Elísio Lima da Mota – São Tomé e Príncipe

Chamo-me Elísio Lima da Mota, sou natural da cidade de Santana, resido no bairro Quilombo – Tomé. Dedico actualmente como Secretário de Expansão e responsável da área 1 da Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe.

Conheci a igreja em 2003, encaminhado pelo Min. Gervásio Sousa Pontes Costa Alegre, por motivo de doença.

Ao chegar na igreja fui recebido pelo plantonista, que depois de me ouvir atentamente, levou-me ao altar, ministrou-me Johrei e orientou-me a receber Johrei diariamente. Nesse 1º dia de contacto com Johrei tive uma noite de sono tranquilo, o que há muito tempo não era habitual. Embora cético em relação ao Johrei, esse acontecimento me encorajou a continuar e passados 3 messes fiquei curado do paludismo e outras enfermidades que lhe associavam e me enfermavam há muitos anos, com gastos consideráveis em vários tipos de tratamentos. Encaminhei 2 membros da minha família e tornei-me membro no mesmo ano.

A experiência de fé que venho compartilhar com os senhores, está relacionada com o Johrei e o servir.

Ao ser outorgado o Sagrado Ohikari no dia 22 de Junho de 2003 num Domingo, na 2ª feira, fui visitar um amigo no seu sector de trabalho e este recebeu-me no seu gabinete. Decorrido pouco mais de 10 minutos, o mesmo começou a queixar-se de dores no peito, e de repente caiu debruço sobre a secretária e ficou inerte. Sem saber o que fazer, decidi chamar pelo empregado na sala ao lado mas, este não aparecia, aumentando assim a minha preocupação com a saúde do homem e a consequência que poderia acarretar-me se o pior acontecesse. Senti que era a oportunidade de experimentar o funcionamento do meu Johrei. Como membro recém-outorgado, na dúvida se isso funcionasse ou não, me impediu de actuar imediatamente. Como o senhor não reagia, apesar de várias tentativas de o reanimar, o seu empregado decidiu recorrer à sua esposa chamando-a pelo telefone, mas esta não respondia. Então, decidi levantar a mão. Observando as normas, ministrei-lhe Johrei e 10 minutos depois, o meu amigo deu sinais de recuperação. Levantou a cabeça e pediu água. Nesse mesmo instante, a sua esposa chegou e levou-o ao hospital. Duas horas depois o meu amigo me liga para comunicar que estava bem e que já tinha saído do hospital. Agradeceu pela ajuda e pela oração da minha igreja, incentivando-me a continuar. Salientou ainda, que nas  outras vezes que  passou pela mesma situação, ficou internado durante 15 dias em tratamento, o que não foi o caso daquele dia.

Essa 1ª experiência com o Johrei, dissipou a dúvida que ainda pairava sobre mim com relação à força e o poder da Igreja Messiânica Mundial, mesmo tendo vivido o milagre de cura da doença na minha vida e abriu caminho para assumir a fé messiânica e aprofundar na prática dos seus ensinamentos!

Ao despertar para manifestar a minha gratidão a Deus e Meishu-Sama através do servir, tive a permissão de, durante 90 dias, aprimorar na ministração do Johrei das 6 as 20h centralizado na única igreja que existia na altura (centro de aprimoramento na marginal 12 de Julho). É com essa dedicação que iniciei a minha caminhada de servir a tempo integral na Obra do Messias e ser utilizado a vivenciar experiências, que marcaram a minha dedicação.

Dedicação na cidade da Trindade

Ao acompanhar uma senhora na localidade de Uba-Budo, que se encontrava paralisada há mais de 5 anos, motivado por uma queda no seu quintal, tive a permissão de vivenciar o seguinte: com a colocação de flores em sua casa, oração e ministração de Johrei, após 3 dias, a senhora que durante todos esses anos tinha ficado acamada, milagrosamente levantou e sentou-se. No dia seguinte ao encontrar com o seu filho, este agradeceu pela oração que estava ajudando a sua mãe. É de realçar que o mesmo tem como profissão a extração do vinho da palma e também praticava curandeirismo. Continuando com as assistências, uma semana depois, segurando as paredes, a senhora saiu do quarto para o pátio da casa. Esse milagre despertou a sua nora a receber Johrei.

*Decorridos alguns dias, o comportamento do filho para com as assistências começou a mudar e evitava contacto com qualquer elemento da igreja. Ele tirou do pátio da casa da mãe os instrumentos de jambi que lá se encontravam e ordenou a mulher a não receber mais a oração (Johrei). A mulher não acatou a sua orientação e continuou a receber Johrei dizendo que graças a essa oração, estava a se sentir  mais leve e fortalecida. Isso gerou um  desentendimento com o marido e acabou em separação. Depois de 15 dias, ao chegar no bairro, fui informado que o espaço  da “casa de tratamento” do filho havia  sofrido um incêndio e todo equipamento tinha queimado. Ele ausentou-se do bairro e levou a sua mãe para um sítio incerto, interrompendo assim a assistência que vinha recebendo*. Algum tempo depois, ele deixou a mãe nesse lugar e voltou a cidade para continuar os seus tratamentos. Porém, notou que nada mais dava certo nesse ramo e abandonou assim o curandeirismo para se dedicar a outra profissão.

Dedicação em Cabo verde

Por permissão de Deus e Meishu-Sama, tive a permissão de dedicar na República de Cabo Verde a partir do Johrei Center da Igreja Messiânica Mundial de Cabo Verde na cidade de Praia em 2013.

Após a minha chegada nesse país em Agosto de 2013, tive a feliz permissão de acompanhar a casa de um frequentador de nome Salvador Cabral composta de 10 pessoas.

Inicialmente, apenas o frequentador é que recebia Johrei e outros membros escondiam-se nos quartos ou ausentavam-se. Na medida em que ia colocando as flores em casa, fazendo oração e ministrando Johrei, aos poucos fui familiarizando com a família e o despertar dos mesmos para receber Johrei foi-se ampliando. Num belo dia, a filha (Valdira Cabral) que mais se ausentava devido a minha presença em sua casa, apareceu na sala e surpresa tentou se desculpar e quando ia a retirar-se convidei-a a receber Johrei. Ao contrário das outras vezes, aceitou receber durante 30 minutos . Quando terminei o Johrei, entreguei-lhe uma flor de luz para colocar na cabeceira de sua cama e pedi o seu contacto. Na manhã do dia seguinte, liguei para saber como dormiu e ela me confidenciou que no dia anterior estava a passar por uma crise de dores de estômago que felizmente depois da oração as dores cessaram permitindo um sono tranquilo.

Nesse mesmo dia fui visitá-la e após a ministração do Johrei ela relatou que há mais de 5 anos, vinha sofrendo com fortes dores de estômago por causa de excesso de gases, o que a levava a ingerir muitos comprimidos. Após receber Johrei, milagrosamente as dores desapareceram o que não acontecia anteriormente. Segundo as suas palavras, “sentindo que é algo bom decidi continuar a receber esta oração” e passou a receber Johrei e orientar as filhas a receberem também.

Ao fazer uma limpeza profunda em casa da família, em que todos os elementos participaram, milagrosamente a Valdira passou a frequentar a Igreja e a receber 10 Johrei por dia, fazer limpeza na nave e casa de banho e a assistir os cultos.

Volvido uma semana de frequência, ela relatou que antes não podia consumir alimentos e bebidas que continham gases devido às dores de estômago. Graças ao Johrei, já estava a consumir tudo. Sentiu uma enorme alegria, seguida de boa disposição, leveza e harmonia como nunca tinha sentido e a receber graças, como: Ser convidada a participar numa reunião na escola onde estuda as suas filhas, onde foi apresentada aos pais e encarregados de educação como a nova gestora da escola. Depois do encontro, dirigiu-se a duas amigas professoras e relatou as mudanças após conhecer a igreja, falou da horta caseira e encaminhou as mesmas para a igreja. Postas ali, receberam Johrei e esclarecimento sobre a igreja e a importância da horta modelo na escola. Assumiram o compromisso de falar com a gestora e após acerto com a participação dos professores e alunos, fez-se uma horta de agricultura natural na escola.

Após essa dedicação, ela foi convidada pela Câmara Municipal da Praia a liderar uma campanha de limpeza no seu bairro, assim como participar numa formação sobre empreendedorismo, organizado pela câmara, que foi realizada com sucesso, considerando que a equipa que ela integrava foi qualificada em primeiro lugar pelo projecto apresentado.

Recebeu de oferta um computador portátil enviado do exterior do país, instrumento que estava precisando para os trabalhos de empreendedorismo a qual não tinha condições de o adquirir e Meishu-Sama fez chegar no momento oportuno.

A escola foi agraciada com uma pintura geral (dentro e fora); doação de 2 computadores; prenda de Natal para todos os alunos que estudam na escola: um almoço de confraternização com todos alunos, professores e empregados da escola, o qual tive a permissão de participar a convite da gestora, tudo patrocinado por uma empresa.

Como retribuição, a frequentadora desapegou da igreja que frequentava e do compromisso que tinha na mesma. Assumiu a fé messiânica, passou a dedicar na liturgia e como assistente do responsável. Tornou-se candidata e foi outorgada em 2015.

Colocando em prática a orientação superior de aprofundar no Johrei em casa, tempos depois comecei a purificar com febres. Depois de participar nas dedicações de limpeza no Pólo agrícola de milagrosa, a purificação acelerou-se envolvendo toda família com gripe, acompanhado de dores de cabeça tosse e mal-estar (fraqueza).

Os meus filhos, que já têm os seus lares, passaram a residir em minha casa e o desafio de ministrar Johrei foi muito intenso. Nesse período os casos de doença covid-19 e mortes estavam a ter proporções alarmantes. As pessoas aconselhavam-nos a ir para o hospital e alguns evitavam contacto connosco. Depois de uma semana de purificação nesse nível, com Johrei e consumo de muita água e donativos, a recuperação foi surgindo. Após essa melhoria, a minha esposa voltou a ter febres muito altas e fortes dores no tornozelo esquerdo, seguido de inflamação. Durante 15 dias ela não podia pôr-se de pé nem andar, devido às dores. Passava o dia deitada, a noite não conseguia dormir. E quanto mais recebia Johrei, mais intensificava a purificação. Certa noite as febres e as dores aceleraram tanto que ela já não chorava. Só gemia. Fui ao altar orar e pedir orientação ao Messias Meishu-Sama, sentindo que precisava de uma luz para eliminar esse sofrimento. Horas depois, lembrei-me que havia tirado um valor destinado ao donativo de construção do templo e que esperava materializá-lo na sede. Pedi perdão, peguei no valor e convidei os antepassados das nossas linhagens a participarem na materialização desse donativo, concretizando-o. Assim que saí do altar, a esposa dormiu até  amanhecer. No dia seguinte ela pediu para levá-la ao médico. Depois de ser atendida recebeu remédio para tomar. Ao ingerir os comprimidos, surgiram as dores de estômago e acabou por desistir dizendo que é melhor continuar no Johrei. Depois de algum tempo recebendo Johrei, ela melhorou consideravelmente.

Aprendi que as dificuldades nos são colocadas por Deus e Meishu-Sama, para polir o nosso sentimento, qualificar o nosso servir e sermos úteis à expansão da Obra Divina.

O meu compromisso é ganhar a permissão de despertar almas de ouro que se tornem úteis à Obra Divina e juntos participarmos na construção da Sede Central da Igreja Messiânica Mundial de São Tomé e Príncipe.

Agradeço ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama, pela permissão que junto com os meus antepassados me concederam em participar dessa maravilhosa Obra de Salvação.

Agradeço também aos meus superiores pelo amor e paciência em cuidar do meu percurso na prática de fé que se liga ao Messias Meishu-Sama.

A todos presentes, os meus mais sinceros agradecimentos.

Muito obrigado.

124 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário