Atanásia Maria Domingas Da Silva – NJ Balombo_Benguela/Angola

Chamo-me Atanásia Maria Domingas Da Silva, tenho 33 anos de idade, sou membro, resido no bairro da Graça e dedico como auxiliar do Sanguetsu.

Conheci a Igreja Messiânica, em Agosto de 2008, por intermédio da irmã Guilhermina Júlia, membro dedicante da Igreja a quem manifesto eterna gratidão. Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: Doença, conflitos conjugais e desemprego.

Quando completei 12 anos comecei a ouvir repetidas vezes uma voz que dizia:  Você não vai ter filhos, porque na tua barriga tem um bicho que que vai come-los”. Com medo das vozes, fui ter com minha mãe, e ela levou-me a uma santa, a fim de adivinhar ou entender o que se passava comigo. Foi quando a santa lhe disse que não poderia fazer nada porque eu não tinha idade para fazer o tratamento.

Voltamos a casa e continuei a ouvir a voz até que me tornei adulta. Alguns anos depois arranjei um parceiro, mas de facto não conseguia engravidar. A vontade de ser mãe falava mais alto que qualquer outro objectivo. Por isso não parei por aí. procurei casas de quimbandas, e hospitais. Nos hospitais os médicos diziam que não tinha nada. Comecei a ter muitos conflitos com o meu marido o que me levou a pensar em abandonar o lar.  Certo dia, ao tentar sair de casa, o meu esposo apareceu preocupado com meu acto e pediu-me que assim não fizesse, pois era eu que ele queria como esposa, e não as outras mulheres. Chateada voltei a colocar as coisas em casa. Foi nesta fase que a irmã Guilhermina Júlia comovida com meu sofrimento falou-me dos milagres vivenciados na Igreja Messiânica através do Johrei. Não hesitei, comecei a frequentar a igreja. No Johrei Center, fui recebida pelo plantonista e orientada o seguinte:

– Receber 10 Johrei por dia

– Manter a Flor de Luz em casa

– Dedicar no banheiro

– Assistir aos cultos e encaminhar outras pessoas

Cumpri as orientações, e como resultado comecei a ver mudanças significativas. No terceiro dia de frequência, tive um sonho com um dos meus tios que já se encontra no mundo espiritual, dizendo que havia ajudado muita gente a fazer aborto e a matar. Acordei e fui a igreja e a primeira coisa que fiz foi contar ao orientador sobre o sonho que tive. Ele orientou-me a materializar um donativo especial. Cumpri com a orientação. Depois aconselhou-me a voltar a fazer os exames. Desta feita diagnosticaram miomas uterinos. Como eram muitos pequenos e quase não se notava, o medico deu-me 45 dias para repousar e depois voltar a consulta-lo. Assim o fiz e neste intervalo fui recebendo Johrei. Me mantive firme no cumprimento das orientações. O meu esposo começou a notar mudanças em mim e decidiu acompanhar-me para saber se era mesmo igreja que eu ia, pois deixei de o incomodar com os ciúmes. Ele foi atendido pelo plantonista que orientou-lhe as praticas básicas da igreja. Como resultado a relação tornou-se mais amena e saudável.

Depois de completar os 45 dias voltei ao hospital e o médico surpreendeu-se ao ver o resultado do meu estado de saúde.  Assustado disse: “Jesus! O que foi que fizeste?” Eu preocupada, como a primeira palavra que digo sempre em qualquer ocasião é graças a Deus, o médico disse é mesmo graças a Deus o que fizeste? Os miomas desapareceram”. Sai do consultório muito feliz e fui acorrer a igreja informar o responsável e materializei um donativo especial de gratidão.

Quando menos esperei, isso a 3 anos atrás, Deus me contemplou com uma linda menina, muito saudável e alegre que tem sido motivo de minha felicidade. Por esta grande permissão de ser mãe materializei um donativo de gratidão.

A experiência de fé que passo a relatar aos irmãos esta relacionado à obediência as orientações superiores.

Na luta pelo emprego, sempre que tentasse em algum concurso público não tinha sucesso. Desesperada, e já sem vontade de voltar a concorrer devido ao fracasso dos outros anos, em ano de 2010, quando me apercebi do começo do concurso, comuniquei ao orientador. O mesmo aconselho-me a tentar. Eu fui participar, mas sem esperança alguma. Fui dedicando até que chegou a fase do apuramento e para o meu espanto, ligaram para mim, a informar que tinha sido aprovada e que já podia começar a trabalhar. Me senti feliz e agradecida. Fui comunicar ao superior e materializei um donativo especial.

Depois de 5 anos de trabalho me senti cansada pela distância. Assim, surgiu a ideia de solicitar a minha transferência para a província de Benguela. Tentei por 3 vezes, mas sem sucesso. Foi quando resolvi informar o facto ao superior na tentativa de procurar ajuda para sair do município, o superior perguntou-me o seguinte:

“Atanásia, queres sair do Balombo, quais são as coisas que já fizeste neste município? O que já fizeste na vida de seus alunos? Qual é a lembrança que iras deixar para aquele povo?” A minha cabeça começou a doer e fiquei sem respostas. Ele continuou. Perguntou-me se tinha pelo menos um terreno para desenvolver a prática da agricultura natural!

Foi então que refleti e vi que não havia feito nada disso. Comuniquei a minha mãe, que tempos atrás já havia falado sobre agricultura e eu não dei importância. Pedi-lhe que localizasse um espaço para este fim e ela feliz, não hesitou em ajudar. Não demorou e conseguimos o espaço, legalizamos e começamos a desenvolver várias actividades, como, moer fuba de milho e mandioca para poder vender a preço acessível a qualquer. Assim, comecei a ganhar outras ideias. Parte desse produto já ajuda na alimentação saudável para casa e de alguns familiares mais próximos. Conseguimos tomar sopas de mandioca, caldo e canja. Já tenho uma cantina em casa que faço as vendas para os vizinhos que reclamam quando faltam produtos.

Com este incentivo dos vizinhos e da minha família, ganhei consciência em continuar a praticar e a melhorar a forma de irrigação para produzir outros produtos e expandir para outros locais.

Aprendi a controlar os meus gastos e rendimentos e vi que com esta prática tenho, mas benefícios na alimentação e na saúde da minha família, e deste rendimento consegui me matricular na faculdade no 1ºano de Psicologia Educacional.

Como gratidão encaminhei 30 pessoas a igreja das quais 7 tornaram-se membros.

O meu Compromisso é continuar a encaminhar as pessoas a fé para melhor cumprir a minha missão e me empenhar no debruçar na dor e no sofrimento das outras pessoas.

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama pela permissão e de fazer parte desta família e ao Superior pelas sábias orientações e a todos que acompanharam o meu relato de fé o meu muito obrigado.

Lobito 01 de Janeiro de 2020

81 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário