devemos fazer a dedicação de limpeza em casa com o sentimento de que “Estou a limpar com a minha família, mas limpar o meu interior!”.

 A dedicação é o caminho para podermos nos elevar e crescermos cada vez mais!

Dedicação é sinónimo de gratidão! “Eu dedico, mas, não vejo nada!”. Se você está a dedicar para ver alguma coisa, não está a dedicar com gratidão, está a fazer uma troca com Deus! Se você pensa “Eu dedico e não vejo nada!”, quer dizer que não está a dedicar! Nós dedicamos para agradecer.

Também ouvimos a experiência da irmã Cristina de São Tomé. Ela, como mãe que sustenta a casa, começou por dizer o seguinte: “O salário não está cobrindo todas as despesas, como é que vai ser Meishu-Sama?”. Começou a lamúria, mas, começou também a participar dos cultos diários. Ouvindo as experiências de fé, recebendo luz da Sede Central de África, ouvindo os ensinamentos do Messias, ganhou força e ficou mais calma. Começou a aprofundar nas práticas básicas a partir de casa, a partir da igreja e então, inesperadamente, pela 1ª vez na vida, os familiares que estão no exterior mandaram uma mesada para ela e para a mãe. Começou a ter uma fartura que não tinha antes com o salário.

Nós precisamos entender que tudo vem de Deus! Quando nós estamos ligados a Deus, parece que as portas se fecham e abrem outras, mas, precisamos manter aceso esse sentimento de gratidão no nosso coração. Sempre lembrando que, o que parece ruim, quando agradecemos, nos qualificamos para receber uma situação melhor.

Num dos relatórios que recebi da nossa igreja em Moçambique, um dos nossos pólos há algum tempo atrás estava com problemas de formigas. Por mais que nós ajeitássemos tudo, as formigas não desapareciam. “Se elas estão aqui, tem alguma causa, algum motivo que nós precisamos descobrir!”. Recentemente naquela região teve uma praga de lagartas que comeram o milho da maioria dos produtores. Grande parte deles perdeu a sua produção de milho, mas, no nosso Pólo o milho cresceu bem bonito. As lagartas não conseguiram entrar no nosso Pólo, sabe por quê? As formigas comeram as lagartas e o nosso milho ficou protegido! Puxa vida! Se as formigas não estivessem lá, nós teríamos perdido toda a produção de milho!

Isso é nós buscarmos a Vontade de Deus por trás de tudo que acontece. Buscarmos o que estamos precisando aprender, o que estamos precisando aperfeiçoar!

É com esse sentimento que eu gostaria, junto com os senhores, de dedicar durante esse mês de julho, para começarmos a nos preparar para o culto anual dos antepassados no próximo dia 2 de Novembro.

As experiências de fé

Vamos continuar a aprofundar no que estamos a fazer, Johrei, ensinamento, vamos procurar registrar as nossas experiências de fé, mandar para a Sede Central de África.

Não tenham vergonha de contar as vossas Experiências de Fé pois para nós mantermos a gratidão no nosso coração, precisamos relatar os milagres para Deus, para as pessoas, escrever nossas experiências de fé e aí dedicarmos preocupando com a felicidade das outras pessoas. Se nós praticarmos uma fé só para resolver nossos problemas e da nossa família, nunca iremos conseguir manter acesa a chama de a gratidão por Meishu-Sama ter salvado minha vida, mudado a vida da minha família.

Por isso, dedicar para fazer também os outros felizes levando o Johrei, levando a flor, levando a agricultura natural, levando os ensinamentos do Messias Meishu – Sama.

Vamos cultivar uma fé que cada vez está a ligar – nos ao Supremo Deus e ao Messias Meishu – Sama, que está a nos capacitar para sermos verdadeiramente construtores e habitantes do paraíso.

Para isso, precisamos começar a ter um estilo de vida com práticas da era do dia, com práticas do Paraíso! E o primeiro ponto, o primeiro passo é mantermos a gratidão no nosso coração para nós podermos estar constantemente iluminados pela luz de Deus e conseguindo viver sem dificuldades maiores, mesmo no meio das turbulências que o nosso planeta está a passar.

São turbulências que nós sabemos que vão intensificar nos próximos tempos, isso Meishu – Sama deixou claro para todos nós.

O importante é “Como está dentro de nós, como nós estamos encarando tudo! ” e não perder o nosso foco. O nosso objectivo de servir, de participar na construção do Paraíso.

Devemos agradecer as purificações, aprofundar juntos nas práticas básicas da fé e a partir do nosso lar, levar isso para um maior número de pessoas possível.

Nós temos observado nas experiências de fé, que a partir do momento que começarmos a aprofundar mais no que é básico a partir de casa, ou seja, no Johrei, leitura dos ensinamentos, participar dos cultos matinais e vesperais, limpeza de casa, flor, e agricultura, estamos atraindo pessoas! Estão voltando membros afastados, estão chegando pessoas novas, os milagres estão acontecendo na vida delas. É o que Meishu – Sama falou na palestra quando fundou a nossa igreja “O indivíduo é salvo e se aperfeiçoa, assim, o seu lar também vai ser salvo e se aperfeiçoar. E isso vai se expandir para a sociedade!”.

Nós temos vivido isso no nosso dia a dia, no mundo inteiro cada vez mais, graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu – Sama.

Mais uma vez, muito obrigado, do fundo do coração! Parabéns pelo culto mensal do mês de Julho! Boa missão e felicidades para os senhores e as vossas famílias!

Muito obrigado a todos!